AL – MP investiga denúncia de falta de repasse de empréstimo de servidores em Maribondo

AL – MP investiga denúncia de falta de repasse de empréstimo de servidores em Maribondo

A promotoria do Ministério Público Estadual (MPE/AL) do município de Maribondo irá investigar denúncia de a ausência do repasse às instituições financeiras e bancárias pelo Município em face dos empréstimos consignados dos servidores públicos.

Na portaria, publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (26), o promotor Marlissson Andrade relatou a necessidade de apurar a representação encaminhada pela Câmara de Vereadores do município.

“Considerando a gravidade dos fatos denunciados e a necessidade de apurar o débito existente entre o Município de Maribondo e as instituições bancárias e financeiras nacionais, no que concerne ao repasse dos valores de empréstimos consignados dos servidores públicos, bem como o prejuízo para a Municipalidade, em face de ações de danos morais decorrentes desse atraso e consequente negativação dos nomes dos servidores nos órgãos de proteção ao crédito”.

O promotor solicitou ainda que sejam requisitados ao prefeito do município informações e documentos acerca dos fatos apontados.

Fonte http://conexaopenedo.com.br/2016/09/mp-investiga-denuncia-de-falta-de-repasse-de-emprestimo-de-servidores-em-maribondo/

Read More
Sorocaba/SP – Consignados para aposentados crescem 150%

Sorocaba/SP – Consignados para aposentados crescem 150%

aposentados_2
O número de aposentados e pensionistas que contrataram empréstimo consignado na região de Sorocaba, de janeiro a agosto deste ano, cresceu 150% em relação ao mesmo período de 2015, segundo dados do Ministério da Previdência Social. Até o mês passado, a região contabilizou 428.305 consignados, ante 170.736 de janeiro a agosto do ano anterior. Em valores, os empréstimos aumentaram 59% de um período para outro. Os aposentados e pensionistas da região somaram R$ 994.352.532,19 em consignados até agora. O acumulado dos oito primeiros meses de 2015 foi de R$ 625.276.988,49.

Os meses com maior contratação de consignados na região foram março e agosto. Apenas em março, 65.641 aposentados ou pensionistas tomaram R$ 156.224.378,90 em empréstimos. Já em agosto, foram 61.820 pessoas, que contrataram R$ 141.627.909,32. Neste mesmo mês, em 2015, foram tomados 17.845 empréstimos, que somaram R$ 74.858.591,01. A região de Sorocaba possui 20 agências do INSS, em Apiaí, Boituva, Cabreúva, Capão Bonito, Guapiara, Itapetininga, Itapeva, Itararé, Itu, Piedade, Pilar do Sul, Porto Feliz, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sorocaba 1 e 2, Tatuí e Votorantim. A redução da renda dos aposentados e pensionistas, devido a reajustes anuais que ocorrem abaixo da inflação, é o que está por trás do avanço do empréstimo consignado, avalia o presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Sorocaba (Apenso), José Raimundo Queiroz Melo. “Os aumentos que têm acontecido das aposentadorias são mínimos e cada vez mais vão tirando a condição de vida das pessoas.” Segundo ele, os medicamentos mais caros e a inflação sobre os alimentos levam os idosos a se endividarem.

O aumento da busca pelo consignado também se deve às taxas de juros elevadas dos empréstimos comuns, segundo o economista Sidney Oliveira, delegado do Conselho Regional de Economia (Corecon). “O consignado, por sua vez, por ter risco menor, muitas pessoas acabam recorrendo”, comenta. As dificuldades financeiras de familiares, que é um reflexo do desemprego e endividamento, também tem seu peso. “Essa faixa de aposentados dificilmente pega empréstimo para si próprio. Pegam para filhos, netos”, observa Oliveira.

Reclamação

Os dois consignados tomados pelo aposentado Reinaldo Duarte foram para socorrer os filhos. No ano passado, ele havia feito o primeiro empréstimo. O outro, ele fez em fevereiro. “Os filhos estavam em dificuldade e os pais acabam se sacrificando para socorrer. É mais fácil de pegar, a taxas de juros são relativas”, diz Duarte. No entanto, ele avalia que a medida seja uma armadilha, porque acaba amarrando a renda do aposentado. “Oferecem muita facilidade e você acaba ficando preso”, segundo o aposentado, embora ele não tenha ultrapassado o limite de 30% para adquirir o empréstimo.

O prazo longo de quitação, que acaba gerando taxas de juros elevadas, é um problema, na opinião do aposentado Djalma Catarino de Souza. Ele já havia tomado consignados anos atrás e conseguiu pagar tranquilamente. Desta vez, ele reclama do tempo prolongado para pagar. “Eu achei muito demorado o parcelamento. São 97 meses. Antigamente, eram 48 meses.” O aposentado pegou R$ 4 mil para fazer uma pequena reforma em casa.

Fonte http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/731564/consignados-para-aposentados-crescem-150
Anderson Oliveira

Read More
São Carlos/SP – Com a crise, procura por empréstimo consignado sobe 62% em São Carlos

São Carlos/SP – Com a crise, procura por empréstimo consignado sobe 62% em São Carlos

aposentados_1

Com a crise, muitos idosos têm recorrido ao crédito consignado para ajudar a complementar a renda e pagar contas. Em São Carlos (SP), a procura por esse tipo de crédito aumentou 62% e, em São João da Boa Vista, 61% de janeiro a julho deste ano em relação ao mesmo período de 2015. Em Araraquara, a alta foi de 51%, em Rio Claro, de 35%, e, em Araras, de 21%. Dono de uma instituição financeira em São Carlos, Bento Carlos Roque contou que desde fevereiro deste ano a procura por empréstimo consignado aumentou 40% por vários motivos, entre eles pagamento dívidas, viagens, reforma na casa e, na maioria das vezes, para evitar as altas taxas de juros dos bancos. “O cartão de crédito é o vilão do mercado, com juros que chegam a 500% ao ano. No consignado você tem uma taxa de 53%, 60% ao ano. Ele te dá a opção de ter um crédito barato, um prazo longo para pagar e realmente resolver o seu problema financeiro”, explicou. Em outra instituição financeira da cidade, a procura por esse tipo de crédito subiu entre 30% e 50% em relação ao mesmo período do ano passado, ressaltou a proprietária, Tatiana Terense Garcia.Ajuda na renda A dona de casa Iracy Novaes de Oliveira é aposentada, mas o que recebe não cobre todas as despesas e apenas neste ano já fez vários empréstimos. “O custo de vida está caro, então não tem como eu ficar sem dinheiro”, contou. A vendedora Julia Fernanda de Oliveira faz salgados para vender, uma forma de complementar a pensão que recebe do marido, que morreu há 10 anos. Ainda assim, ela não tem conseguido manter a casa onde vivem mais seis pessoas. Para não atrasar e mesmo deixar de cumprir com as obrigações, a vendedora recorre ao empréstimo consignado. “Sempre me ajuda muito bem porque é um dinheiro extra que entra para ajudar a pagar conta de água, de luz, alimentos para a casa”, disse. Mas nem todo mundo pode contar com essa forma de empréstimo. Por ser um crédito que desconta as parcelas do salário ou benefício, a opção está liberada para funcionários públicos, pensionistas, aposentados pelo INSS e trabalhadores com carteira assinada ou se a empresa tiver convênio com um banco, e os especialistas recomendam que as prestações mensais não sejam maiores que 30% do salário ou benefício.

Fonte http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2016/09/com-crise-procura-por-emprestimo-consignado-sobe-62-em-sao-carlos.html
Fonte http://www.jornalfloripa.com.br/noticia.php?id=565006

Read More
Pagando juros altos, consumidor tem acesso a empréstimo até sete vezes maior que o salário

Pagando juros altos, consumidor tem acesso a empréstimo até sete vezes maior que o salário

juros

Levantamento da Proteste Associação de Consumidores alerta que instituições financeiras têm oferecido crédito de forma desenfreada, o que pode levar a dívidas impagáveis

As linhas de crédito mais caras do mercado, o cartão de crédito e cheque especial são as de mais fácil acesso ao consumidor, apesar dos juros, ultrapassarem 400% ao ano, no caso do cartão. Pesquisa da Proteste Associação de Consumidores, alerta que o crédito caro e emergencial está sendo concedido de forma desenfreada. Segundo a Proteste conseguir no mercado empréstimos em várias instituições bancárias é fácil e pode tornar uma dívida impagável. O valor do empréstimo pode ser até oito vezes maior que o a renda mensal do consumidor.

Levantamento da instituição avaliou três perfis reais de consumidores com renda entre R$ 3 mil e R$ 10 mil. No caso do consumidor com renda de aproximadamente R$ 10 mil foi constado conta corrente em sete bancos, o que lhe garantiu crédito total aprovado de mais de R$ 213 mil. Desse valor, R$ 76 mil podem ser usados em um único mês. “Basta gastar o limite de todos os cartões de crédito e usar o cheque especial de todos os bancos”, explica a Proteste.

No modelo de empréstimo avaliado, o valor do empréstimo precisa ser pago integralmente no mês seguinte para evitar juros de atraso e rotativo, por exemplo. “Sendo a dívida quase oito vezes maior do que o salário, é praticamente impossível pagá-la. É aí que a dívida vai se tornar impagável, principalmente diante do aumento do desemprego, queda da renda e persistência da inflação”, reforça a instituição.

Em outro caso avaliado pela Proteste, o consumidor possui uma renda entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, levamos em consideração que a renda é desse consumidor é de R$ 4 mil e só o banco Itaú disponibiliza para ele R$ 32 mil, entre cartão de crédito, cheque especial e crédito pré-aprovado. O crédito é oito vezes superior à renda.

“O crédito pré-aprovado já está na conta, não precisa de autorização, e o consumidor acaba sendo fisgado pela facilidade e se enrola facilmente”, afirma Renata Pedro, técnica da Proteste . Mas não é só dos bancos a responsabilidade de se evitar os altos níveis de endividamento. “Os bancos precisam oferecer crédito consciente, mas também é dever do consumidor ter um orçamento equilibrado e não gastar mais do que deve”, destaca Renata.

Para evitar a bola de neve a Proteste orienta a nunca ultrapassar 30% da renda mensal com parcelas; pagar o total da fatura do cartão de crédito até a data do vencimento;

rever os gastos e fazer cortes quando necessário; evitar fazer compras que não são urgentes; e nunca gastar mais do que se tem. Para isto é importante fazer planejamento mensal se possível com auxílio de uma planilha.

Fonte http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/09/20/internas_economia,805994/pagando-juros-altos-consumidor-tem-acesso-a-emprestimo-ate-sete-vezes.shtml

Read More
Vai tirar um empréstimo consignado? O que considerar:

Vai tirar um empréstimo consignado? O que considerar:

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.
Crédito consignado é aquele com desconto na folha de pagamento. Em tempos de aperto, saiba os cuidados antes de tomar este empréstimo:

– Não empreste o nome a terceiros. Em quase metade das vezes, o dinheiro não volta. Isso deveria ser até proibido, defende a Associação Brasileira de Educadores Financeiros.

– Mesmo com taxas baixas, não é empréstimo de graça. Se tomar R$ 1 mil emprestados, vai pagar R$ 250 só em juros por ano.

– Se achar taxas de juros mais baixas já com o empréstimo em andamento, transfira para outra instituição financeira. É o que chamamos de portabilidade.

– Considere que pelo tempo das parcelas, vai receber menos do salário do mês. O desconto do pagamento é feito antes de liberar o pagamento do trabalhador.

Fonte http://wp.clicrbs.com.br/acertodecontas/2016/09/20/vai-tirar-um-emprestimo-consignado-o-que-considerar/?topo=52,1,1,,171,e171

Read More
RJ – Servidores e pensionistas estão sem margem para empréstimos

RJ – Servidores e pensionistas estão sem margem para empréstimos

Há casos relatados em que o funcionário foi avisado pelos gerentes das instituições financeiras nas agências de que ele está com a margem consignável negativada pelo estado

Rio – Não bastasse o atraso dos salários que atormenta a vida do funcionalismo estadual nos últimos meses, servidores e pensionistas têm sido surpreendidos ao tentarem pegar empréstimos com desconto em folha nos bancos. Há casos relatados à coluna em que o funcionário foi avisado pelos gerentes das instituições financeiras nas agências de que ele está com a margem consignável negativada pelo estado mesmo sem nenhum contrato assinado para ter o crédito na conta.
http://ejesa.statig.com.br/bancodeimagens/ad/ih/o8/adiho84wqot1qinpoidyg5xu8.jpg
Além de atraso no salário, servidores estão sem margem para pegar empréstimos
Reprodução
Muitos servidores apelam para o empréstimo consignado por conta do atraso nos vencimentos. E fazem do consignado, que têm juros mais baixos, a tábua de salvação para poder honrar os compromissos.

Questionada pela coluna, a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag) reconheceu que ocorreram situações de negativação. A pasta informou que “devido à publicação do Decreto 45.563, de 27 de janeiro de 2016, que reduziu a margem consignável a 30% da remuneração do servidor, foram realizados ajustes no Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH), que ocasionaram alguns problemas no cálculo das margens”.

A secretaria esclareceu, no entanto, que “os problemas foram corrigidos na folha de junho e, desde então, não foi verificada qualquer reclamação”.
RECLAMAÇÃO FORMAL

A pasta orientou os servidores que tiveram problemas a procurarem o Setor de Recursos Humanos de seu órgão de origem. A secretaria informou ainda que caso alguém tenha dúvidas sobre a margem consignável deve fazer reclamação formal no RH, “que encaminhará a solicitação à pasta”. “Caso esteja errada, a Seplag verificará e corrigirá no sistema”, informou por nota.

ATO NA PREFEITURA

Os médicos da rede municipal de Saúde de Duque de Caxias, na Baixada, aprovaram fazer atos públicos em frente à sede da prefeitura e unidades de atendimento. As manifestações ocorrerão, caso o resultado da audiência com o prefeito Alexandre Cardoso e representantes da Secretaria de Saúde não atenda às reivindicações dos servidores.

SALÁRIO PARCELADO

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinMed/RJ), que apoia o movimento dos médicos de Caxias, os salários estariam sendo parcelados e o município não teria implantado o Planos de Cargos e Salários. Os servidores querem ainda auditoria nas contas do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Duque de Caxias (IPMDC).

NOMEAÇÃO E POSSE

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) vai reunir na próxima terça-feira com o chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso. Na pauta: nomeação e posse de 284 oficiais de cartório e 84 papiloscopistas formados na Acadepol e que aguardam convocação para trabalhar. O sindicato quer urgência no aproveitamento dos 400 investigadores aprovados no concurso de 2005.

Fonte http://odia.ig.com.br/economia/2016-09-18/coluna-do-servidor-servidores-e-pensionistas-estao-sem-margem-para-emprestimos.html
O DIA

Read More
Aposentados vão poder aumentar os benefícios

Aposentados vão poder aumentar os benefícios

Proposta para reforma da Previdência que será enviada ao Congresso por Michel Temer prevê dois tetos do INSS e contribuição para sistema de capitalização
Rio – A reforma da Previdência possibilitará a quem já é aposentado receber benefício maior considerando contribuições feitas após a concessão da aposentadoria, criando uma espécie de desaposentação (que é a troca do benefício por outro mais vantajoso).


Rosamarie Ferreira, 65 anos, tem uma barraquinha de essências no Largo do Machado. Com a renda, ela complementa a aposentadoria
Maíra Coelho / Agência O Dia
A proposta que será enviada ao Congresso pelo governo Michel Temer também vai permitir que trabalhadores que ganham acima do atual teto previdenciário (R$5.189,82), tenham um valor similar ao que recebem em atividade. O projeto de reforma prevê ainda a implementação de um segundo teto do INSS, cujo valor seria de R$ 8.800.

Para que isso ocorra, tanto os aposentados quantos os trabalhadores da ativa terão que contribuir além do teto atual para um regime capitalizado que seria criado com a reforma, segundo informou ao DIA Leonardo Rolim, da Consultoria de Orçamentos e Fiscalização Financeira da Câmara dos Deputados (Conof/CD), que elaborou o documento com as diretrizes das mudanças nas regras da Previdência que o presidente Michel Temer quer aprovar.

“Esse modelo faz parte de mudanças estruturais na Previdência para tornar o sistema viável”, avalia Rolim.

O mecanismo é parecido com o que o governo implementou para servidores que ingressaram no serviço público a partir de 2013. Para ganhar o mesmo salário quando se aposentarem, vão ter que contribuir para um fundo de previdência. Do contrário, ficarão limitados ao teto do INSS.

A aposentada Rosamarie Ferreira, 65, se preocupa com as mudanças. Mas aceitaria pagar percentual para o benefício melhorar. Para complementar o que ganha, ela montou barraquinha de essências artesanais no Largo do Machado e tira semanalmente R$ 200. “Dependendo do valor, eu pagaria. Mas não acredito que isso vá acontecer”, diz.

Já o aposentado Alzelino Silva, 73, vê com desconfiança a proposta. Ele não acredita que ganharia valor a mais no benefício se fizesse a capitalização que está na proposta de reforma da Previdência. “Não entendo mais nada que essa política faz. Parece que quanto mais velhos ficamos, menos ganhamos”, reclama. E complementa: “Não pagaria nem um centavo a mais. Já paguei muito”.
Novo modelo vem de outros países

Em outros países, diz Leonardo Rolim, o sistema de capitalização da Previdência, em estudo para ser implantado no Brasil, já existe e conta com três camadas de contribuição.

De acordo com o consultor pela proposta que será apresentada, o trabalhador que recebe até 6 salários mínimos continuaria com o mesmo sistema de contribuição simples e obrigatória de 11%, sendo o teto para esta faixa R$ 5.189,82.

Nesse novo sistema seria criada capitalização obrigatória para quem recebe além do teto e limitado a dez salários mínimos (R$8.800). Esse regime de capitalização da Previdência seria controlado pelo Estado, mas gerido pela iniciativa privada, não só pela Caixa Econômica Federal. Nele, trabalhador e empregador poderiam negociar em qual instituição financeira poderia ser aplicado o dinheiro recolhido. Os bancos e instituições teriam que seguir exigências e dar garantias ao governo para poder ser gestor do dinheiro da contribuição do trabalhador.

Já para quem recebe acima de R$ 8.800 a contribuição seria facultativa, ou seja, é possível não aderir ao sistema de capitalização.

“O trabalhador não contribuiria acima do excedente. Seria como é hoje em dia na Previdência complementar”, aponta.

“A capitalização seria obrigatória para quem recebe de R$5.189,92 a R$ 8.800. Dessa forma o trabalhador contribuiria mais, mas garantiria um benefício maior”, defende o ex-secretário de Previdência.

Fonte http://odia.ig.com.br/economia/2016-09-18/aposentados-vao-poder-aumentar-os-beneficios.html
MARTHA IMENES

Read More
Rio deve quitar nesta sexta repasses de consignado

Rio deve quitar nesta sexta repasses de consignado

itau_bradesco

 

O Estado do Rio vai quitar nesta sexta-feira, 16, metade dos repasses atrasados de operações de crédito consignado tomadas por seus servidores nos bancos, conforme apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. O débito total em aberto supera os R$ 500 milhões e corresponde aos meses de março e abril, quando as contas do governo fluminense foram afetadas por arrestos. Enquanto isso, o Amapá começa a preocupar as instituições financeiras ao completar o segundo mês de atraso, segundo uma fonte.

Os bancos com maior exposição no Rio são o Bradesco, que detém a folha de pagamento, além do Itaú, que já respondeu pela folha no passado. Outras instituições como Santander e Banco do Brasil também estariam sendo afetadas, mas em menor proporção.

Recentemente, o governo do Rio, que pretendia abrir edital e arrecadar R$ 1 bilhão com a venda da folha de pagamento de seus servidores, estendeu o contrato com o Bradesco. Estado e banco assinaram um termo aditivo que ampliou até a metade de 2017 o contrato da folha de pagamento, o que representou a entrada de R$ 250 milhões aos cofres fluminenses.

No caso do Amapá, o atraso dos repasses de crédito consignado chegou a dois meses no final de agosto. O valor em aberto, conforme fonte, está em torno de R$ 40 milhões. O Estado deve os meses de julho e agosto, além de uma cifra residual de junho. A carteira total soma cerca de R$ 570 milhões.

Os grandes bancos estão entre os mais expostos no Amapá. O BB é responsável por 45% do total e já teria notificado o Estado de que considera a possibilidade, inclusive, de bloquear o convênio. Outros bancos como Bradesco, Itaú, Santander e instituições menores como o Pan (ex-Panamericano) também teriam exposição ao Amapá.

O problema de calotes ocorre em um segmento, até então, visto como de baixo risco para os bancos. Não por acaso, as grandes instituições travaram no passado disputas por folhas de pagamento de servidores públicos nos últimos anos.

Procuradas, as secretarias de Fazenda do Rio de Janeiro e do Amapá não se manifestaram. Os bancos citados também não quiseram comentar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20160916/rio-deve-quitar-nesta-sexta-repasses-consignado/413866

Read More
Grupo Ouro Cred dá dicas importantes de como o consumidor pode se proteger de golpes de crédito consignado

Grupo Ouro Cred dá dicas importantes de como o consumidor pode se proteger de golpes de crédito consignado

Em tempos de crise, crédito consignado pode ser uma forma acessível de financiamento, mas, consumidor precisa estar atento

Você já ouviu alguma história de alguém que tenha caído em golpes de financiamento fácil? Ou, o golpe do crédito consignado? Talvez isto tenha acontecido por falta de informação, pois o crédito consignado tem regras claras determinadas pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), conhecê-las é fundamental para fazer o uso desta ferramenta de crédito e proteger suas finanças ou a de seus familiares. Saiba agora um pouco mais sobre esta modalidade de crédito.


Foto: DINO
Uma das opções de financiamento é o crédito consignado, concedido aos aposentados e pensionistas do INSS, que tem juros baixos e é descontado direto no vencimento do benefício. Apesar de ter regras claras para ser oferecido é preciso ter atenção na hora de contratar tal financiamento, pois há sim riscos que devem ser avaliados: “A nossa experiência mostrou que é melhor para todos (cliente e empresa) ter tudo registrado, por isso nosso atendimento é feito por nossos funcionários e é todo gravado”, explica Eduardo Pileggi, fundador do Grupo Ouro Cred especializado em crédito consignado.
Segundo Pileggi, ainda há desinformação que prejudica a todos, por isso ele dá dicas de como evitar cair em armações:

1) Exija sempre sua via do contrato;

2) Outro detalhe que não é respeitado: não faça empréstimo para outras pessoas, ou seja, para terceiros. Por mais boa vontade que se tenha este é o risco que não se deve correr, pois se a pessoa não pagar, a conta vai sobrar para você;

3) Passadas as duas dicas básicas e você decidiu fazer um empréstimo consignado, o banco ou financeira escolhida para esta operação não deve exigir que você compre outro produto financeiro, pois isto configura venda casada, prática proibida pelas regras do Banco Central (Bacen).

4) O limite da parcela a ser paga é de 30% do valor líquido do benefício do solicitante para empréstimo e mais 5% para o cartão de crédito consignado. Por mais que o cliente esteja em uma situação de urgência, pelas regras do INSS, não é permitido comprometimento maior do benefício. Este detalhe é importante, pois quando for feita proposta de empréstimo maior que o percentual permitido o consumidor deve ficar atento.

5) Fique atento à taxa de juros combinada e a registrada no contrato, se estiverem diferentes, não assine o contrato, nem prossiga com a operação.
6) Se a sorte mudar e você conseguir quitar o seu empréstimo antes do vencimento final, ótimo! Solicite o boleto de quitação e a financeira ou banco tem que dar, pois é um direito seu. Exija o boleto e verifique se está com valor correto que deve ser menor devido à redução do tempo de pagamento.

7) Procure um correspondente bancário certificado pelo Banco Central. O atendimento será personalizado e sem filas, ao contrário das tradicionais agências bancárias.

O crédito consignado tem regras especificadas pelo INSS, fique atento para fazer bom uso deste crédito. Em caso de dúvidas ou reclamações procure o órgão de defesa do consumidor da sua cidade.
Gestão diferenciada evita desentendimentos futuros

Ao longo dos anos de experiência, foi sendo desenvolvido um padrão de qualidade no Grupo Ouro Cred o qual envolve ações incomuns no mercado, tais como:

– Equipe própria de atendimento: 100% das vendas do grupo são realizadas por equipe interna de vendas, não terceirizada, para ser treinada e ampliada a qualidade constantemente. O Grupo Ouro Cred tem como fórmula de sucesso: funcionário satisfeito + cliente satisfeito.

– Gestão de Negócios: O grupo é especializado em crédito consignado, tem processos definidos, com números e resultados que demonstram eficiência. A expertise do grupo é compartilhada com parceiros, que são capacitados e desenvolvidos por meio deste sistema de negócios.

– Controle de Qualidade: Todas as vendas são auditadas e todas as ligações são gravadas e registradas. Esse procedimento já ajudou inclusive a eliminar uma quadrilha que fraudava empréstimos consignados, parceria de auxílio ao trabalho realizado pela Polícia Civil.

Para contribuir com o esclarecimento dos clientes e consumidores a empresa publica diversos conteúdos gratuitos que podem ser acessados em www.grupoourocred.com.br/blog, além disso, dispõe de atendimento telefônico para esclarecer dúvidas. Interessados podem discar para 11 3070 0500.

Sobre o Grupo Ouro Cred: empresa especializada em crédito consignado, atuando desde 2007, com cerca de 100 mil clientes atendidos, com 6 pontos de atendimento, sendo 5 na cidade de Guarulhos e 1 na cidade de Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo.

Fonte https://noticias.terra.com.br/dino/grupo-ouro-cred-da-dicas-importantes-de-como-o-consumidor-pode-se-proteger-de-golpes-de-credito-consignado,1f9feffdb2cc976ee5bafda3964244b8ag55o4we.html

Read More
RJ – Governo do Rio desobedece ao STF e paga 70% da folha de agosto dos servidores

RJ – Governo do Rio desobedece ao STF e paga 70% da folha de agosto dos servidores

A Secretaria de Fazenda informou, no início da noite desta segunda-feira, que o Estado do Rio não conseguiu quitar 100% da folha de agosto dos servidores públicos. Foram pagos, apenas, 70% dos salários. O valor repassado ao funcionalismo foi de R$ 1,4 bilhão, de uma folha estimada em R$ 2 bilhões. Com isso, o governo do Rio descumpre determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de pagar seus servidores até o 3º dia útil.
Desta forma, o estado está sujeito a arrestos judiciais. Há a possibilidade que isto aconteça nesta terça-feira, para que o restante da folha seja quitada.
A Fazenda estadual cita que as pendências que restam ao governo serão quitadas “nos próximos dias”. O governo lembrou que, de acordo com calendário formulado no início do ano, os pagamentos podem acontecer até o 10º dia útil.
A obrigação em ter de quitar a folha até o 3º dia útil acontece em função de ação de reclamação da Federação das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado do Rio de Janeiro (Fasp) no Supremo. A Fasp questionou as mudanças nas datas do pagamento e conseguiu decisão favorável, tendo em vista o risco que os servidores do estado correm com seguidos atrasos.
Confira a nota da Secretaria de Fazenda na íntegra:
O Governo do Estado do Rio de Janeiro depositou, nesta segunda-feira (5/9), integralmente, os salários de agosto de mais servidores. Até o momento foi pago R$ 1,4 bilhão, o que corresponde a 70% do valor total da folha líquida de agosto, que é de R$ 2 bilhões. Os depósitos começaram na quarta-feira passada (31/8), quando o Estado pagou os servidores da área de Segurança, incluindo policiais militares e civis, bombeiros e agentes penitenciários. O Estado está concentrando esforços para quitar a folha de agosto nos próximos dias, obedecendo o calendário previsto inicialmente de até o décimo dia útil deste mês (15/9). Os valores serão depositados de acordo com a entrada de receita de tributos em caixa. As remunerações estão sendo pagas integralmente. Não há parcelamento da folha de agosto.
Leia mais: http://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/governo-do-rio-desobedece-ao-stf-paga-70-da-folha-de-agosto-dos-servidores-20057252.html#ixzz4JUvaTQ7g

Fonte http://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/governo-do-rio-desobedece-ao-stf-paga-70-da-folha-de-agosto-dos-servidores-20057252.html

Read More
Ministério Público Federal denuncia oito por golpe do empréstimo

Ministério Público Federal denuncia oito por golpe do empréstimo

MPF
Entre os acusados estão servidores da Prefeitura de Limeira do Oeste, no Triângulo Mineiro, que tinha acesso a operações bancárias da Caixa Econômica Federal. Golpe já casou prejuízo de R$ 10 milhões

Landercy Hemerson
Oito pessoas foram denunciadas por fraude de R$ 10 milhões em empréstimos consignados na cidade de Limeira do Oeste, no Triângulo Mineiro. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF) em Minas Gerais, o golpe milionário foi arquitetado e desenvolvido por servidores públicos do município mineiro, que tem 6.890 habitantes (Censo IBGE 2010), e fica a 835 quilômetros da capital mineira.

Como na cidade não há agência bancária, a Prefeitura de Limeira do Oeste realizava operações bancárias por meio de convênio com agência da Caixa Econômica Federal de Iturama, na mesma região, onde foram descobertos os empréstimos fraudulentos. As operações financeiras, firmadas por meio da folha de pagamento da Prefeitura de Limeira do Oeste, despertou suspeitas dos funcionários da agência bancárias.

Ao analisarem a documentação, os funcionários da Caixa de Iturama constataram que a quase totalidade dos beneficiários dos empréstimos tinham vínculos trabalhistas em outros municípios. E os valores disponibilizados pelo banco eram sacados na “boca do caixa”, em vez de serem transferidos para as contas-correntes daqueles que pediram o empréstimo consignado, o que é padrão nessa modalidade de crédito.

As investigações revelam um esquema criminoso que funcionou por pelo menos três anos, entre 2012 a 2015, e favoreceu mais de 140 pessoas, com prejuízos de R$ 10 milhões. De acordo com o MPF, a quadrilha era organizada e estruturada em três núcleos principais: o do setor de Recursos Humanos da prefeitura municipal, o dos aliciadores e o dos fornecedores de dados.

Segundo a denúncia do MPF, três servidores do RH da prefeitura tinham amplo acesso ao sistema de pagamentos, dos dados de todos os servidores municipais e dos documentos necessários para a concessão dos empréstimos. O trio então atuava na confecção de documentos falsos para a obtenção indevida de consignados em seus nomes, dos aliciadores e, principalmente, de outras 144 pessoas beneficiadas pela fraude, a maioria não servidoras municipais de Limeira.

Os sistemas também eram manipulados para que o município de Limeira do Oeste arcasse com o pagamento das parcelas dos empréstimos indevidos. O dinheiro era sacado no banco pelos golpistas e, a cada mês, as parcelas eram pagas exclusivamente pela prefeitura. O prejuízo aos cofres públicos municipais já soma R$ 2.859.221,77.

Os acusados vão responder pelos crimes de estelionato qualificado (artigo 171, § 3º, do Código Penal), organização criminosa (artigos 1º e 2º da Lei 12.850/13) e inserção de dados falsos em sistema de informações (artigo 313-A do CP). O MPF também pediu que eles sejam condenados solidariamente a reparar os prejuízos causados pela prática criminosa, com juros e correção monetária.
(RG)

Fonte http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/05/23/interna_gerais,765570/ministerio-publico-federal-denuncia-oito-por-golpe-do-emprestimo.shtml

Read More
Pagamento de dívidas é a principal finalidade de quem faz empréstimos, mostra SPC Brasil

Pagamento de dívidas é a principal finalidade de quem faz empréstimos, mostra SPC Brasil

Foto: DivulgaçãoPagamento de dívidas é a principal finalidade de quem faz empréstimos, mostra SPC Brasil

Endividar-se ainda mais para quitar uma dívida. Pode parecer um contrassenso, mas essa é a principal razão observada entre os consumidores brasileiros que recorrem aos empréstimos em bancos e financeiras. De acordo com um levantamento nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a principal finalidade do empréstimo pessoal é o pagamento de dívidas, como faturas do cartão de crédito, prestações de lojas e até mesmo outros empréstimos adquiridos no passado (41,6%). Em segundo lugar aparecem o pagamento de contas básicas, como aluguel, condomínio, luz, telefone e escola (15,1%). A aquisição de eletrodomésticos (8,7%), a compra de móveis (7,5%) e a realização de viagens (5,5%) completam o ranking de motivações.

“O empréstimo sempre foi visto como uma alternativa para a aquisição de bens de valores elevados, mas o estudo mostra que parte relevante dos consumidores já o enxerga como um meio para resolver problemas financeiros. Se as dívidas saem do controle, pode ser conveniente trocar uma modalidade de crédito mais cara por outra mais barata. Porém, em todos os casos é necessário buscar orientação especializada para encontrar tarifas e juros compatíveis com a realidade financeira e a capacidade de pagamento”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

De acordo com a pesquisa, mais de um terço (35,4%) dos consumidores brasileiros possui nos dias de hoje ao menos um tipo de empréstimo, seja ele com banco (31,3%), financeira (18,0%) ou na modalidade pessoal de consignado (25,5%), que é descontado diretamente da folha de pagamento. E a maioria desses consumidores acredita que o empréstimo pode funcionar como solução para a falta de dinheiro: 75,2% dos brasileiros que atualmente possuem algum empréstimo o veem como algo positivo, sobretudo por ser um recurso de auxílio em situações difíceis (28,9%) e possibilitar a realização de sonhos de consumo (25,2%). Em contrapartida, dois em cada dez entrevistados (19,3%) pensam tratar-se de algo negativo, principalmente pelo fato de muitas pessoas não terem controle sobre os gastos (5,6%) e acabar estimulando o consumo desenfreado e desnecessário (4,8%).

Para Marcela Kawauti o empréstimo deve ser sempre a última opção para consumidores endividados. “Quando a pessoa precisa de uma nova dívida para resolver uma outra dívida mais antiga, algo está errado e mostra que as finanças do consumidor estão desequilibradas. Neste momento, é preciso rever hábitos e atitudes para controlar as finanças antes de partir para esse recurso”, explica.

21% não prestaram atenção em juros e taxas antes de fechar empréstimo pessoal

De acordo com o levantamento, 21,0% dos consumidores que hoje estão pagando parcelas de empréstimo pessoal com bancos admitem não ter observado as condições contratuais, como tarifas e juros cobrados. No caso dos que têm empréstimos com financeiras, que na média cobram os juros mais elevados do mercado, sobe para 28,0% o percentual dos que reconhecem não ter analisado as condições atentamente. Entre os que têm empréstimo consignado, a proporção é de 18,9% de consumidores desatentos.

Para o educador financeiro do portal ‘Meu Bolso Feliz’, José Vignoli, em qualquer tipo de empréstimo é sempre fundamental prestar atenção nas próprias finanças e nas contrapartidas exigidas pelo credor. “Os juros cobrados pelas financeiras, em geral, são maiores do que os praticados pelos bancos. Deixar de analisar esses dados é um sério risco ao bolso do consumidor, pois ele poderá estar trocando uma dívida atual por outra que rapidamente poderá se tornar ainda mais grave”.

Dentre os 31,3% do total de consumidores brasileiros que atualmente possuem algum empréstimo pessoal em banco, 55,0% fizeram a solicitação diretamente com o credor, enquanto 16,4% aceitaram a oferta do banco. Já dos 18,0% que possuem empréstimos pessoal em financeiras, mais de um terço (33,9%) o solicitaram diretamente, ao passo que 22,2% receberam a oferta de uma instituição e aceitaram a proposta. Segundo o levantamento, 11,4% dos tomadores de empréstimos em bancos estão com o ‘nome sujo’ devido a atrasos na quitação das parcelas. No caso dos empréstimos com financeiras, o percentual de devedores registrados em serviços de proteção ao crédito é de 10,5%.

Consumidor divide consignado em 26 parcelas, na média

Atualmente, mais de um quarto (26,5%) dos brasileiros possui empréstimo pessoal consignado, que é descontado mensalmente da folha de pagamento de trabalhadores, aposentados e pensionistas. Entre esses consumidores, mais da metade (55,2%) o fizeram por iniciativa própria, tendo procurado a instituição financeira e 12,3% receberam uma proposta e acabaram aceitando. Na média, cada entrevistado dividiu o empréstimo em 26 parcelas, quantidade bastante superior a constatada entre os consumidores que possuem empréstimos com bancos (9 parcelas, em média) e financeiras (5 parcelas, em média).

A economista Marcela Kawauti esclarece que embora o consignado – que cobra taxas mais baratas do que outros tipos de empréstimos – seja uma modalidade popular em situações de sufoco, como pagar uma dívida muito cara, como o rotativo do cartão de crédito ou em situações de emergência, é preciso tomar alguns cuidados extras. “O consumidor que contratar um empréstimo consignado precisa estar consciente de que irá comprometer parte de sua renda por um longo período. Por isso, é fundamental analisar as condições oferecidas e o impacto das parcelas no orçamento mensal. É como se houvesse uma redução de salário e a pessoa precisa ser capaz de adaptar-se a essa nova situação”.

(Redação – Agência IN)

Fonte http://investimentosenoticias.com.br/noticias/negocios/pagamento-de-dividas-e-a-principal-finalidade-de-quem-faz-emprestimos-mostra-spc-brasil

Read More
Pesquisa aponta consumidor cauteloso com empréstimo, mas aumenta a intenção de contratar financiamento imobiliário

Pesquisa aponta consumidor cauteloso com empréstimo, mas aumenta a intenção de contratar financiamento imobiliário

emprestimos

Os brasileiros mantem prudência em contratar linhas de crédito em 2016. É o que aponta a pesquisa trimestral realizada em conjunto pela Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) e TNS Brasil, empresa global de pesquisa de mercado.

De acordo com o levantamento, 82% dos consumidores não estão dispostos a tomar crédito em 2016. Na comparação com o levantamento anterior, a intenção do consumidor se manteve estável, entretanto, 43% relevaram a intenção de contratar o crédito imobiliário, alta de 10 pontos percentuais. Quando questionados sobre outras linhas de crédito, 33% disseram que estão dispostos a contratar crédito consignado, 33% automotivo e apenas 24% querem contratar um CDC.

Quanto à intenção de conseguir um financiamento este ano, o percentual subiu 1 ponto este ano para 19%. O sentimento negativo recuou 1 ponto percentual, 81% não se sente propenso a fazer um financiamento. O automóvel aparece como primeiro item na lista de intenções (58%), seguido por imóvel (54%), empréstimo pessoal (21%), eletrodoméstico (20%) e consignado (9%).

Neste quesito, a classe alta (A/B) se diz menos propensa a realizar um financiamento, 18% – redução de 8 pontos percentuais em comparação ao ano anterior.

A amostra inclui 1.00 entrevistas, sendo 52% mulheres e 48% homens – com idade entre 18 e 65 anos.

Avaliação da situação pessoal

Neste primeiro trimestre de 2016, 86% dos entrevistados disseram que pretendem economizar mais, 11% não vão mudar o padrão de consumo e 3% vão gastar mais.

A inflação tem impactado o padrão de consumo de 90% dos entrevistados, sendo que os itens mais atingidos foram lazer 86%, vestuário 83%, alimentação 74%, transporte 50%, saúde 43% e educação 37%.

O nível de endividamento dos consumidores voltou a crescer atingindo 69% – alta de 3 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior. O comprometimento com o cartão de crédito é apontado por 70% dos endividados, seguido por carnê (30%), financiamento de veículo (19%), financiamento imobiliário (15%), CDC (15%), leasing (3%) e outros (19%).

Situação do Brasil

Segundo o levantamento, 46% dos entrevistados avaliam a situação do País como péssima, 37% ruim, 13% regular, 3% boa e 1% ótima.

A preocupação em relação ao futuro aumentou 21 pontos percentuais no primeiro trimestre deste ano, comparado ao primeiro levantamento: de 47% (em 2014), 66% (em 2015) e saltou para 68% (em 2016).

Para 68% dos entrevistados o sentimento em relação ao futuro é de preocupação. Quando perguntados sobre a situação do Brasil, 83% dos entrevistados avaliaram como ruim ou péssima. Além disso, 68% acreditam que o consumo das famílias também irá piorar, 66% avaliam que a oferta de crédito vai piorar este ano e 75% dos ouvidos enxergam maior aumento da taxa de juros.

Com relação ao futuro, apenas 1% acredita que a situação econômica do Brasil vai melhorar no primeiro semestre de 2016, um recuo de 10 pontos percentuais. A expectativa de melhora no segundo semestre também caiu (5 pontos). Com relação a 2017 o consumidor se demonstra mais otimista – 18% disseram que a situação vai melhorar no primeiro semestre e 13% no segundo.

Desemprego

Os consumidores acreditam que desemprego vai aumentar nos próximos meses (84%). Por outro lado, estão otimistas quanto a manutenção do seu emprego – (36%) sim, (28%) não. O percentual de desempregados se manteve estável comparado a pesquisa anterior (36%).

Pesquisa completa pode ser lida através do link:

http://tamer.com.br/ftp/PesquisaAcrefi.pdf

Mais informações e entrevistas de imprensa com a Tamer Comunicação Empresarial (11) 3031. 2388

Fonte http://www.segs.com.br/economia/12210-pesquisa-aponta-consumidor-cauteloso-com-emprestimo-mas-aumenta-a-intencao-de-contratar-financiamento-imobiliario.html

Read More
Procon alerta sobre empréstimo consignado ao trabalhador privado

Procon alerta sobre empréstimo consignado ao trabalhador privado


Os empréstimos consignados, aqueles com desconto em folha de pagamento e que possuem taxas de juros mais baixas que as outras modalidades de crédito, aparentemente não atendem aos empregados da iniciativa privada, já que atualmente esta modalidade de crédito tem se restringido quase que exclusivamente aos servidores públicos e pensionistas do INSS. Talvez a explicação seja o fato de ainda ter na iniciativa privada uma alta rotatividade no mercado de trabalho, trazendo insegurança aos bancos na hora de conceder este tipo de crédito.

Para tentar mudar essa situação, o governo federal, por meio de uma Medida Provisória publicada no final de março deste ano, possibilitou aos servidores públicos que foram demitidos sem justa causa, utilizar até 10% do saldo de sua conta vinculada ao FGTS e até 100% da multa rescisória do FGTS como garantia para o pagamento do saldo devedor desses empréstimos contratados na modalidade de consignado.

A expectativa do governo é que essa medida traga desenvolvimento nessa modalidade de crédito ao setor privado, já que os consignados são mais comuns no setor público e com isso, reduzir as taxas de juros cobrados dos trabalhadores da iniciativa privada. No entanto, ainda que essa mudança traga mais segurança aos bancos e fomente as ofertas desse tipo de empréstimo aos funcionários do setor privado, o Procon Goiás sugere cautela na hora de contratar o empréstimo.

Avalie se a contratação é de fato necessária
Os juros menores se comparado com as outras modalidades de crédito, podem fazer a oferta ficar tentadora. No entanto, faça uma avaliação do quanto isso vai comprometer seu orçamento. Lembre-se das despesas fixas comuns de todo mês (água, luz, aluguel, supermercado, etc) e das despesas imprevistas que podem acontecer (medicamentos, etc).


Contratação
Se de fato for necessária a contratação, faça a escolha por quem lhe fornece não a menor taxa de juros, mas sim, o meno Custo Efetivo Total contrato(CET). Muitas vezes, uma taxa baixa como forma de atrair o consumidor, pode esconder despesas com valores elevados como seguro, taxa de cadastro, etc, que pode fazer com que a opção não seja tão boa quanto outro banco que oferece uma taxa de juros maior.

Este percentual deve ser repassado por escrito, a pedido do consumidor, antes da contratação. Sua recusa configura como prática abusiva e deve ser denunciada. Verifique ainda o valor e a quantidade de cada parcela. Lembre-se que prazo menor é a melhor opção, pois além de pagar menos juros no período, em caso de ocorrer imprevisto e ficar inadimplente, serão cobrados juros moratórios, multa e correção monetária sobre a parcela em atraso.

Cuidados
As instituições financeiras não podem comercializar crédito consignado por telefone, nem cobrar Taxa de Abertura de Crédito (TAC). No entanto, não confunda com a Taxa de Cadastro (TC), que é permitida sua cobrança. Sugere-se que apenas assine o contrato após estar totalmente preenchido.

Liquidação antecipada
Saiba que de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, em caso de pagamento antecipado de qualquer uma das parcelas é obrigatória a retirada dos juros e demais acréscimos proporcionais aos meses restantes. O Procon Goiás realiza esse tipo de cálculo para comparação com o saldo devedor fornecido pelo banco.

Mais informações: (62) 3201-7134

*Assessoria de Imprensa do Procon

Fonte http://www.goiasagora.go.gov.br/procon-alerta-sobre-emprestimo-consignado-ao-trabalhador-privado/

Read More
Crédito para fugir da crise econômica

Crédito para fugir da crise econômica


Cleber Gonçalves e Tiago Vergette participaram do programa Diário da Manhã e orientaram os espectadores sobre a possibilidade da busca de empréstimos para vencer o momento de crise

– Caixa disponibiliza linhas especiais para pessoas físicas e jurídicas
A alternativa para vencer a crise econômica que deixa muita gente preocupada no país pode estar em um empréstimo. No momento que o laço aperta, muitas pessoas e até mesmo empresários lançam mão de recursos rápidos, como cartões de crédito e até cheques especiais, que acabam tornando o problema ainda pior. Para ajudar quem está com a corda no pescoço, a Caixa Econômica Federal disponibiliza linhas de crédito especiais para pessoas físicas e jurídicas. A instituição atua com especialistas que trabalham na busca da solução ideal para cada problema.
Um desses profissionais é Cleber Gonçalves Couto, gerente de pessoa física da Caixa. “O momento é de mudanças. Vemos alterações significativas neste cenário do crédito e de produtos. O cliente tem que buscar alternativas às suas necessidades. Hoje em dia ele tem cheque especial ou cartões, que são linhas de crédito mais altas. Nosso objetivo é mostrar que o cliente pode optar por linhas mais seguras e baratas”, comenta o especialista. Segundo Cleber, existem diversas opções, como crédito consignado para servidores públicos, com taxas menores e prazos maiores. “Um exemplo é o prazo que costuma ser concedido para os funcionários da Prefeitura de Teresópolis, que têm até 96 meses pra quitar essas linhas.
Os gerentes da Caixa Cleber Gonçalves e Tiago Vergette apontam a obtenção de linhas de crédito como forma de obter fôlego e enfrentar a crise sem trocar os pés pelas mãos
Os gerentes da Caixa Cleber Gonçalves e Tiago Vergette apontam a obtenção de linhas de crédito como forma de obter fôlego e enfrentar a crise sem trocar os pés pelas mãos
Outra opção, para servidores ou não, é a linha de Crédito Imóvel Próprio, com o imóvel sendo colocado como garantia e um prazo de até 240 meses pra pagar. Com isso a dívida pode ser diluída num prazo mais longo, vencendo o momento da crise e com taxas menores, a partir de 1,39% ao mês, mais TR, o que é bastante reduzido dentro do cenário atual”, detalha Cleber.
Por fim, o gerente Caixa convida os clientes a comparecerem a uma das agências para buscar ajuda dos profissionais. “O interessante é ir à agência para receber as orientações de forma mais clara e precisa de acordo com a necessidade de cada um. Sempre há uma solução para o problema. Quando estamos envolvidos diretamente com a situação, essa solução acaba sendo mais complicada. Quando procuramos alguém que tem o conhecimento no mercado, a gente acaba enxergando o outro lado e novas possibilidades. Na agência conversamos e buscarmos alternativas saudáveis financeiramente para o cliente”, finaliza.

Pessoa jurídica
Mas não são apenas as pessoas físicas que enfrentam problemas econômicos. Empresas também precisam driblar a crise para seguir em frente e auxiliar diretamente na movimentação econômica do município. Segundo o gerente Tiago Vergette, especialista no atendimento às pessoas jurídicas, mesmo trabalhando com cuidado, o empresário não deve deixar de investir. “A cautela é sempre necessária em qualquer tipo de investimento. Mas o empresário não pode perder a vontade de investir, porque é dessa movimentação que vem o crescimento para a cidade como um todo”, recomenda.
Segundo Vergette, enquanto instituição, a Caixa se coloca à disposição do empresariado em geral, principalmente para orientar sobre as melhores linhas e investimentos. “Hoje apresentamos linhas de capital de giro com taxa de juros a partir de 1.8% e linhas de compras de máquinas e equipamentos com taxas a partir de 1.07% ao mês com prazos dilatados, podendo chegar até 60 meses. É importante que o empresário mantenha esse seu perfil de investimento porque a crise é momentânea e vai passar. Quem estiver preparado nessa hora, com investimentos feitos, com certeza vai ter maior taxa de sucesso do que quem ainda estiver se preparando”, recomenda.
Finalizando, Tiago garante que o principal objetivo de seu trabalho é orientar o cliente sobre a melhor linha pra resolver às necessidades imediatas. “Então as linhas rotativas são mais caras, já as linhas de longo prazo são mais baratas. Tudo depende da capacidade e do perfil do cliente. Ninguém tem que se apavorar. Pode procurar a nossa equipe e vamos orientar da melhor maneira para buscar uma parceria para solucionar o problema do empresário e consecutivamente da sociedade também. Solução sempre há, basta sentar e conversar. Sempre é possível achar um caminho”, diz.
– See more at: http://netdiario.com.br/credito-para-fugir-da-crise-economica/#sthash.6CnPA9ju.dpuf

Fonte http://netdiario.com.br/credito-para-fugir-da-crise-economica/

Read More
TRT-SC determina que Banco do Brasil feche postos de atendimento fora de agências em todo o país

TRT-SC determina que Banco do Brasil feche postos de atendimento fora de agências em todo o país

Agência Banco do Brasil

Decisão em primeiro grau é baseada em alegação de terceirização da atividade fim. Banco ainda não foi notificado e cabe recurso

O juiz Valter Tulio Amado Ribeiro, da Tribunal Regional do Trabalho 12ª Região, em Santa Catarina, determinou, na noite da última quinta-feira, o fechamento das agências correspondentes do Banco do Brasil em todo o país. O pedido foi baseado na alegação de que os contratos firmados com os colaboradores que atuam nestes postos, localizados, em geral, em estabelecimentos comerciais e órgãos públicos, seriam uma terceirização da atividade fim do banco, o que é proibido por lei.

A ação foi movida por uma mulher que trabalhou em um posto de atendimento do Banco do Brasil até 2014. Ela alega que, mesmo sendo contratada por outra empresa, como caixa terceirizada, desempenhava funções idênticas às dos funcionários do banco, que, por determinação legal, são admitidos por concurso. O advogado responsável pelo pedido, Allexsandre Gerent, afirma que o modelo de contratação por terceirização observado nas agências correspondentes é uma fraude.

– Parece uma agência do Banco do Brasil, mas não é. O cliente nem sabe. E os trabalhadores não têm nenhum dos direitos que os concursados têm – explica Gerent.

Na decisão, o juiz determina que o banco “abstenha-se de delegar sua atividade fim a lojas, postos e agências correspondentes, com a finalidade de desenvolver tarefas de sua atribuição como entidade bancária vinculada ao Banco Central do Brasil”. O descumprimento da ordem acarretaria multa de R$ 1 milhão por dia.

As agências regulares do Banco do Brasil não são atingidas pela decisão, ou seja, seguirão abertas e sem restrições no atendimento. Procurado, o banco afirmou que ainda não foi notificado. Cabe recurso.

Fonte Diário Catarinense
Fonte http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/04/trt-sc-determina-que-banco-do-brasil-feche-postos-de-atendimento-fora-de-agencias-em-todo-o-pais-5778906.html

Read More
Dados de aposentados vazam para instituições – Correspondentes bancários estariam recebendo o resultado da aposentadoria antes dos trabalhadores

Dados de aposentados vazam para instituições – Correspondentes bancários estariam recebendo o resultado da aposentadoria antes dos trabalhadores


Mesmo sem solicitarem e sem a confirmação da aposentadoria, trabalhadores recebem ligações de empresas oferecendo crédito consignado ( FOTO: BRUNO GOMES )

Os trabalhadores que dão entrada no pedido de pensão ou aposentadoria pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão sendo assediados por instituições financeiras antes mesmo de receber a resposta do órgão. Na realidade, eles estão descobrindo que seus pedidos foram aceitos pelos os próprios operadores bancários, em ligações feitas para oferecer operações de crédito consignado ao recém-segurado.

Foi o que aconteceu com o microempresário Vicente de Paula Sousa. Ele conta ter entrado com o pedido de aposentadoria em uma das agências do INSS no dia 15 de março e, dois dias depois, recebeu uma ligação de uma correspondente bancária. “Quando atendi, ela disse parabéns, que meu pedido tinha sido aprovado e que estava oferecendo um empréstimo no valor de R$ 25.367,70”, relatou.

Vicente, que ainda não tinha recebido uma resposta sobre a sua solicitação ao INSS, ficou surpreso com a ligação. “Perguntei como é que eles sabiam disso e eles responderam que tinham um convênio com o INSS. Como é que pode, um terceiro saber da minha aposentadoria antes de mim? Sabiam o valor da parcela, o dia em que o dinheiro tinha entrado na conta, meu endereço”, reclamou.

Ontem, outra instituição bancária voltou a ligar para o microempresário. “Vieram me parabenizar também e ofereceram um empréstimo de R$ 25.540, para pagar em 72 meses, em parcelas de R$ 774, que dá R$ 55.728. Para que eu pagasse, só de juros, mais de R$ 30 mil. Senti, novamente, uma invasão da minha privacidade”, contou Vicente. Enquanto isso, ele ainda aguarda pelo correio a correspondência do INSS com a resposta para o seu pedido de aposentadoria, que sequer chegou.


Dois dias após pedir a aposentadoria, Vicente de Paula recebeu uma ligação oferecendo empréstimo ( FOTO: KID JÚNIOR )
Inesperado

O mesmo aconteceu com o aposentado João Crisóstomo ao dar entrada no pedido de aposentadoria há cerca de três anos. “Estava em casa, ainda aguardando uma resposta do INSS, quando um banco me ligou oferecendo um empréstimo consignado. Disse que eu estava aposentado desde tal dia e disse até o valor do benefício. Como é que o banco sabe disso antes de mim? Essa informação só pode sair de dentro do INSS”, reclamou.

Incomodado com a situação, Crisóstomo voltou à agência da Previdência Social e relatou o ocorrido ao gerente. “Ele queria que eu fizesse uma reclamação por escrito, mas eu não fiz. Fui lá só para avisar. Ele ficou de tomar providências, mas eu também não procurei mais saber”, destacou Crisóstomo.

A aposentada Iva Holanda também recebeu uma oferta de crédito consignado antes mesmo de que recebesse uma resposta do INSS, quando fez o pedido, há pouco mais de um ano. “Eles já estavam sabendo de vários detalhes do meu pedido. E continuaram mandando coisas, panfletos, para a minha casa. Reclamamos e eles pararam”.

Sigilo

O caso é alvo de investigação do Ministério Público Federal. Procurada pela reportagem para comentar a origem dos dados dos aposentados e pensionistas, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) optou por não posicionar e apontou o INSS como responsável sobre o assunto.

O INSS, por sua vez, informou que os dados dos seus segurados são mantidos em sigilo e que, em nenhuma hipótese, fornece qualquer dado pessoal sob sua guarda a terceiros, sejam instituições financeiras, entidades representativas de classe ou quaisquer outros. O órgão orientou os beneficiários que, por questões de segurança, não forneçam o número de benefício ou seus dados pessoais a terceiros.

Denúncias devem ser feitas por meio da Ouvidoria do Ministério do Trabalho e Previdência Social, pela Central de Atendimento 135. A Previdência Social possui órgãos de controle que apuram e tratam esses assuntos.

Assédio

De acordo com Cláudia Santos, diretora geral do Procon Municipal de Fortaleza, os consumidores que se sentirem constrangidos pela insistências dessas empresas podem fazer uma reclamação no site do Procon (http://www.fortaleza.ce.gov.br/procon), pelo link Atendimento Virtual. Após receber a demanda, o órgão entrará em contato com a instituição.

Saiba mais

Dicas sobre Empréstimos consignados

1 – Analise sua real necessidade de fazer um empréstimo;

2 – Procure somente instituições reconhecidas pelo Banco Central;

3 – Leia o contrato com bastante atenção antes de assiná-lo;

4 – Não faça empréstimos a terceiros, pois a responsabilidade será sua;

5 – Cuidado com a cobrança de taxas indevidas, como de adesão;

6 – Nunca firme empréstimos com agiotas;

7 – Não aceite a imposição de venda do seguro ou a obrigatoriedade de aceitar cartão de crédito.

Fonte http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/negocios/dados-de-aposentados-vazam-para-instituicoes-1.1516857
por Yohanna Pinheiro – Repórter

Read More
Servidor pode amortizar despesas de cartão de crédito com empréstimo consignado

Servidor pode amortizar despesas de cartão de crédito com empréstimo consignado


Servidor amortizar despesas cartão crédito empréstimo consignado

Os servidores públicos federais já podem solicitar o empréstimo consignado no limite de 5% de sua remuneração para amortizar despesas feitas com o cartão de crédito. A nova norma decorre da necessidade de adequação da regulamentação até então vigente: Lei nº 13.172, de 21 de outubro de 2015, que dispõe sobre o aumento de 30% para 35% do limite de comprometimento de remuneração com consignações. A consignação é o ato pelo qual se faz um desconto de determinado valor na folha de pagamento do servidor público, mediante sua expressa autorização.

Segundo o novo texto, os 5% são de uso exclusivo para pagamento de dívidas e saques feitos por meio de cartão de crédito. Para o secretário de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Sérgio Mendonça, a medida vai possibilitar que o servidor possa pagar, com juros mais baixos, as dívidas do cartão.

Além do servidor público, o decreto regulamenta a margem consignável dos empregados públicos cuja folha de pagamento seja processada por meio do Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos – Siape. Esse grupo é composto por servidores do Hospital das Forças Armadas, servidores das empresas estatais dependentes de Tesouro Nacional, entre outros. Para esses empregados, a margem consignável é de 40% e desse total, 5% passa a ser exclusivo para amortização de despesas com o cartão. As mudanças, neste caso, entrarão em vigor dentro de seis meses.

Economia em crise

De acordo com o advogado e professor de Direito Jorge Ulisses Jacoby Fernandes, desde o ano passado, o Brasil passa por uma crise econômica que provoca reflexos nocivos na economia. Diante do cenário específico, 2016 não é um ano para maiores comprometimentos financeiros. Ocorre que há sempre as despesas extras, que acabam surgindo de surpresa e não oferecem qualquer alternativa a não ser recorrer a outras fontes de recursos.

“Essa situação se reflete no alto índice de retirada de recursos de fundos de investimento como a poupança. Apenas em janeiro de 2016, por exemplo, R$ 12 bilhões saíram da caderneta de poupança do País. A medida ajudará os servidores a estabilizarem as dívidas contraídas com o cartão de crédito. É fundamental, no entanto, a cautela nos gastos”, observa Jacoby Fernandes.

Fonte http://www.n3w5.com.br/economia/2016/03/servidor-amortizar-despesas-cartao-credito-emprestimo-consignado

Read More
INSS alerta para fraudes em empréstimo consignado

INSS alerta para fraudes em empréstimo consignado

O Ministério do Trabalho e Previdência Social mantém em sua estrutura uma área destinada a receber as manifestações do cidadão, que por qualquer razão, tem o seu pleito negado pelo INSS. Trata-se da Ouvidoria, que recebe, trata e encaminha a solução de todas as manifestações da população, sejam elas: reclamações, sugestões, elogios ou denúncias.

Em 2015, a Ouvidoria registrou 18.418 manifestações em todo o país, das quais 2.476 na região Nordeste. Um desses registros foi feito por José de Arimatéa Freire (79), agricultor aposentado pelo INSS desde 1996, que reside na localidade de Aldeia, comunidade do município de Camaragibe em Pernambuco. Desde que a irmã Dalva faleceu, “seu” José ficou responsável pela criação do sobrinho Eudes. Todavia, o carinho e dedicação ao sobrinho não foram suficientes para evitar que o rapaz abusasse da sua confiança, e fizesse um empréstimo para comprar uma moto, vinculado a aposentadoria, equivalente ao salário minimo, recebida pelo agricultor.

Casos como o de “seu” José, comprovam que o aposentado ou pensionista da Previdência Social precisa estar atento para não se tornar vítima de fraude na concessão do seu benefício ou de empréstimo consignado. O primeiro ponto que o cidadão precisa ter em mente, é que o INSS não faz contato com ninguém por telefone, seja para saber ou atualizar o número do benefício, senha bancária, e tão pouco autoriza a efetivação de empréstimos consignados. É importante ressaltar que a única forma que a Previdência Social mantém contato com o cidadão é por meio de carta registrada.

O beneficiário é a única pessoa que pode autorizar a concessão de empréstimos vinculados a sua aposentadoria ou pensão. Portanto, fique atento a quem promete muitas facilidades. Nunca forneça seus dados pessoais, tais como: RG, CPF, número do benefício ou endereço residencial por telefone a quem quer que seja; jamais assine procurações ou contratos dos quais você não esteja ciente do seu inteiro teor. Outro cuidado que o aposentado ou pensionista precisa ter, é de em nenhuma hipótese, entregar o seu cartão e senha bancária a pessoas desconhecidas.

Para garantir que não se tornará alvo de agenciadores ou pessoas inescrupulosas, o cidadão pode solicitar o bloqueio do seu benefício para fins de empréstimos. Basta comparecer a uma Agência da Previdência Social, preencher um requerimento solicitando o bloqueio e protocolar na própria agência.

Precauções

Nunca realize empréstimo por meio de pessoas que queiram fazê-lo em sua casa; cuidado quando alguém se apresentar como funcionário do INSS ou de algum banco. Nunca forneça seus documentos pessoais e cartão do banco para recadastramento em sua própria casa.

As denúncias de fraudes em empréstimos consignados devem ser feitas à Ouvidoria-Geral da Previdência Social, pelo site www.previdencia.gov.br/ouvidoria ou pela Central 135.

Com informações do INSS

Fonte http://tribunadonorte.com.br/noticia/inss-alerta-para-fraudes-em-empra-stimo-consignado/341271

Read More
Sem anuidade, Lendico lança cartão de crédito consignado

Sem anuidade, Lendico lança cartão de crédito consignado

Plataforma online de crédito pessoal, lança o Lendico Plus, cartão de crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS

Criado por volta de 1999 pelo Governo, o crédito consignado é uma ótima alternativa para aposentados e pensionistas que precisam de crédito para uma viagem, uma compra e até a realização de um sonho de consumo, e não querem se enrolar com dividas, já que o valor da parcela é descontado diretamente do benefício do cidadão.

O cartão de crédito Lendico Plus traz essa alternativa de forma ainda mais prática para o consumidor e tudo pode ser feito online. O pedido é feito pelo site com o número da matricula do INSS e, assim que aprovado, é enviado diretamente ao consumidor. O valor mínimo da fatura é descontado diretamente da folha de pagamento do benefício.

Com limite de até 1,3 vezes o valor da renda do beneficiário, o cartão ainda permite o saque de 98% do limite, além de ter bandeira internacional. Seguindo a proposta de transparência e taxas mais acessíveis da Lendico, os juros do crédito rotativo são de apenas 3,39%, contra valores de 7% a 11% aplicados atualmente no mercado.

Sobre a Lendico
Lançada em julho de 2015 no Brasil e presente em mais de cinco países, a Lendico chegou para mudar o cenário e a visão sobre crédito pessoal no País. Por meio de um site que proporciona segurança e facilidade de acesso, a empresa oferece as melhores taxas de juros do mercado, mostrando que um empréstimo pode ser uma alternativa vantajosa para quitação de dívidas com tranquilidade ou até mesmo para a realização de um sonho.

Fonte http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,821948,Sem_anuidade_Lendico_lanca_cartao_de_credito_consignado_,821948,4.htm

Read More

ATENÇÃO

Este site NÃO tem NENHUMA relação com o serviço de consulta cadastral chamado CREDINFO POSTAL.

Enquanto este site, o www.credinfo.com.br, refere-se a um software de gestão para Correspondentes, o serviço CREDINFO POSTAL parece ser um serviço interno de consultas dos bancos, onde deve funcionar como um serviço de consulta cadastral, tipo o Serasa. Também ouvimos relatos que tal serviço chamado de CREDINFO POSTAL é consultado nas agências dos Correios.

Portanto se seu CPF foi negativo pelo CREDINFO POSTAL, procure o banco ou uma agência dos Correios e se informe sobre a origem desta negativação. Nós não temos condições de ajuda-lo, já que desconhecemos a origem deste serviço.

Então o site www.credinfo.com.br nunca foi um sistema de consulta cadastral e nem será. É apenas um site que oferece um software para download para correspondentes calcularem suas comissões de propostas.

É apenas uma coincidência dos nomes, enquanto este site chama-se Credinfo.com.br, o serviço de consulta cadastral, onde provavelmente negativou seu CPF, chama-se CREDINFO POSTAL.