Verificar configuraes
Startup facilita crédito a negativados e já arrecadou R$ 800 mil

Startup facilita crédito a negativados e já arrecadou R$ 800 mil

A EasyCrédito foca em pessoas com pouco acesso a instituições financeiras – e, em uma campanha de equity crowdfunding, arrecadou 800 mil reais


Mulher pensa em dinheiro

Dinheiro: todos os dias, cerca de 100 propostas são fechadas pela EasyCrédito (./Thinkstock)
São Paulo – Se você já tomou um crediário ou conhece alguém que já o tenha feito, deve saber quão penoso costuma ser tal processo – especialmente para quem sente na pele os efeitos da crise econômica.

O cliente vai a uma loja; olha os produtos vendidos, fazendo sua lista de desejos; negocia os valores com o vendedor; e então submete suas informações para uma análise de risco. Muitas vezes, esse longo procedimento não dá resultado: o consumidor tem seu crédito negado e sai da loja de mãos abanando.

O consultor financeiro Marco Túlio Ramos logo percebeu esse problema. Combinando tal demanda com o sonho de abrir uma startup, fundou em 2015 a EasyCrédito: um marketplace de serviços de crédito para quem tem nenhum ou pouco acesso às instituições financeiras.

Com dois anos de vida e quatro acelerações, a EasyCrédito já conta com 200 mil usuários cadastrados e 32 empresas oferecendo serviços (incluindo fintechs). Todos os dias, cerca 100 propostas são fechadas.

Na última rodada de investimentos recebido pela startup, por meio de uma campanha de equity crowdfunding, o negócio arrecadou 800 mil reais. Agora, a EasyCrédito negocia novos aportes e planeja uma expansão internacional.

Começo de negócio

Ramos já conhecia a área e o mundo do empreendedorismo: seu primeiro negócio foi uma consultoria de crédito para pequenas e médias empresas, aconselhando os documentos que deveriam ser apresentados e como se portar em uma negociação com um banco.

“O negócio começou a crescer bastante, beneficiando tanto para as empresas quanto os bancos. Mas eu não sabia nada sobre startups ainda, só sobre mercado financeiro. Então, me sugeriram que eu começasse a trabalhar em um espaço de coworking de Goiânia”, conta o empreendedor.

O começo foi estranho para Ramos, mas logo ele abandonou o jeitão de advogado e se inseriu no mundo de startups. Eventualmente, virou o sócio desse espaço de coworking por um tempo.

Ele só via um problema: ainda que fomentasse muitos negócios inovadores, seu próprio empreendimento continuava sendo tradicional. “Eu quis me desafiar a montar uma startup de finanças, que é a área pela qual me apaixonei.”

Aí surgiu a ideia da EasyCrédito – uma plataforma que antecipa a análise de crédito, para fazer com que a pessoa só vá à loja tendo a certeza de que poderá comprar.

“Quem precisa de crediário costuma ser quem tem nenhum ou pouco acesso ao sistema financeiro: o usuário que não conhece poderes de compra, como cartões”, explica Ramos. “A pessoa se frustra ao ir ao estabelecimento, escolher os produtos, negociar com o vendedor e, só depois de todo esse processo emocional e operacional, vê que seu crédito foi reprovado e volta de mãos vazias.”

Essa proposta se tornou realidade em março de 2015, quando a EasyCrédito foi lançada, em Goiânia. Ramos começou o negócio, mas hoje há outros quatro sócios-fundadores: Bárbara Moreira, Douglas Jason, Egio Arruda e Rodrigo Siqueira.


Espaço da EasyCrédito no Google Campus, em São Paulo (Google Campus/Divulgação)

Como funciona, para os bancos e os usuários?

A EasyCrédito funciona tanto em uma versão para desktop quanto para smartphones (aplicativo), ambas gratuitas. O usuário se cadastra, escolhe o serviço de crédito desejado e confirma a solicitação. A resposta é enviada por e-mail.

As modalidades oferecidas são empréstimo pessoal, financiamento de bens de consumo, crediário, cartões bandeirados de crédito e abertura de conta corrente. Para sair apenas do crediário, incluiu instituições financeiras na plataforma e se transformou em um marketplace. A plataforma fica com uma porcentagem variável por contrato, cobrada da instituição, indo até 17% do valor combinado.

Segundo Ramos, a EasyCrédito é interessante a essas instituições porque oferece mais dados colocados pelo usuário, como perfis em redes sociais. Isso facilita a análise real do risco de crédito do candidato e permite, portanto, que mais operações de crédito possam ser aprovadas.

Já do lado do consumidor, a pessoa pode consultar suas informações de crédito sem nenhum atrito ou constrangimento que podem existir em um atendimento presencial. Ele também afirma que a burocracia é menor, fazendo com que a concessão ou não de crédito saia mais rápido.

O público maior da EasyCrédito pertence às classes C, D e E, com uma renda média de dois mil reais por mês. O ticket médio de empréstimo é de 3 mil reais, por exemplo.

Pessoas que já tiveram crédito negativado podem participar da plataforma. “Hoje, no mercado, existe o que chamamos de assimetria de informações: se você foi reprovado em uma loja, pode ser aprovado em outra. É algo que depende do apetite de risco da instituição que concede o crédito, então é possível tentar em novas assim que houver uma reprovação”, afirma Ramos.

Mesmo assim, o empreendedor diz orientar que uma pessoa muito endividada, com dezenas de restrições, pondere se adquirir mais crédito será a solução ou apenas uma bola de neve de dívidas. Na plataforma, é possível consultar a situação do CPF e acessar conteúdos gratuitos sobre educação financeira.

Infelizmente, as taxas de juros dos serviços financeiros não costumam abaixar em relação aos pedidos comuns: o diferencial do negócio está mais na facilidade de uso. As taxas variam de 0% (financiamento sem juros) até 5% ou 6% ao mês.

“Esse público que está entrando no mercado financeiro agora não dá informações suficientes para que as taxas consigam ser menores. Os bons acabam pagando pelos maus. O que nós fazemos é insistir em taxas mais justas, apresentando as informações que coletamos”, afirma.
Acelerações e investimentos

A EasyCrédito passou por diversas acelerações ao longo de seus dois anos de vida. A primeira foi em dezembro de 2014: o programa Start-Up Brasil, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Com o processo, os empreendedores conseguiram modelar o negócio e lançá-lo alguns meses depois.

Depois, passou pelos processos InovAtiva Brasil (do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços) e Inovabra (do banco Bradesco).

Em agosto de 2016, a startup foi selecionada para a primeira turma de residentes no Google Campus, espaço da gigante de tecnologia localizado no bairro do Paraíso, em São Paulo.


Marco Túlio Ramos, da EasyCrédito, em Demo Day no Google Campus, em São Paulo (Google Campus/Divulgação)

Em uma rodada de equity crowdfunding feita também em 2016, a EasyCrédito arrecadou 800 mil reais ao todo. Hoje, o negócio continua no Campus e conversa com investidores.

A meta para 2017 é terminar o ano com ao menos 700 mil usuários, além de iniciar a conversa com instituições financeiras de outros países de língua portuguesa, da América Latina e do Leste Europeu.

Fonte Exame Por Mariana Fonseca
Fonte http://exame.abril.com.br/pme/startup-facilita-credito-a-negativados-e-ja-arrecadou-r-800-mil/

Read More
Mulheres têm produção maior que homens na Porto Seguro

Mulheres têm produção maior que homens na Porto Seguro

No dia internacional das mulheres, o Sincor-SP fez uma homenagem por intermédio das corretoras. A entidade reuniu cerca de 300 mulheres no Villa Country, um espaço de shows e eventos da cidade.

Alexandre Camilo, presidente do Sincor-SP, e a diretoria preparou uma tarde onde as corretoras pudessem ter um dia de congraçamento. Ele destacou que a mulher tem ganhado espaço de destaque junto ao consumidor e à instituição seguro seja nas seguradoras ou corretoras. “Cabe ao Sincor-SP exaltar o papel que a mulher vem cumprindo na sociedade e, principalmente, à corretora que ajuda a divulgar a proteção do seguro”, afirmou.

Boris Ber, vice-presidente da entidade, destacou que o bonito do evento, além da homenagem às mulheres, é o clima de congraçamento. “Corretor de seguros é a única profissão em que os concorrentes fazem confraternização, trocam informações, isso não acontece em outras profissões”, diz ele.

Simone Martins, vice-presidente do Sincor-SP, e única mulher na diretoria, destacou a importância da mulher no mercado segurador e seu orgulho em participar dele. “A mulher vem tendo um destaque no mercado de seguros. Fico lisonjeada por representar a mulher na executiva do Sincor-SP e me orgulho bastante de ser corretora”, destacou.

Raquel Gomes, da Comissão Feminina da entidade, afirmou que há uma busca diária pela igualdade de direitos e o reforço do papel da mulher no mercado de seguros.

Das corretoras presentes, muitas vieram de cidades do interior, das regionais do Sincor-SP, como Piracicaba, Ribeirão Preto, entre outras.

A mulher no mercado de trabalho

O presidente da Porto Seguro, Fábio Luchetti, esteve presente no evento falando sobre o potencial da mulher no mercado de seguros. Apresentando dados e estudos, ele disse que a mulher é o equilíbrio da família e da sociedade. “Há muito mais mulheres ativas na sociedade do que mostram as estatísticas”, afirmou.

Luchetti lembrou que hoje muitas mulheres deixam de trabalhar para cuidar dos filhos ou dos pais idosos. “Infelizmente vivemos em um país que não está preparado para proporcionar uma velhice amparada”, analisou. Ele citou ainda o fato de que a mídia, na maior parte das vezes, não contribui para desconstrução de estereótipos.

Para o presidente da Porto Seguro, a característica feminina de conciliar diversas áreas da vida é uma vantagem profissional para as mulheres. “Hoje as coisas acontecem ao mesmo tempo. Se hoje trabalhamos até os 60/65 anos de idade, viveremos até os 90 e precisaremos encontrar formas diferentes de trabalhar para ter nosso sustento”, disse.

Ele destacou ainda que as mulheres têm um viés mais ético e são mais confiáveis para negociar. Ele revelou ainda que na Porto Seguro, as corretoras tem uma produção 20% maior que os homens. “Isso não quer dizer que devemos pagar uma comissão maior a elas” brincou. Luchetti disse ainda que na seguradora que dirige, a maior taxa de renovação está com elas. Por isso, ele sugeriu que o Sincor-SP desenvolva um projeto especial que estimule a formação de um número maior de mulheres corretoras de seguros.

Fonte CQCS | Sueli Santos
Fonte https://www.cqcs.com.br/noticia/mulheres-tem-producao-maior-que-homens-na-porto-seguro/?utm_source=news-09-03-17&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs&utm_source=Newsletter+CQCS&utm_campaign=2ab74af7d9-EMAIL_CAMPAIGN_2017_03_09&utm_medium=email&utm_term=0_a1ad0190c1-2ab74af7d9-15123961

Read More
Santander pagará R$ 39 milhões à Prefeitura para operar folha dos servidores municipais

Santander pagará R$ 39 milhões à Prefeitura para operar folha dos servidores municipais


Foto: Julio Sian

Pregão presencial realizado na manhã desta quinta-feira, 16, foi disputado também pela Caixa Econômica Federal

A folha de pagamento dos servidores municipais de Ribeirão Preto será operada, a partir de agora, pelo banco Santander, que venceu na manhã desta quinta-feira, 16, o pregão presencial nº 259. Pela operação, a instituição bancária vai pagar R$ 39 milhões à Prefeitura Municipal, que deve empregar o dinheiro para saldar dívidas com credores. O pagamento será feito à vista, em oito dias.

O valor alcançado pela Prefeitura com a “venda” da folha de pagamento dos servidores supera em R$ 3 milhões a quantia paga na última concorrência, em 2012, quando a Caixa Econômica Federal ganhou a disputa ao oferecer R$ 36 milhões ao município.

Como vencedor do processo licitatório de 2017, o banco Santander administrará a folha de pagamento de aproximadamente 15 mil servidores e funcionários da Prefeitura Municipal, Daerp, Sassom e IPM, pelo período de 60 meses.

Fonte http://www.revide.com.br/noticias/politica/santander-pagara-r-39-milhoes-prefeitura-para-operar-folha-dos-servidores-municipais/

Read More
SP – Justiça manda banco interromper cobrança de empréstimo após golpe

SP – Justiça manda banco interromper cobrança de empréstimo após golpe


Aposentada, moradora do Boqueirão, teve prejuízo superior a R$ 43 mil

BRUNO LIMA

Vítima de um golpe em janeiro que lhe trouxe um prejuízo financeiro superior a R$ 43 mil, uma aposentada de 73 anos, moradora do Boqueirão, em Santos, conseguiu, na semana passada, uma liminar que suspende o pagamento mensal dos quatro empréstimos feitos pelo estelionatário por meio de sua conta bancária.

Antes de acionar um advogado, a vítima havia feito um pedido administrativo ao banco para não arcar com as despesas feitas pelo criminoso. Contudo, o banco recusou o pedido.

O pesadelo da aposentada, que prefere não se identificar, começou quando, nos primeiros dias do ano, um homem telefonou para sua casa e apresentou-se como funcionário do banco onde ela tem conta.

“O bandido tinha a voz do meu gerente e falou todos os números dos meus documentos. Disse que, por causa do meu cartão de crédito, eu ganharia uns prêmios de utilidades domésticas. Confesso que não desconfiei de nada e me empolguei com os objetos que receberia”, explica ela.

Porém, para que realmente ganhasse os produtos, a aposentada precisaria atualizar o seu cartão bancário. “O suposto gerente disse que me mandaria um novo cartão com letras e números maiores para facilitar a leitura. Além disso, disse que outro funcionário do banco passaria na minha casa para buscar o cartão que vinha usando junto com a minha senha”, relembra a vítima.

Sabiam onde mora

Sem passar seu endereço, a aposentada recebeu a visita de um suposto bancário, conforme tinha sido avisada pelo telefone.

“Nem cheguei a vê-lo. Pedi para que a minha empregada entregasse o cartão com a senha. Ela ainda me alertou, mas eu estava convencida de que se tratava do meu gerente, devido à semelhança na voz e ao fato de conhecer todos os meus dados”, relata.

Bandido se passou por gerente de banco e solicitou cartão e senha da vítima (Foto: Walter Mello)
Passados alguns dias sem ir ao banco, a vítima foi novamente procurada pelo golpista. “Ele queria saber se eu havia retirado os meus prêmios. Expliquei que não, mas ligaria no banco. Todo atencioso, o bandido pediu para não se preocupar que ele resolveria a entrega”, diz a aposentada.

Ilusão: o que o estelionatário queria mesmo era saber se ela já tinha tomado ciência do golpe.

Desconfiada por não receber nada em casa, a vítima compareceu à agência e conversou com uma funcionária. “Foi então que ela me avisou de quatro empréstimos feitos no meu nome. Cancelei o cartão imediatamente e fiz o pedido administrativo, que foi negado. Fui obrigada a começar a pagar as parcelas mensais dos empréstimos feitos pelo bandido”.

Idade da vítima elevou risco

Inconformada, a aposentada acionou, em maio, o advogado Maurício Cury, do escritório Cury e Moure Simão. Ele deu entrada a um pedido de liminar na 2ª Vara Cível de Santos solicitando a suspensão do pagamento das mensalidades.

“Além de todo o transtorno financeiro, a gerente desaconselhou a aposentada a registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil, sob a alegação de que o processo de investigação feito pelo banco não utilizaria o documento”, revela Cury.

A liminar foi concedida no dia 26 pelo juíz Claudio Teixeira Villar, que, em sua decisão, ponderou que a idade da autora é uma “fase da vida na qual muitas vezes se está distante da realidade dos serviços virtuais, e que não raras vezes (se) é alvo de pessoas especializadas na aplicação de golpes”.

Ressarcimento

Com a decisão, o advogado da vítima citará o banco para que se defenda. Se a Justiça der ganho de causa à vítima, ela terá restituídos os R$ 43,9 mil de prejuízo e as parcelas descontadas antes da suspensão do pagamento. O banco também poderá ter de indenizar a aposentada por danos morais.

“Espero que as pessoas, principalmente os idosos, usem o meu caso como exemplo e fiquem em alerta para não terem prejuízos. A semelhança com a voz do meu gerente e os prêmios oferecidos me fizeram cair neste golpe”, conclui ela, que aguarda pelo desfecho do processo para saber quando receberá o dinheiro.

Fonte http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/cidades/juiz-manda-banco-parar-cobranca-apos-golpe/?cHash=10aaab22c341e7c37879442cbb156505

Read More
SP – Polícia investiga empresa de crédito pessoal após golpe a internauta

Polícia investiga empresa de crédito pessoal após golpe a internauta


Página orienta cliente a depositar 20% do valor a ser emprestado.

Vítima de Piracicaba (SP) denunciou perda de R$ 1,4 mil após cadastro.

A Polícia Civil de Piracicaba (SP) investiga uma assessoria financeira por suposto crime de estelionato. Uma mulher, que preferiu não se identificar, registrou boletim de ocorrência, após perder R$ 1,4 mil ao dar entrada a um empréstimo oferecido pela empresa, pela internet, para pagamento de aluguel atrasado.
O caso é investigado pelo Unidade de Polícia Judiciária Grupada de Piracicaba. Em conversa com G1, nenhum outro lugar aceitava fazer o empréstimo para pagamento do aluguel atrasado.
A suposta financeira foi a única que aceitou negociar o empréstimo para ela. No entanto, a empresa pediu um depósito de 20% do valor para que não fosse necessário fiador. “Eles entram no psicológico da gente, fazem a gente acreditar que é uma empresa séria”, contou.
A vítima chegou a fazer dois depósitos de R$ 700 reais cada, em duas contas diferentes, até perceber que se tratava de um golpe. “Era o único dinheiro que eu tinha”, lamentou.
Segundo a vítima, a cada depósito que ela fazia, a suposta empresa dava um prazo de 30 minutos para entrar em contato, mas demorava o dobro ou triplo do tempo.
A empresa citada pela mulher chama-se Kafran Assessoria e em sua página na internet a suposta financeira disponibiliza telefone e e-mail. O G1 tentou entrar em contato com o estabelecimento por meio das informações fornecidas no site, na quinta (22) e nesta sexta-feira (23), mas não obteve retorno. Também na página a empresa oferece empréstimos a taxa de 0,88% ao mês, índice bem abaixo do que é praticado pelo mercado.

Fonte Do G1 Piracicaba e Região
http://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/noticia/2016/09/site-promete-emprestimo-para-aplicar-golpe-em-internautas-de-piracicaba.html

Read More
Sorocaba/SP – Consignados para aposentados crescem 150%

Sorocaba/SP – Consignados para aposentados crescem 150%

aposentados_2
O número de aposentados e pensionistas que contrataram empréstimo consignado na região de Sorocaba, de janeiro a agosto deste ano, cresceu 150% em relação ao mesmo período de 2015, segundo dados do Ministério da Previdência Social. Até o mês passado, a região contabilizou 428.305 consignados, ante 170.736 de janeiro a agosto do ano anterior. Em valores, os empréstimos aumentaram 59% de um período para outro. Os aposentados e pensionistas da região somaram R$ 994.352.532,19 em consignados até agora. O acumulado dos oito primeiros meses de 2015 foi de R$ 625.276.988,49.

Os meses com maior contratação de consignados na região foram março e agosto. Apenas em março, 65.641 aposentados ou pensionistas tomaram R$ 156.224.378,90 em empréstimos. Já em agosto, foram 61.820 pessoas, que contrataram R$ 141.627.909,32. Neste mesmo mês, em 2015, foram tomados 17.845 empréstimos, que somaram R$ 74.858.591,01. A região de Sorocaba possui 20 agências do INSS, em Apiaí, Boituva, Cabreúva, Capão Bonito, Guapiara, Itapetininga, Itapeva, Itararé, Itu, Piedade, Pilar do Sul, Porto Feliz, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sorocaba 1 e 2, Tatuí e Votorantim. A redução da renda dos aposentados e pensionistas, devido a reajustes anuais que ocorrem abaixo da inflação, é o que está por trás do avanço do empréstimo consignado, avalia o presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Sorocaba (Apenso), José Raimundo Queiroz Melo. “Os aumentos que têm acontecido das aposentadorias são mínimos e cada vez mais vão tirando a condição de vida das pessoas.” Segundo ele, os medicamentos mais caros e a inflação sobre os alimentos levam os idosos a se endividarem.

O aumento da busca pelo consignado também se deve às taxas de juros elevadas dos empréstimos comuns, segundo o economista Sidney Oliveira, delegado do Conselho Regional de Economia (Corecon). “O consignado, por sua vez, por ter risco menor, muitas pessoas acabam recorrendo”, comenta. As dificuldades financeiras de familiares, que é um reflexo do desemprego e endividamento, também tem seu peso. “Essa faixa de aposentados dificilmente pega empréstimo para si próprio. Pegam para filhos, netos”, observa Oliveira.

Reclamação

Os dois consignados tomados pelo aposentado Reinaldo Duarte foram para socorrer os filhos. No ano passado, ele havia feito o primeiro empréstimo. O outro, ele fez em fevereiro. “Os filhos estavam em dificuldade e os pais acabam se sacrificando para socorrer. É mais fácil de pegar, a taxas de juros são relativas”, diz Duarte. No entanto, ele avalia que a medida seja uma armadilha, porque acaba amarrando a renda do aposentado. “Oferecem muita facilidade e você acaba ficando preso”, segundo o aposentado, embora ele não tenha ultrapassado o limite de 30% para adquirir o empréstimo.

O prazo longo de quitação, que acaba gerando taxas de juros elevadas, é um problema, na opinião do aposentado Djalma Catarino de Souza. Ele já havia tomado consignados anos atrás e conseguiu pagar tranquilamente. Desta vez, ele reclama do tempo prolongado para pagar. “Eu achei muito demorado o parcelamento. São 97 meses. Antigamente, eram 48 meses.” O aposentado pegou R$ 4 mil para fazer uma pequena reforma em casa.

Fonte http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/731564/consignados-para-aposentados-crescem-150
Anderson Oliveira

Read More
São Carlos/SP – Com a crise, procura por empréstimo consignado sobe 62% em São Carlos

São Carlos/SP – Com a crise, procura por empréstimo consignado sobe 62% em São Carlos

aposentados_1

Com a crise, muitos idosos têm recorrido ao crédito consignado para ajudar a complementar a renda e pagar contas. Em São Carlos (SP), a procura por esse tipo de crédito aumentou 62% e, em São João da Boa Vista, 61% de janeiro a julho deste ano em relação ao mesmo período de 2015. Em Araraquara, a alta foi de 51%, em Rio Claro, de 35%, e, em Araras, de 21%. Dono de uma instituição financeira em São Carlos, Bento Carlos Roque contou que desde fevereiro deste ano a procura por empréstimo consignado aumentou 40% por vários motivos, entre eles pagamento dívidas, viagens, reforma na casa e, na maioria das vezes, para evitar as altas taxas de juros dos bancos. “O cartão de crédito é o vilão do mercado, com juros que chegam a 500% ao ano. No consignado você tem uma taxa de 53%, 60% ao ano. Ele te dá a opção de ter um crédito barato, um prazo longo para pagar e realmente resolver o seu problema financeiro”, explicou. Em outra instituição financeira da cidade, a procura por esse tipo de crédito subiu entre 30% e 50% em relação ao mesmo período do ano passado, ressaltou a proprietária, Tatiana Terense Garcia.Ajuda na renda A dona de casa Iracy Novaes de Oliveira é aposentada, mas o que recebe não cobre todas as despesas e apenas neste ano já fez vários empréstimos. “O custo de vida está caro, então não tem como eu ficar sem dinheiro”, contou. A vendedora Julia Fernanda de Oliveira faz salgados para vender, uma forma de complementar a pensão que recebe do marido, que morreu há 10 anos. Ainda assim, ela não tem conseguido manter a casa onde vivem mais seis pessoas. Para não atrasar e mesmo deixar de cumprir com as obrigações, a vendedora recorre ao empréstimo consignado. “Sempre me ajuda muito bem porque é um dinheiro extra que entra para ajudar a pagar conta de água, de luz, alimentos para a casa”, disse. Mas nem todo mundo pode contar com essa forma de empréstimo. Por ser um crédito que desconta as parcelas do salário ou benefício, a opção está liberada para funcionários públicos, pensionistas, aposentados pelo INSS e trabalhadores com carteira assinada ou se a empresa tiver convênio com um banco, e os especialistas recomendam que as prestações mensais não sejam maiores que 30% do salário ou benefício.

Fonte http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2016/09/com-crise-procura-por-emprestimo-consignado-sobe-62-em-sao-carlos.html
Fonte http://www.jornalfloripa.com.br/noticia.php?id=565006

Read More
Bancos empurram cartão Elo e clientes reclamam

Bancos empurram cartão Elo e clientes reclamam

Cartões Elo
cartoes_elo
Cartões Elo: taxa mais alta cobrada de comerciantes pode justificar falta de aceitação
Marília Almeida Marília Almeida, de EXAME.com

São Paulo – Bradesco, Caixa e Banco do Brasil priorizam emitir cartões com a bandeira Elo, da qual são sócios, o que vem provocando queixas de clientes em sites como o Reclame Aqui.

O principal motivo de descontentamento com a bandeira, criada em 2010, é a falta de aceitação do cartão em estabelecimentos pelo país, o que provoca constrangimentos (e já gerou até memes). Surpreendidos com o cartão, clientes buscam mudar a bandeira do plástico para as líderes do mercado, Visa e MasterCard.

É o caso da professora Elza Mauricio Moreira, 61, que tinha um cartão com a bandeira Visa e aponta que o Banco do Brasil fez, sem motivo aparente, a troca para a bandeira Elo. Foi aí que começaram os problemas, conta Elza, que pede a troca do plástico ao banco para outro com a bandeira antiga.

“Percebi que o cartão não é aceito em muitos lugares. Alguns colocam cartazes, mas outros parecem disfarçar e acabam dizendo que a máquina que aceita o cartão está sem conexão. Não costumo andar com dinheiro e estou nervosa de tanto passar vergonha e ter de deixar as minhas compras no caixa”, desabafa.

Segundo estudo da consultoria especializada em varejo Boanerges & Cia, a prioridade que Bradesco e Banco do Brasil têm dado à emissão de cartões Elo explica, em parte, o avanço da bandeira no mercado, que já reúne 17,9% dos cartões de débito ativos no país. Antes, esses bancos costumavam impulsionar a emissão de cartões Visa Electron.

Mas apesar da participação da bandeira no mercado ter crescido, o número de transações registradas em cartões Elo ainda é baixo se comparado ao de concorrentes. “A falta de aceitação pode ser uma das justificativas”, diz Vitor França, consultor da Boanerges & Cia.

Procurado, o Banco do Brasil enfatiza que cabe exclusivamente ao cliente a decisão final quanto à bandeira de sua preferência e toda a rede de agências é frequentemente orientada a deixar clara a liberdade que os clientes têm em suas escolhas.

Já a Caixa diz, em nota, que “as reclamações são objeto de atuação do banco, em parceria com a bandeira, para verificar as condições de aceitação na cidade ou região indicadas pelos clientes e promover a rápida ampliação da rede credenciada”.

O Bradesco disse que segue uma estratégia de distribuição de cartões e que o cliente sempre tem a opção de solicitar o produto com a bandeira de sua preferência.

“O banco busca constantemente adotar medidas que aprimorem os serviços prestados, por isso todas as manifestações dos clientes são atenciosamente recebidas, analisadas e respondidas. Vale acrescentar que o Bradesco tem o selo RA8000 no Reclame Aqui, o que reforça o seu comprometimento com os clientes.”

Taxa alta pode ser barreira

Levantamento da Boanerges & Cia indica que a Cielo cobra uma taxa mais alta do que a média de mercado a comerciantes por cada transação com cartões de débito Elo. A cobrança poderia ser um dos obstáculos para a maior aceitação do cartão Elo até setembro do ano passado, quando a bandeira ainda era aceita somente em máquinas da Cielo.

No quarto trimestre de 2015, a credenciadora cobrava em média 1,6% nestas transações, enquanto a média do mercado era de 1,51%.
França, da Boanerges & Cia, faz a ressalva de que a taxa média é apenas um indicador, já que a tarifa varia conforme o tipo e porte do estabelecimento. “Uma credenciadora que atue em segmentos no qual as taxas são mais altas terá, naturalmente, taxas maiores”.

O comerciante William Herbert Mac Laren, 53, tem conta no Bradesco há mais de 10 anos, e sempre teve cartão de débito com bandeira Visa. Quando o seu cartão expirou, um funcionário do banco disse que o banco passou a emitir somente cartões com a bandeira Elo. William reclamou. “Como lojista, sei que o cartão não é aceito em muitos lugares porque a taxa cobrada é alta. Empurrar o cartão ao consumidor parece uma forma de pressionar os lojistas a aceitarem o cartão”.

Aceitação do cartão cresce

Desde que as regras para arranjos de pagamentos foram modificadas pelo Banco Central em setembro de 2015, a exclusividade do contrato entre Elo e Cielo foi encerrada. Desde então a bandeira passou a ser aceita também em máquinas da Getnet, Rede, BIN e Sipag.

Como consequência, a aceitação da bandeira deu um salto e praticamente dobrou, segundo dados da própria Elo. De acordo com a companhia, a rede de estabelecimentos que aceitam o cartão com a bandeira passou de 1,45 milhão em 2014 para 2,6 milhões este mês.

Ainda assim existe um espaço no mercado a ser preenchido, já que a estimativa é de que 3 milhões de estabelecimentos aceitem cartões no país, segundo informações da bandeira.

A partir de julho, o cartão da Elo também passou a ser aceito em compras no exterior por meio de uma parceria com uma rede americana. Desde então a bandeira é aceita em 185 países e mais de 39 milhões de estabelecimentos lá fora. A parceria também vale para compras em sites internacionais.

Quais são seus direitos

Ione Amorim, economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), diz que o consumidor não é obrigado a aceitar o cartão pelo qual não tenha interesse e que não tem aceitação consolidada, de acordo com o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor. “A prática é abusiva e pode ser considerada como venda casada”.

Ao realizar qualquer mudança em contratos de cartões, como troca de bandeira, por exemplo, o banco deve consultar o cliente, diz Ione.

Consumidores que se depararem com um cartão não solicitado da bandeira e a justificativa de que não pode ser trocado por outro deve registrar a queixa no Banco Central, além de sites como o Consumidor.gov.br e o Procon, que podem aplicar penalidades à instituição financeira, como multas.

Estabelecimentos que não aceitem o plástico devem deixar a informação visível de forma ostensiva e em local acessível, tanto em meios eletrônicos como ambientes físicos. “O comerciante não pode induzir o cliente a consumir e somente depois dizer que não trabalha com a bandeira. O cliente passará por uma situação constrangedora se não tiver outro meio de pagamento alternativo”, diz Ione.

Fonte http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/bancos-empurram-cartao-elo-e-clientes-reclamam

Read More
SP – Vigilante perde quase R$ 3 mil ao tentar fazer um empréstimo em SP

SP – Vigilante perde quase R$ 3 mil ao tentar fazer um empréstimo em SP

ESTELIONATO

Mais um cidadão ouropretense caiu na conversa de estelionatários e acabou perdendo R$ 2.730,00 que depositou achando que receberia de volta, junto com o valor de R$ 3 mil que pretendia tomar emprestado de uma financeira localizada no Estado de São Paulo.

Imaginando que estava negociando o empréstimo de R$ 3 mil com a empresa Adel Financeira que faz empréstimo para negativados, e fica localizada na capital paulista, o vigilante de iniciais U.N.J, de 30 anos, provavelmente se envolveu com golpistas profissionais que utilizam dados com endereço e CNPJ de empresas que fazem empréstimo consignado.

O vigilante relatou na Delegacia, que pessoas, provavelmente se passando por funcionário da empresa solicitaram no dia 18 de abril ele depositasse a quantia de R$ 300,00 para uma corrente de uma agência da cidade de Ribeirão Preto, em nome de Andressa Cristina Paixão de Sá. Após o primeiro depósito, foi solicitado ao vigilante que efetuasse mais três transferências nos valores de R$ 650,00, R$ 800,00 e de R$ 980,00, todos na conta da favorecida do primeiro depósito de R$ 300,00, sob o argumento que esses valores seriam ressarcidos junto com o valor do empréstimo solicitado.

O vigilante efetuou as três transferências, mas na manhã desta terça-feira, recebeu outra ligação solicitando depósito no valor de mais R$ 810,00 e só então a vítima desconfiou que se tratava de um golpe, e resolveu procurar a polícia

Fonte http://www.rondoniagora.com/policia/noticia/2016/05/vigilante-perde-quase-r-3-mil-ao-tentar-fazer-um-emprestimo-em-sao-paulo.html

Read More
SP – Dupla leva R$ 20 mil de correspondente bancário

SP – Dupla leva R$ 20 mil de correspondente bancário

A polícia procura por dois homens que invadiram nesta quinta-feira (11) um correspondente bancário no Centro de São Manuel (69 quilômetros de Bauru), renderam funcionários e clientes e fugiram levando mais de R$ 20 mil em dinheiro e folhas de cheques.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), os assaltantes entraram no estabelecimento encapuzados e armados com revólver, por volta das 18h, e roubaram malote contendo R$ 16,8 mil, além de R$ 1,5 mil em dinheiro e R$ 1.777,00 em folhas de cheques do caixa.

Antes de fugir, a dupla ainda recolheu objetos pessoais e aparelhos celulares das vítimas. A PM foi acionada e realizou buscas pelos ladrões, mas, até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso. A Polícia Civil investiga o caso.

Fonte http://www.jcnet.com.br/Regional/2016/02/dupla-leva-20-mil-de-correspondente-bancario.html
Lilian Grasiela

Read More
SP – Aposentada cai em golpe no caixa eletrônico do BB e perde R$ 2 mil

Aposentada cai em golpe no caixa eletrônico do BB e perde R$ 2 mil


Uma aposentada de 77 anos procurou o plantão policial na manhã deste sábado para registrar uma ocorrência de furto. Em seu depoimento aos policiais, ela alegou que perdeu R$ 2 mil ao ser enganada por um homem, na área dos caixas eletrônicos do Banco do Brasil, na Estação.

Segundo ela, na manhã deste sábado, 13, ela foi até a agência para sacar uma quantia. No momento em que estava retirando o dinheiro, um homem de pele clara e bem vestido se aproximou dizendo que ela deveria trocar a senha de seu cartão.

A idosa disse que o rapaz colocou o cartão na máquina e tentou ajudá-la no sistema do banco.

Ao sair da agência, a aposentada foi abastecer em um posto e o cartão com a senha não foi autorizado. Ao chegar na casa de uma sobrinha, elas notaram que o cartão, apesar de ser parecido, não era o dela. O rapaz havia trocado no momento do golpe e anotado a senha.

A aposentada também informou que foi sacado de sua conta a quantia de R$ 2 mil.

O caso foi registrado e será investigado.

Fonte http://gcn.net.br/noticia/311433/franca/2016/02/aposentada-cai-em-golpe-no-caixa-eletronico-do-bb-e-perde-r-2-mil

Read More
SP – Aposentado empresta 9,32% mais em 2015

Aposentado empresta 9,32% mais em 2015

Para ajudar a nora, o aposentado andreense de 75 anos, que preferiu não se identificar, precisou pedir empréstimo no ano passado. O valor, por volta de R$ 8.000, foi para completar o montante de R$ 28 mil que sua companheira, a pensionista, que também não quis ter o nome revelado, 75, da mesma cidade, já tinha financiado para a mesma finalidade, com o desconto no benefício da Previdência Social, mas a quantia não era o suficiente.

Situações como esta são cada vez mais comuns. De acordo o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), a demanda por crédito consignado por aposentados e pensionistas das sete cidades cresceu 9,32% no ano passado, quando comparado ao número de contratos assinados em 2014. O levantamento, feito pelo órgão a pedido do Diário, aponta que os beneficiários contrataram 322.428 operações em 2015, o que significa 27.512 a mais do que no ano anterior.

Para se ter ideia do quanto isso representa, o volume de contratos assinados supera o total de aposentados na região, que em janeiro deste ano era de 302.976. Somados ao número de pensionistas, que estava em 115.155, a quantidade de operações feitas no ano passado representa 77% do total de beneficiários. É importante lembrar que não estão na conta os segurados que recebem benefícios de caráter assistencial, como os auxílios, já que esses não têm direito ao consignado do INSS.

Segundo o instituto, o valor total emprestado foi de R$ 1,33 bilhão, quase R$ 40 milhões a mais do que em 12 meses, quando a quantia somava R$ 1,29 bilhão – incremento de 3,09%.

ESTÍMULO – Um dos motivos que colaboraram para o aumento da procura por crédito e do volume financiado é o endividamento da maioria das famílias nos dias de hoje, devido à situação de crise da economia do País, conforme analisa o educador financeiro da DSOP, Edward Claudio Júnior. “O achatamento da renda e a falta de educação financeira acabam ganhando destaque com a turbulência econômica. Isso faz com que a procura por empréstimos comecem a aumentar”, afirma.

O diretor de políticas sociais da Associação dos Aposentados e Pensionistas do Grande ABC, Luís Antônio Ferreira Rodrigues, complementa. “Não é de hoje que o aposentado recebe um salário que não corresponde à realidade de vida à qual ele é submetido. Com a crise, essa situação se agravou. Como se trata de um empréstimo com juros menores do que a maioria, o consignado do INSS acaba parecendo atrativo”, declara Rodrigues.

Os juros do consignado são os menores do mercado, se comparado às modalidades de crédito para consumo disponíveis. No último boletim de operações de crédito do Banco Central, que abrange o período de 21 a 27 de janeiro, as taxas em bancos e financeiras para um empréstimo pessoal variavam de 1,66% a 20,04% ao mês, enquanto as do crédito consignado do INSS saíam de 1,87% a 2,46%. A diferença se dá devido à garantia que se tem de pagamento pelo fato de o desconto da parcela ocorrer diretamente no benefício da Previdência, e ao limite de 30% de comprometimento da aposentadoria ou pensão, que se estende a 35% se houver dívida de cartão de crédito.

Mas, para o diretor de políticas sociais, é um engano achar que se está fazendo um bom negócio ao pedir o empréstimo. “Se com o salário da aposentadoria já é difícil se manter, imagina com o desconto do crédito. Com o valor do benefício menor, o endividamento acaba virando uma bola de neve, e é assim que o indivíduo acaba se afundando no sistema financeiro.”

LIMITE – O aumento do volume da demanda de consignados em 2015 contra 2014, de 9,32%, é menor do que o de 2014 contra 2013, que foi de 17%. Para o educador financeiro, a explicação para crescimento menor no ano passado é que os aposentados e pensionistas estão chegando no limite do endividamento. “Hoje, as instituições financeiras estão muito mais criteriosas para conceder o empréstimo, porque as pessoas já estão com outras dívidas ativas. Apesar de o consignado descontar direto do benefício, se o aposentado não tiver mais dinheiro, ele vai ter que recorrer a outros empréstimos para se manter, e isso se transforma em um ciclo vicioso”, assinala Claudio Júnior.

Segundo a Pesquisa Socioeconômica do Inpes/USCS (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano), a cada quatro famílias da região, uma está com contas em atraso, ou seja, 25,3% do total. Em 2014, eram 21%.

PEDIDO DE FAMILIARES – Para o representante da entidade dos aposentados, por conta dos juros menores, muitas vezes o destino do recurso é para ajudar familiares. “Hoje, o aposentado acaba sendo arrimo de família. Pelas condições mais atrativas do empréstimo, filhos e parentes preferem recorrer a quem pode conseguir crédito consignado do INSS.”

Esse foi justamente o caso do aposentado citado no início da reportagem que, junto da companheira, emprestou total de R$ 36 mil, a pedido da nora. “A gente fica com medo, porque se uma hora a gente precisar para uso próprio, não vai ser possível, porque já atingimos o limite de crédito consignado de cada um”, lamenta.

Fonte https://www.dgabc.com.br/(X(1)S(yypp5yycstcg0q1hc3yq2yot))/Noticia/1747026/aposentado-empresta-9-32-mais-em-2015
Marina Teodoro
Especial para o Diário

Read More
SP – Bancos lideram ranking do Procon de Santo André

Segundo o levantamento, o banco Itaú Unibanco lidera, com 628 pedidos. O Bradesco vem a seguir, com 616.

De janeiro a dezembro de 2013, o Procon de Santo André registrou 12,4 mil atendimentos. Bancos, empresas de telefonia fixa e móvel, redes de supermercado e operadora de TV por assinatura foram os campeões de reclamação, no acumulado do ano, aponta o ranking divulgado pelo órgão. Segundo o levantamento, o banco Itaú Unibanco lidera, com 628 pedidos. O Bradesco vem a seguir, com 616. Em terceiro lugar aparece a Vivo Telefônica, operadora de telefonia fixa, com 534 reclamações.

Das 628 reclamações do Itaú Unibanco, a empresa conseguiu solucionar 95% dos casos. O item mais reclamado foi referente a cálculo de prestações e de taxa de juros. Já o Bradesco deu resposta positiva a 97% das reclamações, tendo a cobrança indevida como principal reclamação. Terceira colocada, a Vivo Telefônica conseguiu solucionar 78% dos casos e o que mais gerou insatisfação dos consumidores foram cobranças indevidas e abusivas.

Para o diretor do Procon andreense, Marco Aurélio Ferreira dos Anjos, os moradores estão mais atentos em relação a seus direitos e, portanto, reclamam e fiscalizam mais. “Quando a população está mais informada sobre os seus direitos de consumidor, a tendência é que aumente o número de reclamações aqui no Procon”, comenta.

Completam a lista de dez mais reclamadas a operadora de telefonia móvel Claro (533), a TV por assinatura NET (402), as operadoras de telefonia móvel TIM (327) e Oi (274), a rede varejista Grupo Pão de Acúcar (230), a Vivo Celular (229) e o banco Caixa Econômica Federal (186). O ranking completo de atendimento do Procon municipal pode ser acessado no site da Prefeitura ou diretamente no link: http://sistemas.procon.sp.gov.br/rank_estadual2/?m=rank_atend&cid=6.

Fonte http://www.reporterdiario.com.br/

Read More
SP – ABC – Demanda de aposentados por consignado cresce 8% na região

Os aposentados e pensionistas da região contrataram 8% a mais de crédito consignado em outubro sobre o mesmo mês de 2012. Foram R$ 74,88 milhões distribuídos em 17.217 operações. O valor médio dos empréstimos subiu 32,2%, para R$ 4.349,70. Os dados são do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O morador de Mauá Dorival Naufal, 52 anos, pertence ao grupo de aposentados que tomou o crédito. “Fiz um empréstimo, no mês passado, para pagar em 60 vezes.” O motivo que levou Naufal a emprestar foram os juros mais baixos em relação ao que encontrou para financiar um veículo, ano 2000. O consignado tem desconto em folha de pagamento. Assim, os bancos observam menor risco de inadimplência e cobram menos juros.

Segundo o BC (Banco Central), a taxa média de juros no consignado para segurados da Previdência Social era de 2,03% ao mês em outubro. O percentual é inferior ao que as instituições cobram pelo crédito para aquisição de um automóvel usado, avaliou o diretor executivo de estudos e pesquisas econômicas da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), Miguel José Ribeiro de Oliveira. “Hoje, na média, os bancos financiam veículos usados por 2,5% a 3% ao mês, com entrada e cinco anos de uso. Alguns, mais agressivos, que aceitam carros de até dez anos, chegam a cobrar 7% ao mês (e com entrada)”, explicou Oliveira.

O professor de Gestão de Concessionária Valdner Papa, que ministra aulas na ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) e na Fundação Dom Cabral, destacou que dificilmente uma instituição financiará um veículo usado sem entrada.

Professor de Finanças da pós-graduação da Universidade Municipal de São Caetano, José Ricardo Escolá de Araújo, que também dá aulas na Trevisan Escola de Negócios e da FGV, pontuou que Naufal fez um bom negócio. “Ele pode vender o carro quando quiser, pois pagou à vista, ele não está alienado.”

Fonte http://www.dgabc.com.br/ – Pedro Souza

Read More
SP – Polícia apreende carro na casa de golpista do empréstimo

Policiais civis do GOE-10 (Grupo de Operações Especiais) apreenderam na tarde desta sexta-feira (22) um carro e vários objetos na casa do administrador de empresas de 22 anos acusados de aplicar golpes de empréstimo em um supermercado de Araçatuba.

As buscas na casa do rapaz foram cumpridas mediante mandado judicial. No imóvel, os policiais apreenderam um Honda Civic ano 2010, um carnê de financiamento, uma máquina fotográfica profissional, um televisor LCD e um vídeo game.

No boletim de ocorrência, o próprio jovem alega que esses produtos foram comprados com o dinheiro que ele se apoderou após falsificar empréstimos em nome de colegas do supermercado.

CASO
O administrador, que foi preso há duas semanas acusado do golpe e foi solto depois de passar dois dias na cadeia, contou ontem à reportagem que foi demitido por justa causa do estabelecimento.

Ainda segundo o jovem, o carro apreendido não pertence a ele, e sim a um familiar. No entanto, não foi informado se o veículo poderá ser recuperado. O caso segue investigado pela polícia.

Fonte http://www.folhadaregiao.com.br/ – EDUARDO FONSECA

Read More
SP – Homem é preso suspeito de aplicar golpes em 30 pessoas em Araçatuba

Ele começou a ser investigado pela polícia depois de denúncias.

Homem se apresentava às vítimas como contador filiado ao INSS.

Um homem suspeito de aplicar o golpe da aposentadoria em mais de 30 pessoas foi preso neste domingo (17), em Araçatuba (SP). Ele começou a ser investigado pela polícia depois que duas mulheres fizeram uma denúncia contra ele.

O homem se apresentava às vítimas como contador filiado ao INSS, o Instituto Nacional de Seguro Social, e prometia facilitar o recebimento do benefício para as pessoas.
O suspeito foi levado à cadeia de Penápolis (SP), onde está preso e deve responder pelo crime de estelionato.

Fonte Do G1 Rio Preto e Araçatuba

Read More
SP – Administrador admite que aplicou golpe nos colegas

Golpista confesso. Essa é a história do administrador de empresas de 22 anos que foi preso há oito dias após ser flagrado com contratos de empréstimo que fez em nome de colaboradores do supermercado em que trabalhava, no bairro Juçara. O rapaz disse à Folha da Região que realmente praticou os golpes e ficou com o dinheiro dos empréstimos, mas ressalvou que não foram 200, como consta na denúncia. Os casos foram descobertos após uma auditoria realizada na empresa.

Na quinta-feira, o jovem disse à reportagem que está arrependido. Ele ficou na cadeia de Penápolis até a tarde de segunda-feira, quando sua família pagou fiança de dez salários-mínimos. Agora, vai responder em liberdade pelo crime de estelionato. Acusado de ter aplicado mais de 200 golpes desse tipo, ele confirmou, no entanto, a autoria de 13 pedidos falsos de empréstimo, gerando uma “receita” de cerca de R$ 13 mil, uma média de R$ 1 mil por cada.

Segundo o jovem, a ideia de dar o golpe nasceu depois que ele viu um de seus superiores fazendo esses empréstimos. Funcionário do supermercado desde 2008, ele foi promovido a assistente de Recursos Humanos em 2010. Alega que começou a aplicar os golpes em maio deste ano. Ele disse que pelo mais cinco pessoas faziam parte do “esquema” e que recebeu informações de colegas de que mais pessoas do supermercado teriam sido demitidas na última semana.

EMPRÉSTIMOS
Segundo ele, os empréstimos são feitos pelo próprio supermercado a funcionários que não tenham ainda 40% de seus salários comprometidos com vales ou outras despesas. Como funcionário do RH, ele tinha acesso aos dados dos funcionários. Usava isso para fazer os empréstimos, se apoderava do dinheiro e, por meio de uma senha, quitava o débito no sistema interno. Com isso, o empregado cujo nome aparecia no empréstimo nem ficava sabendo disso e o estabelecimento arcava com o prejuízo.

Fonte http://www.folhadaregiao.com.br/ – EDUARDO FONSECA

Read More
SP: idosos são presos por aplicar golpes em aposentados no interior

Um casal de idosos foi preso no interior de São Paulo, por aplicar golpes em aposentados; em um único mês levantaram 12 mil reais.

Read More
SP – Após Três Meses Fechado, Correspondente Restabelece Atendimento

Unidade em Catanduva e 70% da rede estavam com serviços suspensos

Atendimento em unidade em Catanduva, foi restabelecido desde terça-feira

O correspondente bancário do Banco do Brasil – ‘Pague Bem’ de Catanduva, retomou suas atividades essa semana após 90 dias de serviços suspensos, devido uma suposta fraude ocorrida no mês de agosto, em unidades do município de Franca, retomou suas atividades essa semana. De acordo com as atendes, desde a última terça-feira, dia 5, os serviços bancários foram restabelecidos.
Durante a descoberta, o Banco do Brasil bloqueou todos os pontos da rede Pague Bem, para adotar medidas de segurança aos usuários do sistema.
A empresa Pague Bem chegou a explicar em nota que houve uma fraude em uma terceirizada da rede em Franca, denominada como Miranda e Ramos e frisou que uma auditoria seria feita junto ao Banco do Brasil em todas as unidades da rede e que os serviços para pagamentos nas unidades seriam restabelecidos após o encerramento da auditoria.
Para ler esta e outras notícias, na íntegra, confira a edição impressa e/ou se cadastre no site para ter acesso a versão Online de O REGIONAL desta quinta-feira (07/11).
Da reportagem local
Foto O Regional

Read More
SP – Polícia Federal prende em Sorocaba suspeito de fraude em empréstimos

Homem teria falsificado documentos e levantado mais de R$ 500 mil.

Há suspeita de que ele faça parte de uma quadrilha que age em todo o país.

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (5) um homem acusado de obter cerca de R$ 500 mil em pelo menos seis empréstimos fraudulentos junto a bancos em Sorocaba (SP) e Itu (SP). Com ele, foram encontrados documentos em nome de quatro pessoas diferentes, mas sempre com a mesma foto, além de contratos das negociações já firmadas.

A polícia suspeita que ele faça parte de uma quadrilha de estelionatários que age em várias regiões do país. Ele foi preso quando chegava a uma agência bancária para fechar um novo empréstimo, e deve ter a prisão preventiva pedida, além do bloqueio dos bens.
Na sequência das investigações, o objetivo da polícia é descobrir onde foi parar o dinheiro obtido nos empréstimos, que ainda não foi localizado.

Fonte Do G1 Sorocaba e Jundiaí

Read More