BB assume carteiras de consignado do Cruzeiro do Sul

Após ser liquidado no ano passado, banco terá suas carteiras de crédito consignados administradas pelo BB a partir de agora

O Banco do Brasil é o novo administrador das carteiras de crédito consignado do banco Cruzeiro do Sul – liquidado em setembro do ano passado pelo Banco Central. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo, desta quinta-feira.

O BB vai substituir a IMS Tech, que teve contrato cancelado após denúncias de favorecimento.

De acordo com a reportagem, o liquidante do Cruzeiro do Sul, Eduardo Félix Bianchini, escolheu o Banco do Brasil pela experiência que ele possui no tipo de operação. O BB já possui parte das carteiras de crédito do Cruzeiro do Sul, que pode somar aproximadamente 4 bilhões de reais.

Além do BB, Bradesco Caixa Econômica Federal, Banrisul e Banestes também compraram operações do Cruzeiro do Sul.

Recentemente foi divulgado que o Cruzeiro do Sul aumentou suas perdas o rombo em 70% no período de um ano, totalizando 3,8 bilhões de reais. Os números são referentes a junho deste ano e foram divulgados no balanço patrimonial da empresa.

Fonte http://exame.abril.com.br/ – Daniela Barbosa

Read More
Greve derruba em 74% o consignado dos aposentados na região

Doze dias. Esse foi o período de setembro que os bancários ficaram em greve. Suficiente para diminuir o total de empréstimos consignados para os aposentados e pensionistas da região em R$ 63 milhões.

Segundo dados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o Grande ABC contratou R$ 83 milhões em empréstimos consignados em agosto. No mês seguinte, o órgão informou que os segurados da Previdência Social demandaram apenas R$ 20,9 milhões – 74% a menos.

“É resultado da greve dos bancários. Todo ano ocorre isso em setembro”, disse o especialista em Finanças e ex-economista chefe da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) Roberto Luis Troster.

No ano passado, conforme destacou Troster, a greve também impactou os empréstimos consignados vinculados ao INSS. Mas a queda foi de 26,6%, tendo em vista que passou de R$ 64,7 milhões, em agosto, para R$ 45,5 milhões em setembro.

A diferença é que em 2012, a greve dos bancários durou nove dias, entre 18 e 26 de setembro. Portanto, três dias a menos do que neste ano – a paralisação em 2013 durou, ao todo, 23 dias, terminada em outubro. O resultado foi volume de contratações 54% menor em setembro do que no nono mês do ano passado.

Professor de Economia da FSA (Fundação Santo André), Volney Gouveia apresentou duas hipóteses que podem explicar o recuo no volume contratado. Uma delas é a interpretação das famílias em relação ao cenário econômico, que está desacelerado e, outra, à possível proximidade do esgotamento da capacidade de contratação do crédito. “Entendo que o PIB (Produto Interno Bruto) em marcha lenta também influencia a demanda do crédito”, disse Gouveia.

“A segunda tese, quanto ao esgotamento da base dos aposentados em contratar esses créditos, vejo que a base pode estar apresentando certa fadiga por já estar com a renda comprometida, muitas vezes com o mesmo tipo de operação”, analisou o professor da FSA.

Ele pontuou que a margem consignável de parcelas, que não ultrapassem 30% da renda líquida mensal do segurado, é um fator limitador da demanda.

CAMPANHA – Para forçar os bancos a ofertarem reajuste salarial e melhorias laborais, os bancários em todo o Brasil cruzaram os braços por 23 dias. Foi a segunda maior mobilização, em duração, da história. A mais extensa ocorreu em 2004, quando a categoria paralisou as atividades das agências por 30 dias.

No Grande ABC, a estratégia do Sindicato dos Bancários foi travar os serviços das unidades das instituições localizadas nos centros das cidades. Para a entidade, são essas as responsáveis pela maior movimentação financeira.

Na prática, agências fechadas são o mesmo que aposentados e pensionistas sem contratar crédito consignado. Apesar de existir a possibilidade de emprestar dinheiro por meio de cartão de crédito com desconto em folha, praticamente 99% do segurados fazem a operação padrão, com atendimento presencial nos bancos.

Por isso, no Brasil, o volume concedido também apresentou um decréscimo, como ocorreu na região. Dados do boletim de operações de crédito do BC (Banco Central) revelam que o montante consignado liberado em setembro foi 15% menor do que em agosto. Foram R$ 2,86 bilhões emprestados para desconto em folha de pagamento, contra R$ 3,38 bilhões em agosto.

ORIENTAÇÃO – Por se tratar de um empréstimo que tem as parcelas descontadas na folha do benefício, essa é a modalidade de consumo mais barata para os aposentados e pensionistas, com média de juros de 2,3% ao mês. Para se ter ideia, a taxa de empréstimo pessoal não consignado está em torno de 5,12% ao mês.

No entanto, avisa o educador financeiro e sócio-diretor da Mais Ativos, Álvaro Modernell, o consignado deve ser evitado como qualquer outro tipo de empréstimo. “Não se pode utilizá-lo como uma continuidade da renda. Crédito é bom, mas deve ser utilizado apenas quando necessário.”

Fonte Diário do Grande ABC – Pedro Souza

Read More
SC – PROCON alerta com relação a Golpe do Empréstimo

Aproveitando a inocência de alguns cidadãos, golpistas estão novamente agindo em Brusque. Consultas junto ao Órgão de Defesa do Consumidor foram registradas nos últimos dias. Ocorrências de igual prática já haviam sido observadas em outros anos.

Os golpistas entram em contato com o cidadão através de ligações telefônicas, realizando anúncios de falsos empréstimos bancários, com a oferta de dinheiro sem a burocracia. O atendente passa a solicitar depósitos, para agilizar o procedimento e liberar supostas quantias sem “descontos”; Quando o acordo é fechado, a promessa é de que o dinheiro caia na conta corrente do cliente em poucos minutos. Como o dinheiro não aparece, o cliente retorna a ligação diversas vezes e é informado de que precisa fazer mais depósitos, em quantias variadas, por questões diversas, em contas também diferentes e assim vão iludindo o cidadão e arrancando do mesmo mais e mais dinheiro.

“Os consumidores devem ficar atentos, sempre que for exigido um pagamento para receber um empréstimo. Nenhum Banco solicita depósito antecipado para liberar recursos. Nunca deposite qualquer quantia para ninguém, sob esta alegação. Para que se tenha a certeza de um negócio lícito e seguro, procure sempre uma Instituição Financeira” alerta o Diretor Geral do PROCON Fábio Roberto de Souza.

Embora os golpistas solicitem o depósito em contas de pessoa física, para a divulgação do falso empréstimo, alguns utilizam nomes de pessoa jurídica e CNPJs, o que pode ajudar na busca , identificação e responsabilização dos estelionatários, porém o caminho e tempo para a solução do problema podem ser longos.

Fonte http://www.adjorisc.com.br/

Read More
Daycoval apura lucro líquido de R$ 59,3 milhões no 3º trimestre

Valor é 11% inferior ao obtido em igual período do ano passado…

O banco Daycoval apurou lucro líquido de R$ 59,3 milhões no terceiro trimestre do ano, queda de 11% em relação a igual período do ano passado, quando a instituição lucrou R$ 77 milhões. No acumulado do ano até setembro, o lucro foi de R$ 190,7 milhões, queda de 19,5% na comparação com igual período do ano passado.

Segundo o diretor institucional e de relações com investidores do Dayocoval, Ricardo Gelbaum, a queda é justificada pelo baixo crescimento da carteira de crédito nos últimos dois anos, fruto de uma decisão do banco de pisar no freio nos empréstimos por conta do baixo crescimento da economia e dos riscos de aumento da alta da inadimplência e das despesas com provisões para devedores duvidosos (PDD).

“Os grandes bancos privados estão fazendo agora a movimentação que nós fizemos há cerca de dois anos quando nós já avaliávamos que a conjuntura econômica apresentava riscos significativos. Crescemos basicamente em crédito consignado voltado para funcionários públicos e com financiamento de veículos. No entanto reduzimos o peso das empresas na carteira”, afirmou Ricardo.

O banco, no entanto, mudou sua postura e após dois anos voltou a apresentar crescimento dos empréstimos voltados para empresas. A carteira voltada para esse segmento cresceu 4,1% em relação ao segundo trimestre do ano, mas caiu 2,5% na comparação em 12 meses. Enquanto que o crédito consignado subiu 9,9% na no trimestre e 30,1% no ano.

O financiamento para compra de veículos, por sua vez, apresentou crescimento de 1,9% em comparação ao segundo trimestre do ano e de 6% em comparação ao terceiro trimestre do ano passado. No terceiro trimestre, a carteira total banco fechou em R$ 9,379 bilhões, alta de 5,8% em relação ao trimestre passado e de 7% na comparação a igual período do ano passado.

Atualmente, 60% dos empréstimos se concentram em empresas e 40% em consignado e veículos. Segundo Gelbaum, a meta é do banco para os próximos anos é continuar crescendo nas duas linhas, mas reforçando o crédito para empresas chegando a uma relação de 70% para pessoas jurídicas e 30% em consignado.

“Não vamos deixar de crescer em veículos e consignado, mas nosso foco será o empréstimo para empresas de todo porte com prazos e tickets menores o que nos permite ter uma margem maior”, afirmou Ricardo. “Cerca de 40% da nossa carteira vence em 91 dias”, complementou o representante do banco.

Fonte http://www.dci.com.br/financasCaio Zinet

Read More
RS – Bando de estelionatários – Vigaristas são flagrados enquanto aplicavam golpe do empréstimo, em Viamão

Os principais alvos da quadrilha são aposentados, o prejuízo pode chegar a 35 mil reais

Um grupo de estelionatários que aplicava o “golpe do empréstimo” foi preso em flagrante na tarde desta quinta-feira, em Viamão.

Uma mulher, integrante do bando foi autuada quando sacaria R$ 4 mil em uma agência do Banco do Brasil. Outra mulher e um homem, que lhe davam cobertura no lado de fora da agência, também foram detidos. De acordo com a polícia, os três envolvidos já tinham antecedentes por estelionato.

Estima-se que o bando tenha retirado nos últimos dias pelo menos cinco empréstimos, um prejuízo de R$ 35 mil às vítimas. Os alvos principais são aposentados.

A polícia ainda apura como os vigaristas tinham acesso aos documentos originais das vítimas e quem fazia as falsificações para eles.

Como funciona

  • Golpistas têm acesso a RG, CPF, comprovante de residência e contracheques das vítimas.
  • Os dados são falsificados e uma foto do golpista é colocada nos documentos.
  • Buscam crédito em empresas financeiras, pedindo que o dinheiro seja disponibilizado por ordem de pagamento bancário.
  • Os descontos, em geral, são previstos com desconto em folha.

Como evitar:

  • Tenha cuidado redobrado ao fornecer seus dados e documentos.
  • Fique atento a cobranças indevidas e denuncie quando notar dados que não conferem com as suas contas normais.

Fonte http://zerohora.clicrbs.com.br – Eduardo Torres

Read More