INSS alerta para fraudes em empréstimo consignado

INSS alerta para fraudes em empréstimo consignado

O Ministério do Trabalho e Previdência Social mantém em sua estrutura uma área destinada a receber as manifestações do cidadão, que por qualquer razão, tem o seu pleito negado pelo INSS. Trata-se da Ouvidoria, que recebe, trata e encaminha a solução de todas as manifestações da população, sejam elas: reclamações, sugestões, elogios ou denúncias.

Em 2015, a Ouvidoria registrou 18.418 manifestações em todo o país, das quais 2.476 na região Nordeste. Um desses registros foi feito por José de Arimatéa Freire (79), agricultor aposentado pelo INSS desde 1996, que reside na localidade de Aldeia, comunidade do município de Camaragibe em Pernambuco. Desde que a irmã Dalva faleceu, “seu” José ficou responsável pela criação do sobrinho Eudes. Todavia, o carinho e dedicação ao sobrinho não foram suficientes para evitar que o rapaz abusasse da sua confiança, e fizesse um empréstimo para comprar uma moto, vinculado a aposentadoria, equivalente ao salário minimo, recebida pelo agricultor.

Casos como o de “seu” José, comprovam que o aposentado ou pensionista da Previdência Social precisa estar atento para não se tornar vítima de fraude na concessão do seu benefício ou de empréstimo consignado. O primeiro ponto que o cidadão precisa ter em mente, é que o INSS não faz contato com ninguém por telefone, seja para saber ou atualizar o número do benefício, senha bancária, e tão pouco autoriza a efetivação de empréstimos consignados. É importante ressaltar que a única forma que a Previdência Social mantém contato com o cidadão é por meio de carta registrada.

O beneficiário é a única pessoa que pode autorizar a concessão de empréstimos vinculados a sua aposentadoria ou pensão. Portanto, fique atento a quem promete muitas facilidades. Nunca forneça seus dados pessoais, tais como: RG, CPF, número do benefício ou endereço residencial por telefone a quem quer que seja; jamais assine procurações ou contratos dos quais você não esteja ciente do seu inteiro teor. Outro cuidado que o aposentado ou pensionista precisa ter, é de em nenhuma hipótese, entregar o seu cartão e senha bancária a pessoas desconhecidas.

Para garantir que não se tornará alvo de agenciadores ou pessoas inescrupulosas, o cidadão pode solicitar o bloqueio do seu benefício para fins de empréstimos. Basta comparecer a uma Agência da Previdência Social, preencher um requerimento solicitando o bloqueio e protocolar na própria agência.

Precauções

Nunca realize empréstimo por meio de pessoas que queiram fazê-lo em sua casa; cuidado quando alguém se apresentar como funcionário do INSS ou de algum banco. Nunca forneça seus documentos pessoais e cartão do banco para recadastramento em sua própria casa.

As denúncias de fraudes em empréstimos consignados devem ser feitas à Ouvidoria-Geral da Previdência Social, pelo site www.previdencia.gov.br/ouvidoria ou pela Central 135.

Com informações do INSS

Fonte http://tribunadonorte.com.br/noticia/inss-alerta-para-fraudes-em-empra-stimo-consignado/341271

Read More
MG – Contrato de empréstimo com analfabeta é considerado inválido

Contrato de empréstimo com analfabeta é considerado inválido

Decisão

O contrato a ser celebrado por pessoa não alfabetizada deve, para ser válido, ser formalizado por escritura pública ou por instrumento particular, através de procurador devidamente constituído por instrumento público. Baseada nesse entendimento, a 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) considerou inválido um contrato firmado entre o banco BMG S.A. e uma consumidora analfabeta, determinou a restituição dos valores descontados e fixou a indenização por danos morais em R$10.244.

A cliente ajuizou ação contra o banco pleiteando indenização por danos morais e a invalidade do contrato de empréstimo. Ela disse que é analfabeta e foi forçada a contrair o empréstimo por representantes do banco que a abordaram em casa. Além disso, afirmou que o dinheiro não foi creditado em sua conta e, mesmo assim, foram feitos descontos indevidos em seus benefícios previdenciários.

O BMG se defendeu alegando que a consumidora tem três contratos de empréstimo em consignação e que não existem quaisquer vícios que justifiquem sua invalidade.

O juiz da 1ª Vara Cível de Januária entendeu que a cliente não tem qualquer débito com a instituição, o que torna ilegítimos os descontos realizados em seus benefícios previdenciários. Ele determinou a devolução em dobro dos valores descontados e estipulou em R$15 mil o valor da indenização por danos morais.

A instituição recorreu ao Tribunal. O relator, desembargador Luciano Pinto, entendeu que o contrato exigia algumas formalidades que não foram observadas, por isso entendeu pela invalidade do acordo.

Entretanto, o magistrado determinou a devolução simples dos valores descontados e não em dobro, como decidido em primeira instância. O desembargador também reduziu o valor da indenização por danos morais. Os desembargadores Márcia de Paoli Balbino e Leite Praça votaram de acordo com o relator.

Leia o acórdão e acompanhe a movimentação processual.

Assessoria de Comunicação Institucional – Ascom
TJMG – Unidade Raja Gabaglia
(31) 3299-4622
ascom@tjmg.jus.br
facebook.com/TribunaldeJusticaMGoficial
twitter.com/tjmg_oficial

Fonte http://www.tjmg.jus.br/portal/imprensa/noticias/contrato-de-emprestimo-com-analfabeta-e-considerado-invalido-1.htm#.VvIE2eIrLak

Read More
Sem anuidade, Lendico lança cartão de crédito consignado

Sem anuidade, Lendico lança cartão de crédito consignado

Plataforma online de crédito pessoal, lança o Lendico Plus, cartão de crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS

Criado por volta de 1999 pelo Governo, o crédito consignado é uma ótima alternativa para aposentados e pensionistas que precisam de crédito para uma viagem, uma compra e até a realização de um sonho de consumo, e não querem se enrolar com dividas, já que o valor da parcela é descontado diretamente do benefício do cidadão.

O cartão de crédito Lendico Plus traz essa alternativa de forma ainda mais prática para o consumidor e tudo pode ser feito online. O pedido é feito pelo site com o número da matricula do INSS e, assim que aprovado, é enviado diretamente ao consumidor. O valor mínimo da fatura é descontado diretamente da folha de pagamento do benefício.

Com limite de até 1,3 vezes o valor da renda do beneficiário, o cartão ainda permite o saque de 98% do limite, além de ter bandeira internacional. Seguindo a proposta de transparência e taxas mais acessíveis da Lendico, os juros do crédito rotativo são de apenas 3,39%, contra valores de 7% a 11% aplicados atualmente no mercado.

Sobre a Lendico
Lançada em julho de 2015 no Brasil e presente em mais de cinco países, a Lendico chegou para mudar o cenário e a visão sobre crédito pessoal no País. Por meio de um site que proporciona segurança e facilidade de acesso, a empresa oferece as melhores taxas de juros do mercado, mostrando que um empréstimo pode ser uma alternativa vantajosa para quitação de dívidas com tranquilidade ou até mesmo para a realização de um sonho.

Fonte http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,821948,Sem_anuidade_Lendico_lanca_cartao_de_credito_consignado_,821948,4.htm

Read More
RJ – Aposentada ganha ação após ser cobrada por consignado no cartão que não contratou

Aposentada ganha ação após ser cobrada por consignado no cartão que não contratou


Família reproduziu a cobrança da fatura contratada do Dona Conceição Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal
Nelson Lima Neto

Aos 84 anos, a servidora estadual inativa Conceição André Ferreira saiu vitoriosa de uma ação após fazer um empréstimo consignado e ser cobrada por um cartão de crédito que nunca pediu. Ao contratar a operação de crédito pelo banco BMG, em 2009, a aposentada seria descontada em seu benefício pago pelo Rioprevidência.
O problema, porém, é que ela também recebia a cobrança de um cartão de crédito que não solicitou, e que sequer chegou a ter. Eram, no mínimo, R$ 200 a mais descontados todos os meses. Mesmo após a quitação do consignado, o desconto continuou. Quando a família percebeu a manobra, a dívida ultrapassava R$ 15 mil.
— Minha mãe já tinha alguns empréstimos, mas este do BMG vinha discriminado como cartão de crédito — lembrou Paulo César Ferreira, filho de Conceição: — Ela me mostrou as cobranças de algo que nunca contratou e, então, procuramos os direitos dela.
O julgamento da ação ficou a cargo da juíza Fernanda Rosado de Souza, da 36ª Vara Cível, que ordenou a devolução do valor pago por Conceição, o cancelamento da cobrança e danos morais de R$ 10 mil. Se o BMG não respeitar a decisão, terá de pagar uma multa estipulada pela juiza. A magistrada apontou prática abusiva por parte do banco por se aproveitar da idade avançada da aposentada para lhe vender algo que ela nunca buscou. Foram oferecidos um cartão a juros altos, diferentes dos praticados nos consignados.
— É algo que assusta, pois outros idosos são prejudicados por essa mesma questão em todo o país — disse o advogado Eduardo Pinheiro, que representou Conceição no processo.
Procurado, o BMG prometeu analisar a situação que envolveu a aposentada para dar sua posição.
Fonte http://extra.globo.com/noticias/economia/aposentada-ganha-acao-apos-ser-cobrada-por-consignado-no-cartao-que-nao-contratou-18810239.html

Read More
TO – Banco deve indenizar aposentado por empréstimo consignado fraudulento

Banco deve indenizar aposentado por empréstimo consignado fraudulento


Um aposentado de 64 anos, morador da zona rural de Silvanópolis, será indenizado em R$ 10 mil por danos morais. O pagamento deverá ser feito pelo Banco BMG S.A, que teve um empréstimo bancário contratado com o aposentado considerado fraudulento pela Justiça Estadual. A decisão é dos desembargadores da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) que acompanharam, por unanimidade, voto do desembargador Luiz Gadotti, na sessão da quarta-feira (3/3) negando provimento ao recurso do banco.

Segundo dados do processo, o aposentado recebeu carta do INSS comunicando-lhe a concessão da aposentadoria por idade, com o primeiro recebimento em dezembro de 2011, por meio de uma agência do Banco do Bradesco de Silvanópolis. A uma semana do prazo, um desconhecido, ao se passar por servidor do INSS, fez o aposentado assinar papéis sob o argumento de que só assim receberia o benefício previdenciário.

Ao perceber os descontos na aposentadoria buscou informação no INSS e foi informado de que tinha em seu cadastro um empréstimo consignado junto ao BMG no valor de R$ 5.004,59, a ser pago em 60 parcelas mensais, no valor de R$ 163,40, com início em 07/02/2012 e término em 07/01/2017. O aposentado garantiu à Justiça que jamais tomou conhecimento dessa contratação, nem consentiu sua celebração e tampouco tomou para si qualquer quantia financeira.
Condenação

Em 1ª Instância, o juiz Gerson Fernandes Azevedo, então auxiliar no Núcleo de Apoio às Comarcas (Nacom), declarou a inexistência do contrato de empréstimo. Também condenou o banco a restituir, em dobro, os valores descontados indevidamente do benefício (num total de R$ 4.575,20) com correção monetária acrescidos de juros de mora de 1% ao mês. Por danos morais, o magistrado estipulou o valor R$ 10 mil a ser pago também corrigido monetariamente e acrescido de juros de mora de 1% ao mês.
Recurso

O Banco BMG S.A. recorreu ao Tribunal de Justiça pedindo a reforma da decisão. O banco defendeu a legalidade do contrato de empréstimo que deu origem aos descontos. Pediu também a exclusão da condenação de restituição em dobro do que fora descontado e afirmou que não houve dano moral. Para a defesa do banco houve mero aborrecimento. Tentou afastar, ainda, a condenação judicial por danos morais alegando que o valor arbitrado “é excessivo, desarrazoado e desproporcional” configurando “enriquecimento indevido” do aposentado.
Voto

Conforme o voto do relator, a sentença de condenação deve ser mantida “sem qualquer retoque”. O desembargador anota que o empréstimo bancário foi constituído mediante fraude, por terceiros, que acarretou no desconto, indevido, sobre o benefício previdenciário do aposentado.

No voto, ressalta que o juiz de 1ª instância, acertadamente, usou súmula (nº 479) do Superior Tribunal de Justiça, para fundamentar a sentença condenatória. A súmula afirma que os bancos respondem “objetivamente pelos danos gerados por fortuito interno relativo a fraudes e delitos praticados por terceiros no âmbito de operações bancárias”.

O desembargador também negou o pedido do banco para não restituir o valor descontado em dobro, pois esta determinação “advém da lei”. O relator também concordou com o valor de R$ 10 mil arbitrado pelo juiz como danos morais. “Dadas as peculiaridades da causa, explicitadas pelo Juízo, a condenação respeitou, sem margem de dúvida, os parâmetros da proporcionalidade”, registrou.

Confira o voto do relator.

Fonte http://surgiu.com.br/noticia/234074/banco-deve-indenizar-aposentado-por-emprestimo-consignado-fraudulento.html

Read More
MPF apura vazamento de dados do INSS para uso de bancos e financeiras

MPF apura vazamento de dados do INSS para uso de bancos e financeiras

Bom_Dia_Brasil
Trabalhadores dão entrada na aposentadoria e já recebem ofertas de empréstimo consignado antes mesmo de ter resposta oficial do INSS.

É um mistério. Trabalhadores que deram entrada no pedido de aposentadoria nem receberam a resposta do INSS e, acredite: já estão recebendo ofertas de crédito consignado para aposentados. O Ministério Público está investigando.

Como é que pode? Informações sigilosas que até o próprio trabalhador desconhece já estão nas mãos das financeiras. É um assédio.

Esse tipo de informação – dados pessoais, detalhes do processo no INSS – só podem ser compartilhados com autorização de quem pediu a aposentadoria.

O Ministério Público está investigando como esses dados estão sendo repassados para instituições financeiras que nem estão ligadas com o pagamento do benefício.

Alana mora em Brasília e se aposentou no ano passado. Como o INSS estava em greve, demorou um pouco para ter a confirmação de que a aposentadoria tinha saído. Ela levou um susto quando começou a receber ligações de vários bancos e financeiras oferecendo empréstimo consignado, aquele com desconto em folha. Achou estranho porque os bancos afirmavam que ela era uma aposentada e sabiam tudo.

“Eles tinham mais informação do que eu, porque, por exemplo, eu não sabia que eu estava aposentada e eles já sabiam. E sabiam o valor que eu ia ganhar. Quem passa essas informações para essas financeiras e esses bancos?”, questiona a aposentada Alana Pontes.

Mesma pergunta que a advogada Elseana de Paula faz. Ela mora em Vitória, no Espírito Santo. E também recebeu telefonemas de financeiras antes de saber que estava aposentada. Diz que se sentiu invadida porque as pessoas que ligavam para oferecer o empréstimo consignado tinham muitas informações, inclusive o valor do benefício que ela nem tinha recebido ainda.

“Detalhes. Sabiam endereço, telefone, nome de pai, nome de mãe, tudo. Estado civil. Tudo. Era minha ficha corrida lá. É muito constrangedor. A gente vê a vida da gente sendo colocada na mão de quem você nem tem ideia porque, na verdade, se eu tivesse certeza naquele momento que era o INSS – eu tinha, né, mas se tivesse vindo uma pessoa lá do INSS falar comigo era uma coisa. Agora, eu não sabia nem com quem eu estava falando”, reclama Elseana, agora aposentada.

Outros beneficiários recém-aposentados também foram procurados por bancos e financeiras e decidiram denunciar o caso. O Ministério Público Federal abriu uma investigação e diz que o Código de Defesa do Consumidor proíbe o compartilhamento desse tipo de informação, sem a autorização do cliente.

O procurador Carlos Vinícius Cabeleira diz que quando um trabalhador se aposenta, o INSS repassa as informações dele para o banco que vai ficar responsável pelo pagamento. E esse banco pode oferecer empréstimos para o aposentado. Até aí, tudo bem.

Mas o Ministério Público quer saber como essas informações do INSS estão se espalhando para tantas outras instituições financeiras que não têm nada a ver com o pagamento do benefício.

“Nós podemos pedir que o INSS regulamente melhor a utilização desses dados e, caso a gente tenha verificado alguma utilização indevida de banco de dados, a gente pode pedir também a indenização por danos morais aos consumidores”, explica o procurador da República Carlos Vinícius Cabeleira.

O INSS informou que os dados dos segurados são mantidos em sigilo e que não fornece qualquer dado pessoal a outras instituições que não sejam as responsáveis pelo pagamento da aposentadoria.

O Ministério da Previdência orienta que os segurados procurem a ouvidoria ou liguem para o número 135 se quiserem registrar alguma denúncia.

Fonte http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/02/credito-consignado-e-oferecido-trabalhadores-antes-da-aposentadoria.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

Read More
PI – Quadrilha suspeita de aplicar golpe do empréstimo é presa

PI – Quadrilha suspeita de aplicar golpe do empréstimo é presa

Eles ainda fraudavam cartões do INSS: Ação aconteceu nas cidades de Teresina e União

Foi registrada na tarde desta terça-feira (23/02), a prisão de quatro pessoas, suspeitos de formar uma quadrilha especializada em aplicar golpes através de empréstimos bancários em idosos e ainda fraudar cartões do INSS. A ação aconteceu na cidade de União.

Os suspeitos estavam de posse de vários documentos de pessoas supostamente lesadas pela quadrilha. De acordo com informações apuradas no 20º Distrito Policial, os suspeitos são naturais do Maranhão e estavam hospedados em uma casa alugada.

Segundo foi apurado, as pessoas prejudicadas recebiam a visita dos integrantes da quadrilha em suas residências. A investigação já durava três meses. Os prejuízos deixados pelo bando ainda estão sendo avaliados pela polícia. Dois dos suspeitos foram presos na cidade de União, os outros dois foram capturados no bairro Dirceu Arcoverde, em Teresina.

A operação foi realizada em conjunto pelo Núcleo de Inteligências da Polícia Militar e militares do 5º e 8º Batalhão. Os suspeitos foram encaminhados à Central de Flagrantes em Teresina. A polícia vai investigar a atuação da quadrilha e acredita-se que eles estavam atuando em outras cidades do Piauí.
Publicado Por: Fábio Carvalho

Fonte http://180graus.com/noticias/quadrilha-suspeita-de-aplicar-golpe-do-emprestimo-e-presa

Read More
SC – Homem é preso em Blumenau ao pedir empréstimo com nome falso

SC – Homem é preso em Blumenau ao pedir empréstimo com nome falso

Suspeito levou documentos de outra pessoa ao banco.

Caso aconteceu na manhã desta terça-feira (23) no bairro Velha.

Um homem foi preso por estelionato na manhã desta terça-feira (23) em Blumenau, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. De acordo com a Polícia Militar, o suspeito foi detido em flagrante quando tentava tirar um empréstimo em nome de outra pessoa.
A ocorrência foi registrada por volta das 11h na Caixa Econômica Federal, no bairro Velha. Segundo a PM, o homem apresentou RG, CPF e comprovantes de residência a um funcionário, solicitando a abertura de um empréstimo. O valor pedido não foi informado pelo banco.
Porém, a gerente da unidade reconheceu o suspeito, que já havia tentado tirar empréstimo com outro nome nos documentos, e acionou a PM.
O suspeito foi detido em flagrante por estelionato e levado à delegacia da Polícia Federal em Itajaí. Na sequência, ele foi encaminhado ao Presídio Regional de Blumenau.

Fonte Do G1 SC – http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2016/02/homem-e-preso-em-blumenau-ao-pedir-emprestimo-com-nome-falso.html

Read More
PB – PMCG não teria feito repasse de desconto de empréstimos PMCG não teria feito repasse de desconto de empréstimos

PB – PMCG não teria feito repasse de desconto de empréstimos PMCG não teria feito repasse de desconto de empréstimos


Carta de cobrança chegando em casa, e o constrangimento Diversos servidores municipais de Campina Grande vem sendo surpreendidos no início desta semana com o recebimento de correspondências bancarias do banco Bom Sucesso cobrando o pagamento de empréstimos consignados. O Servidor Municipal que fez empréstimos no Banco Bom Sucesso tem o valor do financiamento descontado na folha de pagamento todos os meses, mas, a Prefeitura de Campina Grane, responsável pela transferência do dinheiro à instituição bancária, não está fazendo o repasse. Muitos servidores já receberam a carta, constrangedora, cobrando a mensalidade do empréstimo e estão temendo terem seu nomes levados ao Serasa devido ao calote da gestão do prefeito tucano Romero Rodrigues.

Para muitos servidores que receberam em suas residências o ultimado do banco devido a inadimplência da prefeitura com a instituição bancaria atitude da prefeitura é inaceitável e ainda possibilita que, por conta disso, o servidor corre o risco de ter o nome sujo na praça. “Segundo uma servidora que preferiu não se identificar, o valor que você paga na parcela para o banco é feito diretamente pela prefeitura e, isto não está ocorrendo, ou seja, desconta-se do holerite do servidor no dia 30 de todos os meses e o repasse ao banco não é feito”. Devido a isso o banco segundo ela, está cobrando dos servidores dando um prazo de alguns dias, apenas, para poderem quitar e, se não quitarem, terão seu nome inserido no SPC – Serviço de Proteção ao Crédito – além de uma ação judicial” disse uma servidora a redação que preferiu não s e identificar para não sofrer perseguição política da atual gestão municipal.

Segundo o que rege o campo jurídico na área se a instituição financeira entrar na justiça contra o servidor por uma dívida indevida, também será tomada medidas jurídicas que podem até custar o mandato do prefeito. “Se isso ocorrer de fato por parte do banco, nós vamos acionar a Prefeitura, mais uma vez, por apropriação indébita. Isso pode gerar uma cassação do mandato por uso indevido do dinheiro que foi descontado do salário do trabalhador”, disse outro servidor público que já procurou um advogado para elaborar sua defesa contra o calote que a prefeitura vem dando no banco.

Fonte http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20160223072729&cat=economia&keys=servidores-pmcg-denunciam-prefeito-descontou-emprestimos-mas-nao-repassou-dinheiro-ao-banco

Read More
Pai de membro do PCC é preso tentando dar golpe em banco

Pai de membro do PCC é preso tentando dar golpe em banco

O suspeito estaria também tentando transferir a aposentadoria da vítima para outra conta corrente


Miguel Petrovich Filho pode responder por tentativa de estelionato, uso de documento falso e falsidade ideológica (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um homem de 50 anos foi preso nesta segunda-feira (22), em Campo Grande, enquanto tentava obter empréstimo bancário, se passando por outra pessoa. Em nota, a Polícia Civil destaca que ele é pai de um membrod o PCC.

Miguel Petrovich Filho estaria usando uma documentação falsa em nome de José Francisco Garcia para efetuar, também, a transferência da aposentadoria da vítima para outra conta corrente.

De acordo com a Polícia Civil, no dia 20 de fevereiro deste ano, Miguel já teria feito compras em uma loja de um shopping de Campo Grande em nome de José Francisco.

O suspeito não tem passagens pela polícia, porém, de acordo com a Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado), seria pai de Fabio Miguel Alves Petrovich, conhecido como “Ponto Quarenta”, integrante da organização criminosa denominada PCC (Primeiro Comando da Capital).

Fabio apresenta diversas passagens por roubo e estelionato e atualmente encontra-se foragido e tem contra si um mandado de prisão em aberto por roubo.

O suspeito foi encaminhado à Depac Centro onde será autuado em flagrante por tentativa de estelionato, uso de documento falso e falsidade ideológica.

Fonte http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/homem-e-preso-ao-tentar-fazer-emprestimo-bancario-com-documentos-falsos
Bianca Bianchi

Read More
CE – Audic Mota alerta sobre empréstimo bancário sem autorização

CE – Audic Mota alerta sobre empréstimo bancário sem autorização


Dep. Audic Mota (PMDB)Foto: Máximo Moura

O deputado Audic Mota (PMDB) informou, durante o tempo de liderança partidária da sessão plenária da Assembleia Legislativa desta sexta-feira (19/02), que o Ministério Público entrou com ação civil pública contra o banco Itaú, no município de Catarina.
De acordo com ele, o banco tem concedido empréstimos consignados para seus clientes sem autorização. “Precisamos encontrar uma brecha na nossa atuação como parlamentares para que possamos partir em defesa da população em casos como esse”, disse.

O peemedebista explicou que os empréstimos estão sendo realizados sem os requisitos legais para a transação. “Eles só veem que o cliente tem uma margem para a aquisição de empréstimo e jogam o dinheiro na conta dele, nem comunicam. Nem contrato há”, explicou, ressaltando que o esquema tem atingido, principalmente, pessoas analfabetas.

Audic Mota lembrou que o tema “empréstimo consignado” já foi pauta, inclusive, de Comissão Parlamentar de Inquérito na AL. “Precisamos voltar a discutir esse tema e elaborar meios de proteger o consumidor”, frisou.
PE/AT

Fonte http://www.al.ce.gov.br/index.php/pronunciamentos-ordem-do-dia/item/49793-19-02-2016-pe03

Read More
Comissão do Senado vota parecer permitindo a aposentado bloquear empréstimo consignado

Comissão do Senado vota parecer permitindo a aposentado bloquear empréstimo consignado

Foto: Moreira Mariz/Agência Senado
A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado irá votou nesta terça-feira (16), medida que garante ao aposentado do INSS a solicitação do bloqueio, a qualquer tempo, de descontos indevidos no seu benefício de parcelas do empréstimo consignado. A medida está prevista em parecer do senador Douglas Cintra (PTB-PE) ao PLS 276/2007. Como tem caráter terminativo, se aprovado ( foi aprovado ), o projeto segue (seguiu) direto à votação do plenário.

“O objetivo do projeto é evitar o mau uso do nome do aposentado para obtenção de empréstimos não autorizados e manter os descontos em folha autorizados de forma regular”, justifica Cintra em seu relatório ao PLS 276/2007, de autoria do senador Valdir Raupp (PMDB-RO).

A justificativa do projeto assinala que ele evita “a utilização fraudulenta de registros de titulares de benefícios previdenciários na obtenção de empréstimos bancários”, contribuindo, dessa forma, para a prevenção deste tipo de criminalidade. O bloqueio não se aplica a descontos autorizados em data anterior ao pedido de suspensão, ou seja, a financiamentos contraídos anteriormente.
O senador pernambucano acrescentou artigo ao PLS 276/2007 estabelecendo que, caso o desconto seja questionado pelo aposentado, será mantida a margem consignável (limite do benefício a ser descontado para pagamento do financiamento), que, no entanto, não poderá ser utilizada na contratação de novo empréstimo até a decisão final do processo.

”Atualmente, quando o desconto deixa de ocorrer devido á contestação judicial ou extrajudicial, a margem consignável é liberada e muitas vezes ocorre que o aposentado consegue tomar novo empréstimo, podendo, com isso, ficar sem margem para pagar o financiamento contestado, se ao final exigido”, explica Cintra em seu parecer.

Brinquedos

Outro parecer do senador pernambucano na pauta da CAE desta terça-feira aprova projeto de lei determinando que no mínimo 5% dos brinquedos e equipamentos de lazer nos shopping centers sejam adaptados para crianças com deficiência ou mobilidade reduzida.

“Os custos da medida são módicos diante dos benefícios que trazem, tendo em vista o poder econômico dos shopping centers. Ademais, é de interesse público a criação de mecanismos de inclusão social das crianças com deficiência, muitas vezes impedidas de participar de diversões nos equipamentos existentes”, justifica Cintra em seu parecer ao projeto de lei, de autoria do então senador Vital do Rego (PMDB-PB).

Fonte http://blogs.ne10.uol.com.br/jamildo/2016/02/15/comissao-do-senado-vota-parecer-permitindo-a-aposentado-bloquear-emprestimo-consignado/
POR ANNA TIAGO EM NOTÍCIAS

Read More
RN – Pai e filho são presos por fraude em empréstimo consignado em Natal

RN – Pai e filho são presos por fraude em empréstimo consignado em Natal

Suspeitos foram presos na manhã desta terça (16) na Zona Sul da cidade.

Após apresentarem documentos falsos, funcionário chamou a polícia.

Segundo a Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações (DEFD), os dois apresentaram documentos falsos. Um dos funcionários percebeu a falsificação e fez a denúncia.

Policiais civis da DEFD foram ao banco e conseguiram prender em flagrante os suspeitos, que foram autuados pelos crimes de uso de documento falso e tentativa de estelionato.

A Polícia Civil informou que vai investigar a participação de outras pessoas no crime.

Fonte Do G1 RN – http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2016/02/pai-e-filho-sao-presos-por-fraude-em-emprestimo-consignado-em-natal.html

Read More
PE – Estelionatária presa em flagrante com documentos falsos

PE – Estelionatária presa em flagrante com documentos falsos

Prisão aconteceu na tarde da última terça-feira enquanto ela tentava retirar um empréstimo no Recife


Baiana de 40 anos portava duas identidades falsas no momento da abordagem. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma mulher de 40 anos foi autuada em flagrante tentando retirar um empréstimo consignado usando documentos falsos, no Centro do Recife. A prisão aconteceu na tarde da última terça-feira e o caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Repressão ao Estelionato (DPRE/Depatri).

Jane Cleide Silva Melo, que nasceu na Bahia, em Salvador, tentava contratar um empréstimo no valor de R$ 8.808,41 em uma agência quando foi abordada, no bairro de Santo Antônio. Ela portava duas carteiras de identidade falsas e foi atuada em flagrante por estelionato.

Fonte http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2016/02/18/interna_vidaurbana,627757/estelionataria-presa-em-flagrante-com-documentos-falsos.shtml

Read More
Analistas consideram arriscado usar FGTS para fazer consignado

Analistas consideram arriscado usar FGTS para fazer consignado
Governo prepara medida provisória que autoriza o trabalhador a empregar parte do fundo como garantia do empréstimo


Utilizar o fundo para contrair empréstimo é desvio de função do FGTS, dizem especialistas.

Para injetar crédito no mercado consumidor, o governo propôs a criação de uma medida provisória (MP) que permitirá o uso de parte do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e da multa rescisória em caso de demissão como garantia para o crédito consignado.

INFOGRÁFICO: Entenda o que é o FGTS e o que pode mudar com a medida provisória

 

TIRA-DÚVIDAS

Entenda o que é o FGTS e o que deve mudar com a Medida Provisória do governo:

 

Segundo o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, a MP, que ainda será votada no Congresso, colocará R$ 17 bilhões no mercado e deverá reduzir o valor das taxas cobradas para trabalhadores da iniciativa privada, hoje em torno de 35,5% ao ano, conforme o Banco Central (BC).

Embora o governo afirme que a proposta tornará o consignado mais acessível, economistas e analistas financeiros discordam e apontam para o risco que esta facilidade representa para o bolso do trabalhador. “Esse é um negócio que só traz desvantagens, porque aumenta o endividamento em caso de demissão ao dar como garantia aos bancos a reserva que se tem com uma eventual perda de emprego”, avalia o professor de Finanças e Crédito do ISAE/FGV Cesar Augusto França Fernandes.

Se aprovada, a medida permitirá o uso da multa rescisória – que corresponde a 40% do fundo – e 10% do saldo do FGTS para contrair a modalidade de crédito, considerada a mais barata do mercado. Como base de comparação, em 2015 o juro médio do cartão de crédito foi de 431%; o do cheque especial de 287%; e o do consignado de 28,8% ao ano, de acordo com o BC.

Para o diretor de economia da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Roberto Vertamatti, a ação proposta pelo governo irá aumentar o crédito para o consumo, mas não resolverá problemas estruturais da economia, como o incentivo à infraestrutura e ao setor produtivo.

“O FGTS foi criado para salvaguardar os trabalhadores, principalmente em um momento de grande volume de demissões. E usar o fundo para a contração de crédito é um desvio de função semelhante ao que vimos 12 anos atrás, quando era possível comprar ações da Petrobras e da Vale com esse dinheiro”, opina.

Cautela
Diante do atual momento da economia do país, Vertamatti aconselha que o uso do FGTS para empréstimos seja considerado apenas em casos extremos de dívidas no cartão ou no cheque especial, ou então para o financiamento imobiliário.

Já o educador financeiro Reinaldo Domingos é enfático e declara que o trabalhador deve fugir desta possibilidade. “O FGTS tem o objetivo de dar uma garantia para o trabalhador se reconstruir e manter os gastos se for demitido. É um dinheiro sagrado.”

Fonte http://www.gazetadopovo.com.br/economia/financas-pessoais/analistas-consideram-arriscado-usar-fgts-para-fazer-consignado-9nkgq3cprpj2m9zpkoghddf0j – Fábio Cherubini

Read More
RN – PF prende mulher por tentativa de fraude contra a CEF em Natal

PF prende mulher por tentativa de fraude contra a CEF em Natal

Prisão aconteceu em uma agência da Zona Norte da capital.

Mulher tentava abrir conta com documentos falsos.


Prisão aconteceu em agência da CEF na Zona Norte de Natal (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

A Polícia Federal prendeu no início da tarde desta sexta-feira (12), na Zona Norte de Natal, uma ajudante de cozinha, de 41 anos, suspeita de utilizar documentos falsos para tentar obter um empréstimo consignado junto a Caixa Econômica Federal.
De acordo com a PF, mulher procurou a Agência Reis Magos, na Av. das Fronteiras, se passando por professora da rede estadual e interessada em abrir uma conta corrente para fazer um empréstimo consignado no valor de R$ 30 mil. Após análise da documentação apresentada, surgiram indícios de que os dados poderiam não ser verídicos e a PF foi acionada.

Instantes depois, policiais federais chegaram ao local e abordaram a mulher que logo confessou o crime. Com ela, foram encontrados diversos documentos falsificados como carteira de identidade, contracheque, comprovante de endereço, dentre outros.

De imediato, a mulher recebeu voz de prisão e foi conduzida para a superintendência da PF. Ao ser interrogada, revelou o seu verdadeiro nome e disse ainda que um homem conhecido “apenas de vista” havia confeccionado os documentos falsos que estavam em seu poder. Em seguida, segundo a suspeita, o homem pediu para que ela se dirigisse até a agência da Caixa e tentasse receber o empréstimo. A presa declarou, também, que a pessoa que lhe contratou havia prometido uma gratificação de 10% do total do empréstimo que ela viesse a receber.

Indiciada nos crimes de tentativa de estelionato e uso de documentos falsos, a mulher encontra-se custodiada na PF, à disposição da Justiça.

Fonte http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2016/02/pf-prende-mulher-por-tentativa-de-fraude-contra-cef-em-natal.html

Read More
RJ – Consignado para quitar duas parcelas do 13º estadual abre dia 15

Consignado para quitar duas parcelas do 13º estadual abre dia 15

A partir da próxima segunda-feira, 15 de fevereiro, serão abertas as operações de crédito consignado especial para a quitação das duas últimas parcelas do 13º salário dos servidores do Poder Executivo do Estado do Rio de Janeiro e dos aposentados e pensionistas do Rioprevidência.

No dia 17 de fevereiro, os servidores que optaram em não recorrer ao crédito terão depositadas em suas contas a terceira parcela, acrescida de 1,93%, a título de indenização pelo não adimplemento do Estado no prazo devido.

Desde 21 de dezembro foram realizados 99.805 empréstimos para a quitação do 13º salário, no valor total de R$ 127 milhões, considerando as operações feitas pessoalmente e nos terminais de autoatendimento.

A quitação da segunda parcela do 13º salário através de linha de crédito consignada especial foi negociada pelo Governo do Estado e não tem qualquer ônus para os servidores. Os interessados devem apenas informar ao banco que desejam realizar a operação relativa ao 13º salário. Os 80% da segunda parcela vêm sendo creditados na conta do servidor e o valor das quatro mensalidades, acrescido de um Custo Efetivo Total (CET), que abrange juros mais taxas, de 1,93% ao mês, estão sendo pagos ao banco pelo Estado.

Esta linha de crédito não tem qualquer impacto sobre as margens consignáveis dos servidores e mesmo aqueles que estejam sem margem ou sejam extraquadros podem fazer a operação. Os servidores também não precisam do token exigido para o crédito consignado, mas têm que solicitar o valor integral que falta a ser pago do décimo terceiro.

Fonte Jornal do Brasil
Fonte http://www.jb.com.br/rio/noticias/2016/02/13/consignado-para-quitar-duas-parcelas-do-13o-estadual-abre-dia-15/?from_rss=None

Read More
Falso servidor do INSS vai à casa de aposentado para dar golpe

Falso servidor do INSS vai à casa de aposentado para dar golpe

Aposentados e pensionistas são alvo de muitos estelionatários que tentam se aproveitar do desconhecimento de segurados para aplicar diversos golpes. Um deles é aplicado na própria casa dos aposentados.

Os golpistas se apresentam como funcionários de bancos ouservidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que estariam promovendo uma fiscalização, e solicitam os documentos do segurado, incluindo o cartão magnético.

Com isso, pedem para o titular confirmar a senha.

Na hora de devolver os documentos, os criminosos trocam o cartão e, geralmente, o aposentado só percebe o golpe quando vai ao banco receber o benefício.

A Ouvidoria Geral da Previdência orienta os segurados a jamais entregar documentos, cartões e senhas a desconhecidos e informa que, em caso de dúvida, as pessoas devem ligar para a central de atendimento 135 ou mesmo para a polícia.

Autora: Andhrea Tavares

Fonte EBC
Fonte http://www.cqcs.com.br/noticia/falso-servidor-do-inss-vai-a-casa-de-aposentado-para-dar-golpe/?utm_source=news-15-02-16&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs

Read More
SP – Aposentado empresta 9,32% mais em 2015

Aposentado empresta 9,32% mais em 2015

Para ajudar a nora, o aposentado andreense de 75 anos, que preferiu não se identificar, precisou pedir empréstimo no ano passado. O valor, por volta de R$ 8.000, foi para completar o montante de R$ 28 mil que sua companheira, a pensionista, que também não quis ter o nome revelado, 75, da mesma cidade, já tinha financiado para a mesma finalidade, com o desconto no benefício da Previdência Social, mas a quantia não era o suficiente.

Situações como esta são cada vez mais comuns. De acordo o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), a demanda por crédito consignado por aposentados e pensionistas das sete cidades cresceu 9,32% no ano passado, quando comparado ao número de contratos assinados em 2014. O levantamento, feito pelo órgão a pedido do Diário, aponta que os beneficiários contrataram 322.428 operações em 2015, o que significa 27.512 a mais do que no ano anterior.

Para se ter ideia do quanto isso representa, o volume de contratos assinados supera o total de aposentados na região, que em janeiro deste ano era de 302.976. Somados ao número de pensionistas, que estava em 115.155, a quantidade de operações feitas no ano passado representa 77% do total de beneficiários. É importante lembrar que não estão na conta os segurados que recebem benefícios de caráter assistencial, como os auxílios, já que esses não têm direito ao consignado do INSS.

Segundo o instituto, o valor total emprestado foi de R$ 1,33 bilhão, quase R$ 40 milhões a mais do que em 12 meses, quando a quantia somava R$ 1,29 bilhão – incremento de 3,09%.

ESTÍMULO – Um dos motivos que colaboraram para o aumento da procura por crédito e do volume financiado é o endividamento da maioria das famílias nos dias de hoje, devido à situação de crise da economia do País, conforme analisa o educador financeiro da DSOP, Edward Claudio Júnior. “O achatamento da renda e a falta de educação financeira acabam ganhando destaque com a turbulência econômica. Isso faz com que a procura por empréstimos comecem a aumentar”, afirma.

O diretor de políticas sociais da Associação dos Aposentados e Pensionistas do Grande ABC, Luís Antônio Ferreira Rodrigues, complementa. “Não é de hoje que o aposentado recebe um salário que não corresponde à realidade de vida à qual ele é submetido. Com a crise, essa situação se agravou. Como se trata de um empréstimo com juros menores do que a maioria, o consignado do INSS acaba parecendo atrativo”, declara Rodrigues.

Os juros do consignado são os menores do mercado, se comparado às modalidades de crédito para consumo disponíveis. No último boletim de operações de crédito do Banco Central, que abrange o período de 21 a 27 de janeiro, as taxas em bancos e financeiras para um empréstimo pessoal variavam de 1,66% a 20,04% ao mês, enquanto as do crédito consignado do INSS saíam de 1,87% a 2,46%. A diferença se dá devido à garantia que se tem de pagamento pelo fato de o desconto da parcela ocorrer diretamente no benefício da Previdência, e ao limite de 30% de comprometimento da aposentadoria ou pensão, que se estende a 35% se houver dívida de cartão de crédito.

Mas, para o diretor de políticas sociais, é um engano achar que se está fazendo um bom negócio ao pedir o empréstimo. “Se com o salário da aposentadoria já é difícil se manter, imagina com o desconto do crédito. Com o valor do benefício menor, o endividamento acaba virando uma bola de neve, e é assim que o indivíduo acaba se afundando no sistema financeiro.”

LIMITE – O aumento do volume da demanda de consignados em 2015 contra 2014, de 9,32%, é menor do que o de 2014 contra 2013, que foi de 17%. Para o educador financeiro, a explicação para crescimento menor no ano passado é que os aposentados e pensionistas estão chegando no limite do endividamento. “Hoje, as instituições financeiras estão muito mais criteriosas para conceder o empréstimo, porque as pessoas já estão com outras dívidas ativas. Apesar de o consignado descontar direto do benefício, se o aposentado não tiver mais dinheiro, ele vai ter que recorrer a outros empréstimos para se manter, e isso se transforma em um ciclo vicioso”, assinala Claudio Júnior.

Segundo a Pesquisa Socioeconômica do Inpes/USCS (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano), a cada quatro famílias da região, uma está com contas em atraso, ou seja, 25,3% do total. Em 2014, eram 21%.

PEDIDO DE FAMILIARES – Para o representante da entidade dos aposentados, por conta dos juros menores, muitas vezes o destino do recurso é para ajudar familiares. “Hoje, o aposentado acaba sendo arrimo de família. Pelas condições mais atrativas do empréstimo, filhos e parentes preferem recorrer a quem pode conseguir crédito consignado do INSS.”

Esse foi justamente o caso do aposentado citado no início da reportagem que, junto da companheira, emprestou total de R$ 36 mil, a pedido da nora. “A gente fica com medo, porque se uma hora a gente precisar para uso próprio, não vai ser possível, porque já atingimos o limite de crédito consignado de cada um”, lamenta.

Fonte https://www.dgabc.com.br/(X(1)S(yypp5yycstcg0q1hc3yq2yot))/Noticia/1747026/aposentado-empresta-9-32-mais-em-2015
Marina Teodoro
Especial para o Diário

Read More
Correspondente Bancário, uma lição de empreendedorismo
Poucos modelos de negócios são tão difíceis de executar e tão arriscados quanto o modelo de Correspondente Bancário no Brasil!

Desde o ano de 2000, no boom do crescimento de correspondentes bancários com a liberação do empréstimo consignado do INSS, desenvolvo software e dou consultoria para correspondentes bancários em todo o Brasil. Um desafio e tanto, considerando a complexidade do negócio que irei tratar com detalhes em outro post.

Eu achava que já tinha encontrado modelos de negócios complexos até começar a atender este mercado.

Produto Brasileiro, o modelo de correspondente bancário já foi exportado para alguns países da África e para a Rússia, que vieram ao país conhecer a dinâmica deste modelo de inclusão bancária.

Em outro momento vou contar a história dos CORBANS ( termo utilizado para Correspondentes Bancários ), já que a intenção é tentar mostrar como é difícil fazer a gestão deste tipo de empresa.

Imagine a seguinte situação: Você vai a uma banco ou a um CORBAN com a intenção de fazer um empréstimo consignado. Chegando lá informa seu CPF, contra-cheque, comprovante disto e daquilo, e o atendente digita as informações no computador e na hora já sai a simulação do crédito que você pode contratar.

Se esta operação for feita no banco, o caixa que te atendeu não conhece as centenas de regras de negócio que envolve cada simulação, ele simplesmente digita e dá a resposta que ler na tela do computador.

Com o correspondente bancário é diferente, ele precisa conhecer todas as regras de negócio ( todas, sem exceção ) pois se ele encaminhar uma proposta onde um único detalhe não atenda a uma única regra de negócio, todo o trabalho será perdido, gerando custos e prejuízos além do descontentamento do cliente, onde muitas vezes reage dizendo:

Por isso que prefiro ir a uma agência bancária!

grafico_1

 

grafico_2

Regras do Negócio

Um CORBAN pode representar mais de um banco, alguns chegam a representar mais de 5 bancos ao mesmo tempo e cada banco define suas regras de negócio para um mesmo produto, como por exemplo, empréstimo consignado para pensionistas e aposentados do INSS.

Então o CORBAN precisa saber todas elas na hora que o cliente senta na sua frente e ainda escolher qual a melhor tabela de juros aplicar pois quanto menor o juro menor será a comissão do CORBAN.

São ações quase impossíveis de serem realizadas com exatidão se o CORBAN não utiliza um bom software. E pasmem, milhares deles não utilizam ou possuem um software que faz tudo isto mas só utilizam o mesmo para cadastro de clientes.

Mas não os culpo por isso, a grande maioria são pequenas empresas onde o dono precisa alimentar esta infinidade de regras no software cada vez que as tabelas mudam e elas mudam a todo momento.

Diferente do banco que possui todo um setor de TI para fazer este trabalho, o CORBAN é responsável por esta configuração gigantesca de variáveis e ainda precisa gerir a empresa, vender, pós venda, resolver conflitos, pendências judiciais e o grande risco que o negócio oferece.

O Risco

Quando um empresário decide criar uma empresa que será Correspondente Bancária de um banco, ele assume um contrato de alto risco, quase leonino, onde o banco quase nunca irá perder e o empresário irá arcar com quase todos os custos da operação além dos prejuízos causados por fraudes e ações judiciais. Isto porque o CORBAN assina um contrato onde ele é responsável por qualquer prejuízo causado por fraudes ou ações judiciais de clientes contra o banco.

Baita negócio para o banco, que não tem braço comercial para operar em todo o Brasil, então utiliza a estrutura do CORBAN e se der algo errado a culpa ( e o prejuízo ) é todo do CORBAN.

Nestes 15 anos atendendo este mercado já vi muitos CORBANs fecharem as portas por causa de ações movidas pelos clientes contra o banco onde teve que arcar com todo o prejuízo ou muitas vezes o banco simplesmente cancelou o contrato de correspondência bancária, deixando o CORBAN de um dia para o outro sem produtos para vender, tendo este que demitir os funcionários e fechar as portas.

Matando um leão por dia

Apesar de clichê, não conheço um segmento de mercado onde esta frase é tão verdadeira!

Na abertura dos empréstimos para o INSS era diferente, como tinha uma demanda reprimida, quase 100% dos clientes que entravam para contratar um empréstimo saíam com a proposta aprovada.

Mas agora não, é uma tarefa inglória pois uma grande parcela dos clientes já está com a margem consignável comprometida ( que é o % sobre o salário que o cliente pode comprometer com empréstimo consignado e não pode passar de 30% ), então ele precisa investir muito em marketing e treinamento de funcionários para ser muito eficiente nas vendas!

Sem vendas, sem comissão!

Pós Vendas

O pós vendas é crucial para o negócio pois é na oferta e venda de mais produtos após a venda inicial onde se concentra boa parte do ganho do CORBAN.

Não é suficiente investir em vendas, ele precisa ser especialista também em pós vendas!

Se ele não tratar bem seu cliente e não cuidar desta relação após a primeira venda, um de seus concorrentes ( e existem milhares ) fará isto e ele perderá o cliente.

Tratar o pós vendas com responsabilidade e talento não é apenas uma citação em uma destas palestras de vendas que vemos por aí.

Para o correspondente bancário é questão de sobrevivência! Meu principal parceiro é meu maior concorrente Isso mesmo!

O banco que o CORBAN representa é seu maior concorrente! E o banco pratica a pior concorrência que existe, a desleal e descarada, sem nenhum remorso. Então você investe muito dinheiro para montar sua empresa, assina o contrato, treina a equipe e quando vê a agência do banco que você representa informa os clientes para não irem na sua empresa e sim fazerem o empréstimo lá mesmo, na agência!

Isso acontece porque uma agência bancária é como se fosse uma pequena empresa dentro do banco. Ela é responsável pelos seus custos, tem metas ( muitas metas, metas insanas de vendas de todo tipo de produto ) e o gerente perde bônus se não cumpre as metas e muitas vezes é transferido ou até mesmo demitido.

Então o que o gerente faz?

Diz para os funcionários da agência não deixar ninguém sair da agência sem contratar um dos produtos que compõem as metas. E para fazer isto ele está disposto a oferecer o mesmo empréstimo que o CORBAN oferece mas com um juro menor.

O CORBAN até possui esta tabela de juros para oferecer, mas se ele fizer isto não ganhará comissão ou ganhará uma comissão muito baixa.

Um exemplo onde o CORBAN faça uma operação de empréstimo no valor de R$ 1.500,00 usando a tabela de menor juros onde a comissão será de 1%.

Ele ganhará R$ 15,00 pela operação!!!

Muitas vezes não paga as ligações que o telemarketing fez para convencer o cliente a ir no CORBAN para contratar o empréstimo.

Mas para o banco a comissão não importa porque o gerente não ganha comissão, o que importa é que a meta daquela agência para a contratação de empréstimos é de R$ 100k e ele fará de tudo para fechar a meta, inclusive trair seu parceiro e braço comercial, aquele que desafoga a agência e evita que os clientes abram reclamações junto ao Banco Central.

O Governo, sempre ele

Quando alguém atua do mercado financeiro no Brasil existe algo que causa arrepios nos empresários

O Diário Oficial da União.

Eu concordo que muitas medidas vieram para preservar o cliente e o direito do consumidor, e estas medidas são louváveis. Mas muitas delas atingiram em cheio o modelo de negócio dos CORBANs e não os bancos.

O tipo de medida que mais afeta o CORBAN é a tentativa do Banco Central ( em sociedade com os bancos ) de controlar o % de comissão que o CORBAN ganha ou a forma como ele recebe a comissão.

E algumas dificultaram o trabalho destas empresas, porém o mercado mostrou que se adapta a este tipo de controle e sempre acha uma forma de manter as regras que o mercado entende que são mais justas.

Um exemplo foi quando os bancos quiseram baixar as comissões dos CORBANs e esqueceram de combinar com um dos bancos do mercado. O resultado foi que a maior parte dos CORBANs migraram para este banco que estava pagando mais e para os demais bancos fio um tiro no pé, pois além de terem que voltar atrás tiverem que investir muito mais para reconquistar estes correspoentes novamente e convencerem eles a trabalharem com seus produtos.

Indestrutíveis

Conheço muitos correspondentes bancários no Brasil que estão no mercado desde o ano de 2000.

Eles passaram por tantas provações, por tantas dificuldades ao longo destes 15 anos que sou propenso a pensar que estes empresários podem hoje montar qualquer tipo de negócio no Brasil que terão sucesso!

São como rochas, firmes nas tempestades! Já vi muitos palestrantes ( ok, não vou citar estes profetas … ) falarem da importância da persistência para uma startup e que o tesouro está a um passo de onde os outros desistiram, e aquela porcaria toda que já conhecemos.

Mas eu tenho dificuldade em acreditar que qualquer um deles resistiria a um mês de dificuldades na gestão de um CORBAN!

É insano, é cruel, é muito injusto e mesmo assim estes empresários estão aí para nos ensinar o que ninguém ensinou para eles. Não existe palestra, ebook ou powerpoint que te ajude neste segmento.

Um correspondente bancário no Brasil é o curso completo de empreendedorismo, MBA, Mestrado, tudo junto! O que aprendi com os Correspondentes Bancários (e ainda estou aprendendo)

 

  • Devemos conhecer o mercado que iremos atuar: muitos CORBANs que entraram no mercado sem conhecer ele, faliram. São muitas variáveis, muitos riscos e um modelo de negócios difícil.

 

  • Contrate um bom advogado: Quando questões jurídicas e contratuais podem quebrar a sua empresa de um dia para o outro, a contratação de um bom advogado é essencial e vital para o negócio. Hoje vejo muitas startups sendo criadas utilizando modelos de contratos sociais copiados da internet, sem a validação de um profissional. Na entrada de sócios investidores o cuidado com a questão contratual é maior ainda.

 

  • Não dependa de um único produto: Correspondentes que não diversificaram seus produtos faliram ou perderam muito dinheiro. Se você está montando uma startup e ela possui apenas um produto, repense seu modelo de negócios. Pense em oferecer algum outro serviço que agregue valor ao seu produto principal, uma consultoria ou até mesmo uma receita proveniente de publicidade. Mas não fique dependente de um único produto, se alguma coisa der errado com este produto você terá toda a sua receita comprometida.

 

  • Automatize e terceirize: Quando os correspondentes se deram conta que teriam que cuidar de toda a questão que envolve a TI e que não tinham como contratar profissionais especializados para isto, eles começaram a automatizar e terceirizar muitas tarefas. Contrataram empresas de software, hospedagem, telemarketing, publicidade e tudo mais que não fosse o core da empresa, vendas. Automatizar é uma boa escolha para reduzir custos e manter a qualidade dos serviços que a empresa oferece. O investimento feito em tecnologia, quando bem executado, se torna um grande aliado da gestão da sua empresa.

 

  • Seu concorrente pode ser seu maior parceiro: Isso mesmo, CORBANs são concorrentes e parceiros de negócios. Quando um CORBAN não possui um determinado produto, ele fecha uma parceria com outro CORBAN que possui este produto e passa a ser seu parceiro comercial. temos muito a aprender com isto, pois dificilmente conseguimos ver uma possibilidade qualquer de parceria com nossos concorrentes, quando na verdade ele pode se tornar nosso maior parceiro de negócios!

 

  • Cuide do seu cliente: Os primeiros correspondentes podem até achado que não precisariam atender bem ou cuidar do relacionamento com seus clientes, mas a história mostra que se não fizermos isto alguém fará. Desde o início do seu negócio tenha em mente como você irá encantar seu cliente, como irá tendê-lo de forma que ele nem cogite a hipótese de ser atendido por seu concorrente. Anos atrás visitei a empresa Embaixador, uma empresa de ônibus do Rio Grande do Sul que faz a linha Pelotas — Porto Alegre entre outras linhas. E conversando com o dono da empresa ele me disse que tinha investido mais de 2 milhões de reais na época ( muito dinheiro ) em novos ônibus, muito mais confortáveis e que iriam compor um novo serviço para a mesma linha Pelotas — Porto Alegre. Este novo serviço iria oferecer aos clientes os ônibus com apenas 3 poltronas largas (ao invés de 4 estreitas ), guia, frigobar com água e refrigerante e salgados. Então perguntei para ele: —Se o sr. possui a concessão da linha e esta concessão vai expirar daqui a 10 anos, porque investir tanto em algo que não possui concorrentes? E ele respondeu: — Daqui a 10 anos quando abrir a linha para novas concessões, ficará tão caro para os concorrentes investirem de uma única vez para se igualarem na qualidade que ofereço hoje, que eles irão desistir e eu continuarei com a concessão da linha.

 

  • Seja forte e persistente: Para quem está começando agora que só ouviu isso em palestras ou em algum livro, não existe lição maior que aquela onde você observa um empresário resistir, ser criativo nas dificuldades, vê ele desenvolvendo formas de proteção e gestão que o impedirão de falir, e então vê este mesmo empresário vencer e se tornar referência no mercado. Na vida real, tudo é muito mais difícil. Transpor uma dificuldade, resolver uma pendência judicial, encerrar um contrato com um parceiro, perder um cliente, tudo é imensamente mais perturbador, desgastante, triste e exigente do que parece ser aquela citação legalzinha que você viu na timeline daquela página motivacional.

Eu aprendi muito! E sigo aprendendo com os correspondentes bancários.

Nos próximos posts vou relatar mais das minhas experiências no desenvolvimento de sistemas para este e outros segmentos, além das minhas experiências com sócios investidores e tudo que envolve esta relação.

Eu realmente acredito que ele possa ajudar alguém, principalmente quem está começando agora, que tem muito talento e ótimas ideias mas não passou por estas situações ainda.

Se você concorda comigo, então compartilhe, comente, critique, para que possamos colaborar com os jovens empreendedores antes que o vírus Zica extermine todos e sobrem apenas os bancos na face da Terra! Daí nada mais fará sentido!

Obrigado por seu tempo, um ótimo trabalho, capriche no seu plano de negócios e sucesso!

Edson Marcelo
www.credinfo.com.br
www.socialcorban.com.br

Read More