Verificar configuraes

Golpista confesso. Essa é a história do administrador de empresas de 22 anos que foi preso há oito dias após ser flagrado com contratos de empréstimo que fez em nome de colaboradores do supermercado em que trabalhava, no bairro Juçara. O rapaz disse à Folha da Região que realmente praticou os golpes e ficou com o dinheiro dos empréstimos, mas ressalvou que não foram 200, como consta na denúncia. Os casos foram descobertos após uma auditoria realizada na empresa.

Na quinta-feira, o jovem disse à reportagem que está arrependido. Ele ficou na cadeia de Penápolis até a tarde de segunda-feira, quando sua família pagou fiança de dez salários-mínimos. Agora, vai responder em liberdade pelo crime de estelionato. Acusado de ter aplicado mais de 200 golpes desse tipo, ele confirmou, no entanto, a autoria de 13 pedidos falsos de empréstimo, gerando uma “receita” de cerca de R$ 13 mil, uma média de R$ 1 mil por cada.

Segundo o jovem, a ideia de dar o golpe nasceu depois que ele viu um de seus superiores fazendo esses empréstimos. Funcionário do supermercado desde 2008, ele foi promovido a assistente de Recursos Humanos em 2010. Alega que começou a aplicar os golpes em maio deste ano. Ele disse que pelo mais cinco pessoas faziam parte do “esquema” e que recebeu informações de colegas de que mais pessoas do supermercado teriam sido demitidas na última semana.

EMPRÉSTIMOS
Segundo ele, os empréstimos são feitos pelo próprio supermercado a funcionários que não tenham ainda 40% de seus salários comprometidos com vales ou outras despesas. Como funcionário do RH, ele tinha acesso aos dados dos funcionários. Usava isso para fazer os empréstimos, se apoderava do dinheiro e, por meio de uma senha, quitava o débito no sistema interno. Com isso, o empregado cujo nome aparecia no empréstimo nem ficava sabendo disso e o estabelecimento arcava com o prejuízo.

Fonte http://www.folhadaregiao.com.br/ – EDUARDO FONSECA

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.