Verificar configuraes
Seguradora contempla Corretores com viagem para Barcelona

Seguradora contempla Corretores com viagem para Barcelona


A Zurich segue inovando e valorizando o Corretor que trabalha junto à companhia.
Este ano, a companhia está oferecendo aos corretores parceiros: uma semana inteira em Barcelona. O grupo embarca rumo à Espanha em 2 de abril e retorna ao Brasil na semana seguinte, no dia 9. Márcio Benevides, Head de Distribuição Brasil, ressalta a importância deste evento para reforçar vínculos com os parceiros, estreitar laços e impulsionar novos negócios. “Não há dúvidas de que os corretores desenvolvem papel vital para o desenvolvimento, amadurecimento e evolução do mercado de seguros.”, aponta o executivo. “Propiciar esse encontro por alguns dias é uma forma de valorizar, agradecer, reconhecer e celebrar a próspera parceria”.

A viagem faz parte da Campanha “Vou com a Zurich” que irá apresentar as belezas da cidade espanhola para os Corretores que se destacaram em 2016. Tudo foi cuidadosamente pensado para propiciar uma vivência única aos convidados da Zurich, que desfrutarão de uma semana personalizada repleta de passeios. Entre as atrações, que prometem encantar os corretores, estão visitas a algumas das obras primas do mundialmente famoso arquiteto catalão Antoni Gaudí e aos principais pontos turísticos da cidade, como Museu Picasso, Bairro Gótico e estádio Camp Nou.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/seguradora-contempla-corretores-com-viagem-para-barcelona

Read More
Youse alega que a presença do Corretor encarece o Seguro

Youse alega que a presença do Corretor encarece o Seguro

A Youse ainda desperta polêmica.

Recentemente o Corretor Rogério Rodrigues acessou a plataforma para fazer a simulação de um seguro e usou os dados do seu próprio veículo. No fim do procedimento, para sua surpresa, um atendente da seguradora disse que a Youse oferece um seguro mais barato porque não faz uso do trabalho dos corretores.

“Comentei sobre o valor ofertado por eles que é mais barato, foi quando o atendente justificou o custo, respondendo que eles não trabalham com Corretor”, contou.

Rogério relatou ainda que ficou chateado e surpreso com a forma que o representante da seguradora apresentou a justificativa sobre o valor mais em conta. “Deu a entender, não em termos claros, mas que o responsável pelo custo do seguro é o Corretor”.

Durante o processo, o Corretor alegou que não conseguiu identificar informações importantes como, a cobertura ideal, caso o veículo fosse utilizado para Uber. Percebendo que o site é razoável para quem possui um conhecimento prévio sobre seguros. Mas uma plataforma perigosa para uma pessoa leiga no setor.

Segundo o Corretor, sua intenção ao fazer a simulação era, inicialmente, conhecer o site e seu funcionamento. Mas confirmou que irá continuar visitando a plataforma e fazendo cotações com a Youse. “Vou criar um hábito de ficar fazendo cotações no site. Naturalmente eles terão um custo pela confirmação do seguro e no custo operacional, ao ponto de se tornar inviável esse tipo de negócio”, afirmou.

Rogério acredita que o melhor passo para evitar esse tipo de comentários é realizando uma divulgação e tornar público que não existe vilão no preço. Para ele, o custo do seguro varia conforme muitas questões, como o aumento de roubos e fraudes.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/youse-alega-que-presenca-do-corretor-encarece-o-seguro

Read More
Conheça passo-a-passo para evitar cancelamento de débito automático

Conheça passo-a-passo para evitar cancelamento de débito automático

Algumas estratégias fazem toda diferença na hora de evitar o cancelamento do débito automático dos clientes. Foi pensando nisso que a equipe da Valle Corretora de Seguros personalizou um modelo de correspondência para alertar os seus segurados.

À frente da Valle Corretora de Seguros, Carlos Valle considera que a melhor forma de se evitar o problema é a administração pessoal. Por isso, a equipe de sua Corretora desenvolveu um modelo de correspondência baseado em um informativo distribuído pelas seguradoras.

O modelo foi personalizado com o nome da Corretora, telefone e endereço e é repassado aos clientes para evitar maiores transtornos. Valle afirma que a correspondência tem alertado os segurados sobre o pagamento e facilitado o trabalho do Corretor.

“Fazemos a orientação no corpo do email que iremos enviar aos clientes e anexamos um passo-a-passo de como ele deve proceder junto ao banco para autorizar o débito”, destacou.

A equipe do CQCS teve acesso ao modelo de correspondência e está disponibilizando aos Corretores interessados para que possam experimentar junto aos seus clientes.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/conheca-passo-passo-para-evitar-cancelamento-de-debito-automatico

Read More
Seguradora aprimora serviço e aproxima segurado de Corretor

Seguradora aprimora serviço e aproxima segurado de Corretor


Foram implantadas melhorias no acompanhamento online do sinistro Auto Fácil do Grupo Bradesco Seguros. A partir de agora terceiros também podem acompanhar o andamento do processo pelo site www.bradescoseguros.com.br, e seguir os passos: clicar em central de sinistro; na aba “seguro auto”; em “acompanhe um sinistro”, depois em “sou terceiro” e se identificar com os números dos avisos de sinistros: primeiro do segurado e depois com o número do seu processo.

Também estão disponíveis para terceiros upload de documentos, acesso ao orçamento, histórico do acompanhamento, relação dos documentos pendentes, dados da oficina e os contatos do despachante.

Enrico Ventura, Diretor Executivo de Auto/RE do Grupo Bradesco Seguros, diz que o Sinistro Auto Fácil permite ao Grupo Segurador aprimorar a qualidade do serviço e aproximá-los (segurado e corretor) ainda mais da marca Bradesco Seguros. “Buscamos melhorias contínuas em serviços que agreguem cada vez mais valor e qualidade, garantindo a satisfação de quem mais importa: o cliente”, explica.

Sobre o Grupo Bradesco Seguros

O Grupo Bradesco Seguros, conglomerado segurador da Organização Bradesco, lidera o mercado de seguros brasileiro, com atuação em âmbito nacional nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta. Em 2016, o Grupo Segurador registrou faturamento de R$ 71,4 bilhões – evolução de 10,5% sobre o ano anterior. Há cerca de uma década, o Grupo Bradesco Seguros vem sustentando crescimento médio anual na casa de dois dígitos, mantendo market share em torno de 25%. Seu volume de provisões técnicas atingiu R$ 223,3 bilhões em d ezembro de 2016.

Fonte CQCS – https://www.cqcs.com.br/noticia/seguradora-aprimora-servico-e-aproxima-segurado-de-corretor

Read More
Saiba como utilizar o WhatsApp para alavancar sua Corretora

Saiba como utilizar o WhatsApp para alavancar sua Corretora


O WhatsApp está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas. O aplicativo é um canal indispensável para o profissional que busca um contato mais íntimo e vem ganhando força na divulgação de trabalhos e no fechamento de negócios no Mercado de Seguros.

Corretor de Seguros há 10 anos, Daniel Neves afirma que o Whatsapp impactou diretamente no desenvolvimento dos negócios. “O Whatsapp hoje é uma das principais ferramentas de comunicação entre a nossa Corretora e o cliente. Desde a venda até o pós-venda, o relacionamento com o cliente ficou mais fácil e mais pessoal”.

“O canal deu mais agilidade e estreitou as relações com os clientes. É normal hoje não conseguirmos falar com o cliente por ligações e conseguirmos falar com ele por whatsapp. O whatsapp não é inoportuno. Você pode contatar o cliente a qualquer momento que ele poderá visualizar a hora que ele puder te responder”, disse Daniel.

Daniel é proprietário da Corretora Roberto Seguros e destacou algumas vantagens que estão presentes no aplicativo e que vem auxiliando no desenvolvimento da Corretora:

– Podemos fornecer cotações e informações a qualquer momento, o que fideliza clientes.

– É possível conversar com vários clientes de uma só vez, o que aumenta a rapidez do atendimento se comparado a um atendimento telefônico.

– A plataforma também representa um dos custos mais baixos de investimento em atendimento.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/saiba-como-utilizar-o-whatsapp-para-alavancar-sua-corretora

Read More
Plataforma inovadora na venda de Seguros inicia cadastro de Corretores

Plataforma inovadora na venda de Seguros inicia cadastro de Corretores

Agora, Corretores, seguradoras e clientes podem interagir através de uma plataforma 100% online. Na nova plataforma a compra do seguro pelo usuário acontece pelo celular, mas com a presença de um Corretor para mostrar o funcionamento e auxiliar o público. A thinkseg iniciou nesta semana o cadastramento dos corretores para atuarem no seu marketplace, um espaço online onde seguradoras, clientes e corretores estarão presentes.

“Nosso objetivo é atingir mil profissionais qualificados nesta primeira fase. É que chamamos de corretores apaixonados pelo formato de inovação proposto pela thinkseg. O Corretor é o nosso principal personagem”, diz o CEO da thinkseg, André Gregori.

Em pouco menos de um mês, cerca de 200 corretores de todo Brasil já efetuaram o cadastro na plataforma mobile. “Temos recebido um retorno muito positivo dos corretores. Eles veem o aplicativo e a plataforma thinkseg como uma maneira de se digitalizarem e acompanharem a inovação, bem como se defenderem da venda direta ou não tradicional”, explica o CEO da thinkseg.

O Corretor que deseja se cadastrar na plataforma, deve entrar na home page www.thinkseg.com. No site, ele irá perceber um espaço destacado “seja um corretor “. Após clicar nesta aba, ele deve iniciar o preenchimento do cadastro com dados pessoais.

Com o cadastro finalizado, a etapa seguinte é baixar o app thinkseg através da loja virtual do seu smartphone. No momento, o aplicativo está disponível apenas para celulares com android, mas em breve, aparelhos com sistema IOS também poderão acessar. No aplicativo, será necessário preencher alguns campos com informações pessoais para a definição da senha de acesso.

A partir da plataforma 100% mobile, o Corretor estará sendo protagonista de um processo de “digitalização do corretor”, considerado um importante influenciador da plataforma. “Queremos auxiliar o corretor que não está ambientado com a tecnologia. Além disso, vamos qualificar os corretores com pontos para indicá-los às pessoas que não tiverem corretor”, diz Gregori.

Segundo Gregori, o modelo de contratação thinkseg vai apoiar o corretor no uso da tecnologia para que ele aumente sua rentabilidade e fique satisfeito com o modelo inovador da plataforma 100% mobile.

O Seguro Auto thinkseg poderá ser contratado em minutos pelo celular. Após o download do app thinkseg no mobile, ele passa a captar informações referentes à maneira que o motorista dirige, por meio da tecnologia da telemática.

Enquanto o condutor estiver no veiculo, o app verifica a velocidade do motorista, a maneira como ele freia, acelera, quantas vezes avança um sinal vermelho ou muda de pista, e quantas vezes lê mensagens e fala no celular enquanto está dirigindo.

Estas informações coletadas irão beneficiar as pessoas conscientes no trânsito. Atualmente, o Mercado de Seguros nacional tem mais ou menos 75% de bons motoristas que pagam pelas infrações de outros condutores. Todo o setor faz uma medição do grupo de risco. Para a thinkseg, o risco individual é o que vale.

Com o APP thinkseg, os motoristas prudentes pagarão menos por seus seguros e terão benefícios, uma forma de criar mais motoristas conscientes no trânsito.

Sobre a Thinkseg

Primeira plataforma 100% mobile que acompanha o jeito do motorista dirigir no Brasil. A thinkseg não é uma corretora. A thinkseg não é uma seguradora. Na start-up de seguros thinkseg, clientes e corretores fazem tudo pelo celular. Por ser uma start-up na área financeira (fintech de seguros), não está ligada a grandes instituições. O resultado disso é a independência na tomada de decisões, com agilidade, sem enrolação para a solução dos problemas. Todas as etapas que envolve o Seguro Auto são acompanhadas, de modo transparente, pelo mobile

Sobre André Gregori:

CEO da Thinkseg. Em 2010, iniciou o negócio de Seguros como sócio do BTG Pactual, criando desde o zero a BTG Pactual Seguridade que alcançou o valor de mercado de aproximadamente R$ 3,2 bilhões até 2016, quando Gregori deixou o Banco para se dedicar ao projeto da primeira seguradora totalmente mobile no Brasil, a thinkseg. Antes de passar pelo BTG Pactual, já havia iniciado a Fator Seguradora, permanecendo nela até 2010, quando se tornou a empresa mais rentável do grupo Fator.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/plataforma-inovadora-na-venda-de-seguros-inicia-cadastro-de-corretores

Read More
Corretor não pode ser incluído em processos movidos contra as seguradoras

Corretor não pode ser incluído em processos movidos contra as seguradoras

Muitos consumidores de seguros têm dificuldades de compreender qual a diferença entre o corretor de seguros e a companhia seguradora. E essa compreensão equivocada, às vezes, pode fazer com que o corretor personifique a própria seguradora, o que entendemos não ser correto. É comum, por exemplo, nos processos judiciais movidos por clientes, que o corretor seja incluso indevidamente.

Inclusive tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei de autoria do deputado Lucas Vergílio, que tem o objetivo de impedir que os processos movidos por segurados contra as seguradoras incluam os corretores no polo passivo, respondendo conjuntamente por eventuais condenações. Pelo projeto, a solidariedade passiva não poderá ser invocada pelo segurado, ou aceita pelo juiz, em ações de pagamento de sinistros, indenizações e ressarcimentos de valores contratuais. Também não será aceita em questões sobre o cumprimento de condições e cláusulas contratuais firmadas, ou sobre a intermediação do negócio.

O deputado, na justificativa do seu projeto de lei, afirma: “É uma questão bem simples para o entendimento correto, qual seja, as sociedades seguradoras quando aceitam a subscrição de riscos e, na ocorrência de sinistros, é incumbência exclusivamente delas, a realização da regulação do sinistro (análise da documentação exigida), e o correspondente pagamento das indenizações e ressarcimentos, das garantias contratadas, o que, nesse caso, constitui relação jurídica única (sociedade seguradora e segurado)”.

Reforçamos que, ao corretor de seguros cabe angariar e promover contratos de seguros, realizando somente a intermediação de negócios, conforme a Lei no 4.594/64, prestando ao segurado o necessário assessoramento técnico. Já às sociedades seguradoras autorizadas a operar, cabe aceitar as propostas de seguros intermediadas pelos corretores de seguros, a subscrição do risco, e emitir as apólices de seguros, ou até mesmo declinar da aceitação do risco, com o cancelamento do negócio.

O Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de Santa Catarina, no papel de entidade representativa dos profissionais corretores de seguros, entende ser de extrema importância a aprovação deste projeto de lei na Câmara Federal, para extinguir este equívoco jurídico que vem ocorrendo, por falta de entendimento do consumidor e pela ausência de previsão legal neste sentido.

A aprovação do Projeto de Lei em curso, não isenta o Corretor de Seguros, que na sua atividade pode cometer erros ou falhas que possam lhe imputar a responsabilidade por eventuiais danos aos seus clientes. Assim lembramos a importância da contratação de Seguro de Responsabilidade Civil do Profissional Corretor de Seguros, o qual dará respaldo a eventuais ações por parte dos clientes. O SINCOR-SC oferece condições especiais dessa cobertura para os associados. As informações completas podem ser acessadas no site www.sincor-sc.com.br na aba “Convênios”.

Auri Bertelli

Presidente do SINCOR-SC

Fonte Sincor-SC
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/corretor-nao-pode-ser-incluido-em-processos-movidos-contra-as-seguradoras

Read More
Seguradora investe cerca de R$ 100 milhões para melhorar o dia a dia dos Corretores

Seguradora investe cerca de R$ 100 milhões para melhorar o dia a dia dos Corretores


A Seguradora fez uma série de inovações para agilizar os processos internos que sustentam o crescimento e facilitam o dia a dia das pessoas. A Companhia investe anualmente cerca de R$ 100 milhões em melhorias e sistemas que incluem gastos com a atualização da infraestrutura básica (como armazenamento de dados, rede, servidores e telefonia) e o desenvolvimento de ferramentas e novidades.

De acordo com Adilson Lavrador, Diretor Executivo de Operações, Tecnologia e Sinistros da Tokio Marine Seguradora, o principal projeto desenvolvido em 2016 foi o serviço de Apólice Digital, que tornou a companhia 100% digital. “A iniciativa foi finalizada com a reestruturação de todos os cadastros e documentações da carteira de Produtos Pessoa Jurídica, beneficiando também corretores e clientes desse segmento”, afirmou.

Ele acrescentou ainda que a digitalização promove uma série de vantagens, como o acesso às apólices no Portal Nosso Corretor, no Portal Autoatendimento (segurado) e nos aplicativos mobile do Corretor e do Cliente. Em linha com a estratégia de ser uma empresa totalmente digital e contribuir tanto com os Corretores e Clientes como com a sociedade de uma forma sustentável, outro projeto realizado em 2016 que teve impacto nessa meta foi o de integração com sistemas de multicálculos e plataformas de corretoras, também seguindo uma tendência do mercado segurador.

O sistema de solicitações de cotações também foi renovado com o objetivo de aprimorar a navegação na ferramenta e aumentar a produtividade do processo. “A ferramenta, disponível no site institucional da Tokio Marine, proporciona diversas facilidades, como segunda via e atualização de boleto (para pagamento atrasado), segunda via de apólice, cartão on-line com todas as informações da apólice, do item segurado e telefones das assistências, (para ver e imprimir), aviso e acompanhamento de sinistros (Auto e Residencial), entre outras conveniências”, explica Lavrador.

Fonte CQCS | Sueli Santos
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/seguradora-investe-cerca-de-r-100-milhoes-para-melhorar-o-dia-dia-dos-corretores

Read More
Mercado de benefícios: Corretor deve ficar atento aos novos modelos de negócios

Mercado de benefícios: Corretor deve ficar atento aos novos modelos de negócios

 


Durante o 9º Congresso dos Corretores de Minas Gerais que aconteceu na cidade de Contagem, Leonardo Freitas, Diretor de Mercado da Bradesco Seguros, chamou atenção dos Corretores para os produtos de Vida e Previdência. Ele lembrou que o país tem quase 10 milhões de consumidores potenciais para vida e previdência.

Além disso, Freitas falou também do mercado de benefícios para PME´s. “O setor de benefícios teve uma evolução considerável e as PME’s podem oferecer benefícios aos funcionários como forma de reter talentos”, destacou. O dirigente falou que o Corretor de Seguros faz o equilíbrio entre os interesses da empresa e os interesses do empregado. “Há novos modelos de negócios e a oportunidade para o Corretor está em entregar ao cliente uma proposta de valor”, afirmou.

Fonte CQCS | Sueli Santos
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/mercado-de-beneficios-corretor-deve-ficar-atento-aos-novos-modelos-de-negocios

Read More
Projeto de lei multa banco que vender Seguros

Projeto de lei multa banco que vender Seguros

O projeto de lei da senadora Rose de Freitas do PMDB- ES, publicado na Agência Senado no dia 03 de março, revela que incluir consumidores sem autorização em promoções de bancos pode se tornar crime. Conforme a matéria publicada pelo portal, o texto (PLS 33/2017) prevê a proteção dos consumidores contra dívidas causadas por produtos que não foram solicitados.

Para Sergio Ricardo, executivo do mercado de seguros, a prática da “empurrologia” é uma das maiores besteiras comerciais a que uma empresa pode recorrer. “A prática funciona como isca para os desavisados e pouco esclarecidos, literalmente ‘queimando o filme’ das instituições e quase sempre significando um péssimo negócio para o consumidor”.

Segundo o advogado, Gilberto de Jesus, a prática de cobrar de cliente o preço de um seguro sem que o mesmo tenha solicitado é ilegal, proibida pelo Código de Defesa do Consumidor. “É importante criminalizar a conduta. O consumidor que pagou por produto ou serviço não solicitado deve receber o que pagou em dobro, e ainda pode pleitear indenização por danos morais na esfera judicial”.

O consumidor deve estar atento às condições de vendas, e não se deixar levar pelo preço baixo ou comodidade. Conforme Gilberto, a contratação de um seguro deve ser feita através de um Corretor. “Contratar um seguro por banco, sem a orientação de um profissional capacitado é um ato de muita coragem. Todo seguro ofertado deve ter o Corretor”.

Sergio acredita que a iniciativa parlamentar é reflexo da insatisfação do consumidor de seguros e da sociedade. “A única forma de proteção do consumidor é evitar esse tipo de promoção ou, se for atraído por ela, questionar, pedir informações, documentos, contratos ao limite da exaustão”.

O executivo revela ainda a importância de conhecer o produto que está contratando e de ser assessorado pelo Corretor de Seguros. “Seguro é um serviço. Assim, é necessário conhecer as suas características antes de contratar e ter a quem perguntar para tirar dúvida”.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/projeto-de-lei-multa-banco-que-vender-seguros

Read More
Startup fintech: uma nova proposta de serviços financeiros

Startup fintech: uma nova proposta de serviços financeiros

Que tal a sua próxima conta bancária ser oferecida por uma startup fintech? Se ainda não está por dentro da nova proposta de serviços financeiros, vamos apresentá-la para você e explicar por que é a melhor opção ao microempreendedor individual (MEI)

RICARDO CAPUCIO
ADVOGADO, ESCRITOR, EMPREENDEDOR E FUNDADOR DA CONTA.MOBI
Você sabe o que é startup? E fintech o que é?A união das duas palavras de origem estrangeira constrói um termo que ganha evidência também no Brasil: a startup fintech.

Estamos falando de serviços financeiros oferecidos por negócios de base tecnológica. São empresas que conquistam espaço no mercado com uma proposta diferenciada e que, não por acaso, tem caído no gosto especialmente do público mais jovem.

Neste artigo, vamos explicar o que é uma startup fintech e que tipo de facilidades ela oferece, da conta digital ao cartão de crédito. Também abordaremos as principais diferenças para os bancos, justificando por que esse tipo de empresa é mais vantajosa para um MEI.

Acompanhe a leitura, fique por dentro dessa novidade e descubra tudo sobre as fintech brasileiras, uma nova proposta de serviços financeiros.

O que é startup fintech?
Maior eficiência por um preço mais baixo. Quem não gostaria que seu banco fosse assim? Pois essa é uma característica das startups fintech, modernas empresas que aliam tecnologia e finanças.

Não por acaso, elas vêm causando uma verdadeira revolução em todo o mundo, desafiando e colocando dúvidas sobre um sistema bastante antigo e tradicional.

Mas é um tanto precipitado vê-las como inimigas dos bancos, especialmente porque as semelhanças até existem em alguns dos serviços oferecidos, mas desaparecem na forma como isso acontece.

O que marca as fintechs é a atuação online. Exclusivamente pela internet, as empresas conseguem realizar o que um banco faz, mas de forma única: com tecnologia de ponta e por um custo bastante inferior, o que se justifica pela estrutura bem mais enxuta.

Em todo o mundo, conforme dados da empresa de pesquisa Venture Scanner, eram mais de 1.400 startups fintech no início de 2016. No Brasil, há muitos casos famosos e com milhares de usuários fascinados pela experiência de gestão online do dinheiro.

Desde a administração da conta bancária até a solicitação de empréstimo, passando pelo controle do cartão de crédito, nada mais precisa ser realizado presencialmente. Basta estar conectado à internet, até mesmo pelo celular.

É ou não uma proposta que tem tudo a ver com mentes mais jovens e antenadas?

Quais serviços oferece?
As startups fintech que já atuam no Brasil são uma bela amostra de que não existe limite para elas. É possível, a partir delas, ter acesso a todo o tipo de serviço financeiro. Vamos conhecer alguns deles:
Conta bancária digital: todos os serviços oferecidos por bancos tradicionais, com recursos extras.
Cartão de crédito: sem tarifas e sem anuidade para compras à vista e a prazo.
Microsseguros: para automóveis, motocicletas, empresas, residências, seguro de vida e seguro viagem.
Empréstimos: para pessoas físicas e jurídicas, com taxas de juros mais baixas.
Investimentos: como aplicar seu dinheiro com segurança e rentabilidade.
Gestão de benefícios: pagamentos de alimentação, refeição e combustível.
Soluções em recebimentos para empresas: cobranças em cartões de crédito, débito online e boleto.
Máquina de cartão de crédito: com conexão à internet e gerenciamento por aplicativo.
Controle financeiro pessoal: aplicativo organiza as finanças e fica conectado à conta corrente e ao cartão de crédito.

Como funcionam essas empresas?
São muitos serviços oferecidos em condições diferenciadas, por um custo inferior e agregando as vantagens da tecnologia de ponta. Como isso é possível?
Diferentemente de um banco tradicional, uma fintech não precisa de milhares de funcionários e agências físicas espalhadas pelo país, pois têm funcionamento eletrônico. Por isso, seus custos são menores.

Já a eficiência encontra razão na parceria com a tecnologia. Essas startups têm na inovação um modo de operação e ela aparece na forma como os usuários vivenciam a experiência financeira.

Mais detalhes interessantes sobre a forma como as fintechs funcionam estão no relatório FintechLab. Segundo a publicação, a revolução por elas provocada no mercado se explica por quatro razões principais:

1. Desenho centrado no usuário
O termo remete à maneira como a solução oferecida é desenhada. Isso significa que muitas fintechs tem na forma como se relacionam com o usuário seu principal diferencial. Conforme o documento, desenhar serviços centrados em pessoas exige pesquisa, empatia, co-criação e metodologia.
Essa estratégia desperta o interesse também dos bancos tradicionais. O presidente do Itaú, Roberto Setúbal, declarou em evento no ano passado que os clientes desejam maior velocidade. “Sem dúvida é uma mudança grande, onde o cliente está no centro da proposta”, afirmou.
2. Serviços inovadores
A proposta é de reversão do foco: em vez de o objetivo central estar na geração imediata de receita imediata, opta-se por atender a necessidades latentes do usuários, como a gestão financeira.
3. Eficiência
Uma característica que torna os processos mais eficientes em uma startup fintech é base a tecnológica consistente, com plataformas modernas e com armazenamento de informações na nuvem. Tudo isso reduz seu custo de operação e o tempo para a tomada de decisões.
4. Blockchain
A tecnologia blockchain é utilizada para validar e certificar operações financeiras em ambientes invioláveis devido à sua alta criptografia, o que garante a privacidade e segurança das informações. Não é por acaso que tem despertado interesse também dos bancos tradicionais.
Startup fintech são seguras?
Essa é um receio comum, talvez até capaz de postergar a adesão dos mais experientes à nova proposta de serviços financeiros. Afinal, são anos e anos de convivência com o sistema dos bancos tradicionais. Como encontrar a mesma segurança em um celular?
Se você tem essa dúvida, pode ficar tranquilo. É incomparável o nível de proteção oferecido em uma transação eletrônica com o ato de carregar dinheiro em espécie para ir ao banco, por exemplo.
Além disso, se você tem conta bancária, certamente a instituição que a oferece disponibiliza canais online para consulta de saldo, transferências e pagamentos. Se você já acha que o internet banking, da forma como conhece, é um ambiente seguro, saiba que a tecnologia encontrada nas fintechs amplia essa proteção.
No tópico anterior, acabamos de falar sobre um das razões. A tecnologia blockchain é uma das responsáveis por tornar seguras as operações realizadas por fintech.
E o melhor: a indústria de segurança da informação está permanentemente buscando criar alternativas de tornar o meio digital definitivamente inviolável a práticas criminosas. O esforço é contínuo e já produz um ambiente bem menos ameaçador do que as ruas da sua cidade.
Startup fintech x bancos
De início, quando surgiram as primeiras startups fintech, o tom de concorrência com os bancos era mais elevado do que é hoje.
Atualmente, ao mesmo tempo em que a tecnologia diferencia a nova proposta, estimula uma aproximação de quem está há mais tempo no mercado. Afinal, é preciso fugir do conservadorismo para não perder clientes.
Uma prova vem da pesquisa da Goldman Sachs, divulgada pela Revista Época no ano passado: 33% dos millennials (termo que define jovens nascidos entre 1980 e 2000) acreditam que não vão precisar de um banco em cinco anos e metade espera que seus serviços sejam prestados por startups.
Neste vídeo, o vice-presidente de Markets do Itaú Unibanco, Caio David, fala sobre o impacto das fintechs sobre os bancos.
Mas o foco das fintechs não está apenas serviços bancários. Como veremos a seguir, em exemplos de startups brasileiras já atuantes, todo o tipo de solução financeira já tem entre aqueles que as oferecem um representante de base tecnológica.
Exemplos de startup fintech brasileiras
O relatório FintechLab mapeou no Brasil mais de 130 iniciativas de startups atuantes no setor financeiro por aqui. Elas foram divididas em 10 categorias:
Pagamentos
Gerenciamento Financeiro
Empréstimos e Negociação de Dívidas
Investimento
Funding
Seguros
Eficiência Financeira
Segurança
Conectividade
Bitcoin/Blockchain.
As três primeiras categorias são as que concentram o maior número de empresas: 31% oferecem pagamentos, 18% focam no gerenciamento financeiro e 16% atuam na concessão de empréstimo e negociação de dívidas.
Outra características das fintechs brasileiras reveladas pelo relatório é que 31% delas são direcionadas exclusivamente para o consumidor final, 27% para empresas e 42% atendem ambos os públicos.
Também segundo o levantamento, em 2015, a cada 10 fintechs, três tiveram faturamento superior a um milhão de reais. No conjunto, a receita bruta dessas empresas seria equivalente ao resultado operacional do 16º banco que mais fatura no país e que, em 2015, arrecadou R$ 173 milhões.
O FintechLab cita, entre os cases de sucesso no país, as seguintes empresas: GuiaBolso, ContaAzul, Bank Fácil, Stone, Nubank, Asaas, Kitado, Vindi, Intoo, Biva, Geru, Eqseed, FoxBit e CloudWalk.
A conta.MOBI é também uma das fintechs brasileiras, oferecendo a conta digital mais vantajosa ao microempreendedor individual. Pelo computador ou aplicativo, é possível realizar pagamentos e transferências, consultar o saldo, planejar-se financeiramente e emitir boletos de cobrança.
7 razões das fintech serem mais vantajosas para o MEI
Ainda na dúvida? Reunimos agora as principais razões para afirmar porque as fintechs oferecem as mais vantajosas soluções para um MEI. Perceba pelas características em comum que é quase um casamento perfeito.
Descomplicação: tudo se resolve de forma online
Custo baixo: as menores tarifas para a melhor solução de suas demandas
Segurança: ambientes criptografados afastam possíveis intrusos
Flexibilidade: no celular, tablet ou computador, basta estar conectado para utilizar os serviços
Autonomia: com soluções focadas no usuário, é tudo do seu jeito, assim como é na sua empresa
Eficiência: a proposta compreende oferecer o melhor resultado sem perda de tempo
Suporte: atendimento personalizado por diferentes canais.
Qual o futuro das startups fintech?
Quem tentou responder essa pergunta foi o FintechLab, que estabeleceu ao final do relatório algumas possibilidades.
Uma das mais interessantes se refere à internacionalização das empresas, com o aumento de investimentos externos. É bom destacar que 77% delas buscam parceiros e 30% estão se preparando para o mercado internacional. Qual será a nossa primeira fintech a faturar milhões do outro lado da fronteira?
Melhor organização institucional das fintechs, maior atuação tecnológica dos bancos e o aumento na participação de grandes empresas nesse mercado são outras projeções.
Neste vídeo, você confere uma entrevista com Fábio Ullmann, consultor do setor financeiro da IBM Brasil, que aborda justamente o futuro das fintechs
Conclusão
Neste artigo, apresentamos um pouco sobre o mundo das startups fintech, empresas que aliam finanças e tecnologia e que vem conquistando o mercado com sua proposta diferenciada.
Para quem precisa de soluções financeiras de baixo custo e alta eficiência, vale se informar mais sobre as opções disponíveis no mercado nacional e experimentar na prática as suas vantagens.
Certamente, essa é uma demanda que se encaixa no perfil do MEI. E foi especialmente para esse público que a conta.MOBI surgiu. Tornar mais fácil a vida de quem tem um negócio a gerir é uma missão com a qual a tecnologia muito pode contribuir.
Que tal deixar o futuro entrar na sua empresa?

Fonte http://www.otempo.com.br/interessa/tecnologia-e-games/startup-fintech-uma-nova-proposta-de-servi%C3%A7os-financeiros-1.1450702

Read More
Presença do Corretor é imprescindível para as operadoras de telefonia oferecerem seguro

Presença do Corretor é imprescindível para as operadoras de telefonia oferecerem seguro


O estudo realizado em 2016 pela Kantar Worldpanel apontou que nove em cada dez brasileiros já tem um celular. A crescente adesão de smartphones pela população brasileira aumentou a procura por seguros. Em razão desta procura, algumas seguradoras vêm firmando parcerias com operadoras de telefonia, visando facilitar o processo de contratação do serviço.

O advogado e especialista em seguros, Gilberto de Jesus, acredita que é uma tendência do mercado segurador, as seguradoras fecharem parcerias com operadoras. “Acredito que isso se torne ainda mais comum, tendo em vista, que as operadoras possuem um canal de vendas massificado, por conta disto, os serviços e produtos atingem um maior número de pessoas”.

O advogado ressalta ainda que a comercialização de seguros pelas operadoras é possível, desde que, a instituição de varejo mantenha o convênio com as seguradoras e apresente a autorização da SUSEP. “As operadoras podem comercializar seguros, desde que elas tenham um contrato com a seguradora e tenha a assessoria de um Corretor de seguros para prestar toda a assistência técnica às operações”.

Durante a contratação de um seguro, seja ele qual for, é imprescindível a presença de um Corretor de Seguros. “Se a operadora disponibilizar todas as informações ao consumidor não haverá problemas”. O advogado considera ainda que o Corretor possui uma formação específica para prestar esclarecimentos relacionados a sua atividade.

Fonte CQCS | Juliana Leite – https://www.cqcs.com.br/noticia/presenca-do-corretor-e-imprescindivel-para-as-operadoras-de-telefonia-oferecerem-seguro

Read More
Corretor: saiba se vale a pena ter um produtor

Corretor: saiba se vale a pena ter um produtor


No “Pare e Pense” dessa semana, o diretor executivo do CQCS, Gustavo Doria Filho, discute um assunto que é tema recorrente nos grupos de whatsApp administrados pelo CQCS: ter ou não ter produtor?

Doria diz que essa é a dúvida existencial de muitos corretores, mas é preciso levar muitos fatores antes de tomar essa decisão. “Usar o produtor para aumentar volume de prêmio da corretora não vale a pena. O produtor tem de ser alguém que agregue valor que seja uma extensão da sua corretora”, sugere.

Além disso, ele alerta para um fator importante: “o produtor é corretor habilitado? Se não for, pode ter um problema aí”, diz. Doria lembra ainda que para vender seguros é preciso ter formação. “Produtor que não é corretor não garante ao corretor a qualidade na distribuição”, diz. E um outro detalhe que o corretor que decide trabalhar com produtor deve pensar é o aspecto trabalhista: “se você tem alguém vendendo seguro pra você todo dia, você tem um vinculo trabalhista. Ter alguém vendendo pra você é mais sério do que você imagina”, alerta.

Isso para não falar de outros problemas que um produtor pode trazer como uma fraude. O corretor precisa estar atento ao fato de que nesse caso, isso coloca em risco a sua habilitação e reputação. “O corretor deve discutir se vale a pena ter produtor e qual produtor. O ideal um distribuidor que fosse habilitado, cadastrado como preposto ou remunerado com a corretagem e que estivesse alinhado com a filosofia da corretora”, sugere.

Ele lembra ainda que o produtor pode ser um corretor em início de carreira interessado apenas em montar a sua própria corretora. “Se for assim, é preciso combinar antes para que um dia o corretor não se sinta traído porque o produtor sumiu com toda a sua carteira”, alerta.

Assista o vídeo na integra e acesse nosso canal e se inscreva.

Fonte CQCS | Sueli Santos – https://www.cqcs.com.br/noticia/corretor-saiba-se-vale-pena-ter-um-produtor/?utm_source=news-23-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=2e562b61c3-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_23&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-2e562b61c3-15123961

Read More
Como duas corretoras, que teoricamente deveriam ser concorrentes, podem se ajudar?

Como duas corretoras, que teoricamente deveriam ser concorrentes, podem se ajudar?


Aconteceu na ultima quinta-feira, 16/03, o primeiro encontro entre as corretoras Projacseg e Shelter.

A ação idealizada e realizada pela Kuantta Consultoria consiste em que os gestores das duas corretoras façam uma palestra um para o time da outra.

Jader Bastos foi à Shelter e fez a sua apresentação durante quase duas horas com perguntas e respostas no final.

Os assuntos abordados, além da história e da evolução da Projacseg nos 20 anos de existência, foram: a evolução do mercado de seguros e o papel do corretor, a concorrência e como devemos nos preparar para enfrentar e o que fazer para continuarmos crescendo em um cenário de mudança.

Na próxima terça, 21/03, é a vez da Shelter enviar o seu representante para ir falar para a equipe da Projacseg.

Arley Boullosa, sócio fundador responsável pela estratégia e área comercial da Shelter, também fundador da Kuantta, seguirá o mesmo formato e irá falar sobre como surgiu a corretora, qual o seu modelo de negócio, como está vendo o mercado e perspectivas para 2017 e 2018.

A iniciativa busca a troca de experiências entre as duas empresas e mostrar que existe uma nova forma de fazer negócios e crescer: a colaboração entre corretores.

A Kuantta irá repetir a ação com outras corretoras porque acredita que ficou para trás aquela velha história que corretores são concorrentes e não devem se ajudar.

Fonte Arley Boullosa Shelter
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/como-duas-corretoras-que-teoricamente-deveria-se-concorrentes-podem-se-ajudar/?utm_source=news-21-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=7db2c7f514-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_21&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-7db2c7f514-15123961

Read More
Banco que empurrar para seus clientes seguros não solicitados pode ser penalizado

Banco que empurrar para seus clientes seguros não solicitados pode ser penalizado


A prática de cadastrar um consumidor em programas promocionais de bancos sem autorização pode virar crime. Por exemplo, empurrar seguros ou cartões de crédito, para “atingir metas”. Isto é o que prevê o projeto de lei da senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) estabelece pena de detenção de um a seis meses ou multa. A ideia é proteger os consumidores contra débitos causados por produtos que não foram solicitados.

O texto também torna nulos os débitos gerados por cadastramento desse tipo. Segundo a senadora, muitas vezes esses programas promocionais geram prejuízos aos consumidores sem que eles sequer saibam que foram cadastrados Para ela, criminalizar a conduta do cadastramento sem autorização pode coibir esse tipo de ação por parte das instituições financeiras.

O texto está na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), onde será analisado em decisão terminativa. Isso significa que o texto pode ir direto para a Câmara se for aprovado na comissão e não houver recurso para a análise pelo Plenário.

Fonte Agência Senado via Sincor-RS
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/banco-que-empurrar-para-seus-clientes-seguros-nao-solicitados-pode-ser-penalizado/?utm_source=news-21-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=7db2c7f514-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_21&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-7db2c7f514-15123961

Read More
Susep defende união do mercado para combater seguro pirata

Susep defende união do mercado para combater seguro pirata


Susep não consegue combater as empresas de seguro pirata sozinha. Joaquim Mendanha, superintendente da Susep, diz que a assumiu a direção da autarquia ele disse que tem dado prioridade ao encaminhamento de processos contra o mercado marginal para o Ministério Público Federal. “A Susep tem suas limitações jurídicas”, diz ele.

Mendanha alerta que é importante o empenho do mercado em combater o problema. Para isso, ele disse que pretende conversar com o presidente da Federação Nacional dos Corretores (Fenacor), Armando Vergílio, e com Márcio Coriolano, presidente da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg) para que todos enfrentem juntos o problema. “O mercado precisa encontrar uma solução definitiva para o problema porque é preciso proteger o consumidor que, sem proteção nenhuma, busca essas empresas de proteção veicular”, alerta.

Fonte CQCS | Sueli Santos
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/susep-defende-uniao-do-mercado-para-combater-seguro-pirata/?utm_source=news-20-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=575cbd6bee-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_20&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-575cbd6bee-15123961

Read More
Os preços dos seguros dos carros mais vendidos do país

Os preços dos seguros dos carros mais vendidos do país


Levantamento da corretora de seguros online Minuto Seguros simulou preços médios das apólices para cinco capitais. Veja a diferença

Os valores dos seguros dos carros mais vendidos do país podem partir de 1.549 reais, valor médio do seguro do Novo Fox em Curitiba, e podem chegar a até 4.057 reais, preço médio do seguro do HR-V no Rio de Janeiro.

Essas informações fazem parte de um levantamento realizado pela corretora de seguros online Minuto Seguros, que simulou os preços médios das apólices dos veículos líderes de venda para cinco capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Curitiba).

Para fazer a simulação, foi considerado o perfil de cliente homem de 35 anos e casado. O valor da cobertura contra terceiros contratada seria de 100 mil reais e as cotações foram feitas nas seguintes seguradoras: Azul, AIG, Allianz, Bradesco, HDI, Itaú, Liberty, Sompo Seguros, Mapfre, Mitsui, Porto Seguro e Tokio Marine.

As informações sobre os carros mais vendidos são da Federação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Fenabrave), referentes ao mês de fevereiro de 2017. Confira abaixo os valores médios dos seguros dos carros mais vendidos do país.

Fonte Exame
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/os-precos-dos-seguros-dos-carros-mais-vendidos-do-pais-2/?utm_source=news-15-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=a53e5aa3e0-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_15&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-a53e5aa3e0-15123961

Read More
Roubo de automóvel durante a vistoria: De quem é a responsabilidade?

Roubo de automóvel durante a vistoria: De quem é a responsabilidade?


A noticia publicada ontem (15) sobre o carro que foi furtado durante a vistoria do seguro em Vitória, levantou um questionamento entre os leitores: De quem é a responsabilidade neste caso? Para entender os fatos, o CQCS entrou em contato com o advogado Gilberto de Jesus que exemplificou as duas situações possíveis.

No caso, o carro de uma analista de mercado foi roubado durante uma vistoria do seguro. De acordo com testemunhas, a vítima estacionou o veículo, desceu e encontrou com vistoriador. Minutos depois, dois criminosos chegaram e os renderam. Não se sabe ao certo o local em que a analista foi rendida, o que acaba dificultando os esclarecimentos.

Conforme Gilberto de Jesus, “pelo relato, presume-se que o veículo e o condutor encontravam-se em via pública, em direção ao local da vistoria. Neste caso, difícil se atribuir culpa à oficina pelo crime, pelo simples fato de estar o interessado pelo seguro conduzindo o veículo para a vistoria”.

“Se o veículo e o condutor estavam dentro do recinto da oficina, ou em local de propriedade controlado pela mesma, é possível se atribuir culpa à oficina, e também à seguradora, porque ambas estavam em fase pré-contratual, visando prestação do serviço”, considerou o advogado.

O Corretor Eduardo Aranda, acredita que nesta situação, existe uma relação entre seguradora e segurado, de acordo com o código do consumidor. “Ao entrar em um estabelecimento, o cidadão deve ser protegido pela seguradora ou pelo dono do estabelecimento. Se a proposta da vistoria foi emitida, e a seguradora indicou um lugar, o cliente confiou e foi. Não cabendo ao segurado esta responsabilidade”.

A Delegacia de Furtos e Roubos e Veículos (DFRV) está investigando o caso e até o momento ninguém foi preso.

Fonte CQCS | Juliana Leite
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/roubo-de-automovel-durante-vistoria-de-quem-e-responsabilidade/?utm_source=news-16-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=f5a2841fca-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_16&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-f5a2841fca-15123961

Read More
Concorra a R$ 15 mil para acelerar o seu negócio

Concorra a R$ 15 mil para acelerar o seu negócio


Começar um negócio próprio não é uma tarefa fácil. Empreender é uma jornada muito gratificante, mas também de muitos tombos, desafios e noites mal-dormidas. Mas você não precisa passar por tudo isso sozinha. Existem centenas de mulheres, que, como você, estão começando uma empresa, e que podem ser suas aliadas nessa jornada. Por isso criamos o grupo do Mulheres Seguras no LinkedIn.

Lá você vai poder trocar ideias com empreendedoras de todo o Brasil e contar com a consultoria da Viviane Duarte, fundadora do site Plano Feminino. Ficou interessada? As participantes que mais se engajarem no grupo até abril podem ganhar prêmios de até R$ 15 mil para alavancarem seus negócios.

Saiba como participar:

Para concorrer ao prêmio, você precisa primeiro entrar no grupo do LinkedIn do Mulheres Seguras e ter um cadastro ativo no Mulheres Seguras. Podem participar mulheres maiores de 18 anos que tenham um projeto de negócio próprio.
Cem mulheres do grupo receberão, de fevereiro a abril, uma consultoria de negócios particular com a Viviane Duarte: tudo pelo InMail do LinkedIn.
No final da ação, as 20 empreendedoras mais engajadas com a consultoria participarão de um encontro presencial realizado pelo Mulheres Seguras, em parceria com o Plano Feminino, no dia 12 de maio em São Paulo.
Neste encontro, serão anunciadas as três empreendedoras premiadas. Quem tiver as melhores ideias de negócios e o melhor desempenho durante a ação será premiada com R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil, de acordo com a sua colocação.
O que você está esperando para trocar experiências com outras empreendedoras e ter a chance de começar o negócio dos seus sonhos mais rápido? Confira o regulamento completo da ação, e inscreva-se no grupo do Mulheres Seguras no LinkedIn aqui.

Fonte DESENVOLVIMENTO PESSOAL / Por Mulheres Seguras
Fonte http://mulheresseguras.com.br/concorra-a-15-mil-para-acelerar-o-seu-negocio/?utm_source=newsletter201703&utm_medium=email&utm_campaign=news201703

Read More
Mulheres têm produção maior que homens na Porto Seguro

Mulheres têm produção maior que homens na Porto Seguro

No dia internacional das mulheres, o Sincor-SP fez uma homenagem por intermédio das corretoras. A entidade reuniu cerca de 300 mulheres no Villa Country, um espaço de shows e eventos da cidade.

Alexandre Camilo, presidente do Sincor-SP, e a diretoria preparou uma tarde onde as corretoras pudessem ter um dia de congraçamento. Ele destacou que a mulher tem ganhado espaço de destaque junto ao consumidor e à instituição seguro seja nas seguradoras ou corretoras. “Cabe ao Sincor-SP exaltar o papel que a mulher vem cumprindo na sociedade e, principalmente, à corretora que ajuda a divulgar a proteção do seguro”, afirmou.

Boris Ber, vice-presidente da entidade, destacou que o bonito do evento, além da homenagem às mulheres, é o clima de congraçamento. “Corretor de seguros é a única profissão em que os concorrentes fazem confraternização, trocam informações, isso não acontece em outras profissões”, diz ele.

Simone Martins, vice-presidente do Sincor-SP, e única mulher na diretoria, destacou a importância da mulher no mercado segurador e seu orgulho em participar dele. “A mulher vem tendo um destaque no mercado de seguros. Fico lisonjeada por representar a mulher na executiva do Sincor-SP e me orgulho bastante de ser corretora”, destacou.

Raquel Gomes, da Comissão Feminina da entidade, afirmou que há uma busca diária pela igualdade de direitos e o reforço do papel da mulher no mercado de seguros.

Das corretoras presentes, muitas vieram de cidades do interior, das regionais do Sincor-SP, como Piracicaba, Ribeirão Preto, entre outras.

A mulher no mercado de trabalho

O presidente da Porto Seguro, Fábio Luchetti, esteve presente no evento falando sobre o potencial da mulher no mercado de seguros. Apresentando dados e estudos, ele disse que a mulher é o equilíbrio da família e da sociedade. “Há muito mais mulheres ativas na sociedade do que mostram as estatísticas”, afirmou.

Luchetti lembrou que hoje muitas mulheres deixam de trabalhar para cuidar dos filhos ou dos pais idosos. “Infelizmente vivemos em um país que não está preparado para proporcionar uma velhice amparada”, analisou. Ele citou ainda o fato de que a mídia, na maior parte das vezes, não contribui para desconstrução de estereótipos.

Para o presidente da Porto Seguro, a característica feminina de conciliar diversas áreas da vida é uma vantagem profissional para as mulheres. “Hoje as coisas acontecem ao mesmo tempo. Se hoje trabalhamos até os 60/65 anos de idade, viveremos até os 90 e precisaremos encontrar formas diferentes de trabalhar para ter nosso sustento”, disse.

Ele destacou ainda que as mulheres têm um viés mais ético e são mais confiáveis para negociar. Ele revelou ainda que na Porto Seguro, as corretoras tem uma produção 20% maior que os homens. “Isso não quer dizer que devemos pagar uma comissão maior a elas” brincou. Luchetti disse ainda que na seguradora que dirige, a maior taxa de renovação está com elas. Por isso, ele sugeriu que o Sincor-SP desenvolva um projeto especial que estimule a formação de um número maior de mulheres corretoras de seguros.

Fonte CQCS | Sueli Santos
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/mulheres-tem-producao-maior-que-homens-na-porto-seguro/?utm_source=news-09-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=2ab74af7d9-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_09&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-2ab74af7d9-15123961

Read More