RS – Feirão da Caixa supera R$ 1,1 bilhão em vendas

RS – Feirão da Caixa supera R$ 1,1 bilhão em vendas


Natasha e Machado fecharam a compra de seu primeiro imóvel
FREDY VIEIRA/JC
Adriana Lampert

Mais de R$ 1,1 bilhão em negócios foram fechados durante os três dias da 12ª edição do Feirão Caixa da Casa Própria, em Porto Alegre. O evento superou as expectativas não só de negociações, mas também de público, que ultrapassou a marca de 15 mil visitantes. A maioria das negociações girou em torno do financiamento de habitação popular do programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) e das demais operações com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), cujo teto no Rio Grande do Sul é de R$ 200 mil.
O subsídio do governo federal foi o atrativo para grande parte dos consumidores, a exemplo do metalúrgico Emerson Machado e da namorada Natasha Biazoli. Eles adquiriram uma casa na planta, com entrega prevista para março de 2017, em um condomínio fechado localizado no bairro Granja Esperança, em Cachoeirinha. “O valor do imóvel passou de R$ 170 mil para R$ 138 mil. Estamos muito felizes de ter o financiamento aprovado”, afirmou Natasha, que é estudante de Direito. “Agora, é aguardar 20 dias, quando iremos assinar o contrato de compra com a Caixa.”
“Esta edição foi basicamente focada em atender à demanda de famílias com renda bruta intermediária de até R$ 6,5 mil”, comenta o superintendente Executivo de Habitação da Caixa Econômica Federal (CEF), Anderson da Cunha Possa. A maioria dos 15,5 mil imóveis em oferta se enquadrou na categoria popular, que, além de poder utilizar o subsídio do governo federal de até R$ 25 mil (pelo Minha Casa Minha Vida), tem as taxas de juros (que variam de 5% a 8%) mais baixas e podem ser financiados em até 90%.
Para imóveis acima de R$ 200 mil, o financiamento cai para 80%, e o juros variam de 10% a 12%. “Cerca de 90% dos nossos produtos são destinados à habitação popular, localizados em Porto Alegre, Cachoeirinha e Canoas”, afirma o gerente comercial da Bolognesi, construtora que comercializou 200 imóveis durante os três dias de evento, alcançando um VGV (valor geral de vendas) de R$ 30 milhões. O superintendente da CEF explica o bom desempenho do evento: “Não houve desaquecimento de demanda nesta faixa de valores. Prova disso é que, neste ano, a visitação foi maior que em 2015, quando 11 mil pessoas compareceram durante os três dias de feira”.
No total, 35 construtoras, 33 imobiliárias e 37 correspondentes imobiliários da Caixa ocuparam os estandes do Centro de Exposições da Fiergs, onde ocorreu o Feirão. “A maioria destes parceiros afirmou que a finalização de negócios dentro da feira também foi maior que no ano passado”, destaca Possa. As ofertas incluíram 28 empreendimentos novos, de um total de 12,5 mil imóveis zero e 3 mil usados. “Estamos captando bastante clientes, mas a maioria não está comprando no ato, porque o padrão dos nossos imóveis em prateleira é de médio a alto”, comenta o corretor da Imobiliária Foxter, Leandro Padrax, ao destacar que a empresa preparou descontos especiais para o Feirão. “Os imóveis de médio padrão estavam com descontos de mais de R$ 100 mil”, exemplifica.
Confirmando que o mercado de habitações populares se mantém aquecido, a diretora Comercial da MRV, Lilian Tavares, comemora: “Somente neste domingo, vendemos mais de 50 unidades”. A incorporadora esteve presente no Feirão com mais de 3 mil imóveis localizados em Porto Alegre e Região Metropolitana.

Indecisos aproveitam para pesquisar preços e oportunidades

Apesar do elevado número de vendas, nem todos os consumidores que circularam pela Fiergs decidiram fechar negócio no evento. Alguns estavam inclusive estreando a busca por ofertas para a compra de uma casa própria dentro da feira. Por volta das 16h de domingo, a servidora pública da prefeitura de Porto Alegre, Graziela Severo da Silva, chegou ao centro de exposições acompanhada do marido e da filha buscando encontrar um imóvel com valor até R$ 160 mil. “Nossa renda familiar é de R$ 5 mil e ainda moramos de aluguel. Mas hoje vamos só dar uma olhada, pois queremos pensar bem, para não assumir uma parcela muito alta.”
O advogado Remo Valim também preferiu ponderar. Ele e a esposa Marta foram à Fiergs na tarde de ontem para procurar um apartamento para a filha Vanessa Valim, de 33 anos. Mãe de duas crianças, Vanessa é biomédica e conta com renda familiar de R$ 6 mil. Procurando um imóvel na faixa de R$ 200 mil, a ideia da família era aproveitar o subsídio do Minha Casa Minha Vida. “No entanto, os apartamentos desta faixa são um pouco mais distantes, teremos que ir no local para verificar a estrutura antes de decidir comprar”, explica o pai da biomédica. “A ideia hoje é pesquisar. Queremos comprar em breve, mas não será hoje”, afirma Valim, que sempre adquiriu imóveis a longo prazo. O trio chegou no Feirão às 10h de domingo e percorreu praticamente todos os estandes espalhados em 2,4 mil m². “Tem bastante imóvel bom, mas tem que aliar o preço à distância. Ainda vamos pensar melhor.”
CEF deve injetar R$ 90 bilhões em financiamentos durante 2016

Considerado o maior do ramo imobiliário, o Feirão da Caixa acontece também em outras 13 cidades do País, até junho de 2016. Na edição de Porto Alegre, a instituição manteve um espaço com dezenas de funcionários especializados em crédito habitacional para ajudar os consumidores a realizar uma simulação, com base nos documentos. “A partir da renda da família, fica mais fácil decidir qual imóvel é mais adequado”, lembra Possa.
Além do espaço de triagem, a instituição esteve presente com outros dois estandes: Caixa Seguradora, oferecendo serviços de seguro comercial e residencial; e Caixa Imóveis, com oferta de financiamento para compra de unidades retomadas por inadimplência ou entregues como garantia em operações com a Caixa. Conforme Possa, em 2015, a CEF injetou R$ 90 bilhões em financiamento habitacional no País.

Fonte http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2016/05/economia/500556-feirao-da-caixa-supera-r-1-1-bilhao-em-vendas.html

Read More
RS – Liminar determina redução de juro em empréstimo bancário

RS – Liminar determina redução de juro em empréstimo bancário

Em decisão monocrática, a Desembargadora Mylene Maria Michel, da 19ª Câmara Cível, concedeu pedido de um cliente que reclama dos juros de um empréstimo contraído junto ao Itaú Unibanco em novembro de 2015. A taxa anual cobrada pelo banco é de 168%, quando, segundo o autor da ação, deveria se limitar a 84,9%. Na mesma ação, o cliente pede a vedação de inscrição negativa em órgãos de proteção ao crédito.

Decisão

A magistrada entendeu que, por não estar clara a natureza do contrato, a operação deve ser designada como empréstimo pessoal não consignado. Mencionou que a taxa média de juros remuneratórios fica em torno 120,4% ao ano, conforme média indicada pelo Banco Central do Brasil.

Na análise da Desembargadora verifica-se que o percentual, comparado ao aplicado pelo banco, extrapola em muito a média de mercado.

“Considerando que se trata de abusividade no período contratual, alegação verossímil, e havendo o fundão receio de dano grave, cabível a antecipação de tutela, justificada, também, pelo pedido de depósito dos valores incontroversos”.

Assim, ficou o cliente autorizado a depositar em juízo, mensalmente, os valores referentes à taxa média de 120,4%. O Itaú Unibanco fica ainda vedado de incluir o cliente em cadastros restritivos de crédito.

Proc. 70068272939

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com TJRS.

Fonte http://www.justicaemfoco.com.br/desc-noticia.php?id=112995&nome=Liminar%20determina%20redu%C3%A7%C3%A3o%20de%20juro%20em%20empr%C3%A9stimo%20banc%C3%A1rio

Read More
Quadrilha é presa por aplicar “golpe do seguro” em carros no Vale do Sinos

Quadrilha é presa por aplicar “golpe do seguro” em carros no Vale do Sinos


Fonte ClicRBS | Blog Caso de Polícia | Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Uma operação da Polícia Civil realizada nesta semana prendeu sete pessoas e encontrou oito carros em processo de desmanche no Vale do Sinos. A suspeita é que a quadrilha aplicava golpe do seguro em carros financiados.

A primeira ação aconteceu na segunda-feira (15), quando quatro pessoas foram presas desmanchando um carro em São Leopoldo. Um dos presos inclusive era o dono do veículo que seria roubado. Conforme a investigação, ele iria registrar ocorrência depois para acionar o seguro.

A Polícia conseguiu rastrear onde as peças eram levadas, no município de Portão, e realizam abordagem na tarde desta quinta-feira (18). No local, seis veículos já cortados foram localizados, todos eles com financiamento. Uma Tiguan roubada também foi localizada.

O Delegado Rodrigo Zucco, responsável pela investigação, os fatos levam a crer que existe um golpe contra seguradoras e financeiras. “Eles paravam de pagar o financiamento, entregavam para o desmanche e depois registravam ocorrência”, explicou Zucco.

Fonte http://www.cqcs.com.br/noticia/quadrilha-e-presa-por-aplicar-golpe-do-seguro-em-carros-no-vale-do-sinos/?utm_source=news-19-02-16&utm_medium=email&utm_campaign=cqcs

Read More
RS – Manutenção de desconto indevido em pensão do INSS gera indenização

RS – Manutenção de desconto indevido em pensão do INSS gera indenização

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai ter que indenizar em R$ 3 mil, por dano moral, uma pensionista de Porto Alegre por continuar descontado de seu benefício parcelas de um empréstimo fraudulento em seu nome.

Em setembro de 2010, valores de R$ 320,00 começaram a ser descontados da pensão. A segurada solicitou a cessação dos débitos e a devolução por via judicial e obteve uma liminar favorável. No entanto, o INSS não parou com os descontos. Posteriormente, a vítima ingressou na Justiça Federal buscando indenização de R$ 40 mil por danos morais.

O INSS sustentou que a responsabilidade de indenizar seria do banco Cruzeiro do Sul, instituição que realizou o empréstimo.

A 1ª Vara Federal de Porto Alegre reconheceu o direito à reparação, já que o instituto não obedeceu à ordem da Justiça Estadual. Entretanto, fixou a indenização bem abaixo da requerida. Ambas as partes recorreram ao tribunal.

O caso ficou sob a relatoria do desembargador federal Luís Alberto d’Azevedo Aurvalle, que manteve o entendimento adotado em primeiro grau. “O objeto da presente ação não é a desconstituição do contrato fraudulento, o que já foi feito em processo anterior movido contra o banco, mas o pagamento de indenização por danos morais causados pela conduta do INSS, que manteve os descontos indevidos no benefício da autora. Logo, conclui-se pelo cabimento de indenização, pois a parte autora sofreu abalo em face da angústia de estar com a subsistência comprometida por não poder dispor de seus proventos nos meses referidos”.

Fonte http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=visualiza_noticia&id_caderno=&id_noticia=137998

Read More
RS – Homem suspeito de causar R$ 100 mil em prejuízo à Caixa é preso na região metropolitana

RS – Homem suspeito de causar R$ 100 mil em prejuízo à Caixa é preso na região metropolitana

Foto: Divulgação/Polícia Federal

Um homem suspeito de estelionato contra a Caixa Econômica Federal foi preso na região metropolitana após cumprimento de mandado na tarde desta quinta-feira (4). O homem, que tem 43 anos e morava no bairro Guajuviras, em Canoas, foi preso por falsificar documentos.

Curta nossa página no Facebook, siga no Twitter e receba nossas atualizações

O suspeito forjava documentos, como carteira de identidade, extratos bancários, certidões da Previdência e contas, em nome de aposentados. Os crimes eram praticados há mais de cinco anos, conforme a Polícia Federal.

Com os documentos falsos em mãos, o homem fazia créditos consignados e empréstimos em nome dos aposentados. O prejuízo à Caixa chega aos R$ 100 mil. Além disso, as fraudes ocorriam também contra comerciantes em que o preso aplicava golpes, comprando em nome de terceiros.

Fonte http://www.plantao.rs/28476/estado/2016/02/homem-suspeito-de-causar-r-100-mil-em-prejuizo-caixa-e-preso-na-regiao-metropolitana/

Read More
RS – Corretores criticam criação de estatal no Sul

Está gerando muita polêmica a matéria publicada pelo CQCS sob o título “Criação de estatal preocupa corretores de seguros do Sul”, a qual trata de projetos de lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em regime de urgência, que, entre outros pontos, permite a criação, pelo Banrisul, de uma corretora de seguros estatal. Segundo dirigentes do Sincor-RS, caso a proposta seja aprovada, o banco, que tem 485 agências e 11.870 funcionários, formará “uma rede gigantesca de venda de apólices”.

Segundo Edson Ianello, da Plena Corretora de Seguros, é preciso buscar a união da categoria para se superar esse grave problema. “A união não é a melhor forma de combater esse mal. É a única!”, adverte o corretor, para quem essa proposta é “mais uma aberração”.

Por sua vez, Flávio Antonio Mueller, da Mueller Corretora de Seguros, dá uma conotação essencialmente política para essa questão. Na visão dele, para o partido do governador Tarso Genro (PT) “é mais importante criar estatais, dar cabide emprego aos apadrinhados do que oferecer serviço de qualidade ao povo”.

Sob o mesmo prisma político, Valdinei Basseto, foi ainda mais irônico: “não percebem que os políticos querem arrumar uma forma de lavar dinheiro?”.

Já o corretor José Luiz adverte que a criação de uma corretora de seguros estatal virá apenas para “onerar o bolso do consumidor”. Para ele, é preciso apurar a quem interessa a criação dessa corretora. “É preciso saber ler nas entrelinhas desse projeto de lei”, acrescentou.

Da Oriento Consultoria e Corretora de Seguros, veio mensagem lembrando que o corretor de seguro “não pode ser funcionário público” e que a criação de uma corretora estatal “é ilegal”.

E, da Niasa Personal Corretora de Seguros, chegou o email do corretor Rafael, segundo o qual a criação essa corretora é mais um “caça níqueis político”. No entender dele, esse é um fato extremamente negativo para o setor.

Ainda mais enfático foi o corretor Miguel Angelo Barbosa Soares. “Estamos acabando. Mais um pouco e bastará fechar a tampa e jogar terra em cima”.

Da Tiphereth Corretora de Seguros surgiu a proposta de se proibir a participação de pessoas estranhas ao ramo como sócias de corretoras de seguros. “Quando isso acontecer, grandes grupos, bancos ou concessionárias de veículos não terão mais corretoras cativas, tendo de entregar a comercialização aos corretores”, argumenta o autor da mensagem.

Na matéria publicada pelo CQCS, o presidente eleito do Sincor/RS, Ricardo Pansera, já alertara de que é preciso questionar a formação ou habilitação desses funcionáriso do banco para a venda de seguros. Na avaliação dele, essa pode ser, inclusive, uma forma de “aperfeiçoar” a venda casada, prática condenada pelo Código de Defesa do Consumidor.

Para Pansera, outro fator que não recomenda a abertura da pretensa futura estatal é a constante mudança de direção em cada novo governo do estado. “Está historicamente provado que a atividade seguradora é típica da iniciativa privada, não havendo justificativa para que seja exercida por uma empresa estatal”, observou.

Fonte CQCS

Read More
RS – Duas pessoas serão indiciadas por golpes em aposentados e servidores

Eles garantiam na justiça o parcelamento de dívida e sumiam com o dinheiro do cliente durante o processo

Esteio – O dono de uma suposta financeira, de 34 anos, que funcionava em um prédio comercial no Centro de Porto Alegre, e uma advogada de Gravataí serão indiciados pelo titular da Delegacia de Polícia de Esteio, delegado Leonel Baldasso, na conclusão do inquérito policial que apurou o golpe do empréstimo consignado (com descontos indevidos) para aposentados e servidores públicos. A investigação iniciou no final do mês de junho. Ambos, segundo o delegado, responderão pelos crimes de falsidade ideológica e falsificação de documento público e particular.

“O inquérito deverá ser concluído, e remetido à Polícia, até o final da semana que vem. O grupo agia em todo o Estado. Só em Esteio havia mais de 30 processos ajuizados.” Segundo ele, na semana passada uma senhora cega, cujos documentos com a assinatura da mesma foram apreendidos, foi ouvida na DP e teve o depoimento formalizado. “Todos os documentos, contracheques, comprovantes de residência e cadastros, com diferentes assinaturas, apreendidos pelos policiais durante o cumprimento de buscas, no mês de julho, na suposta financeira, foram catalogados e minuciosamente analisado

Como funcionava o golpe

1. Os alvos da quadrilha são aposentados e servidores públicos que fizeram empréstimos consignados (pagos em parcelas descontadas no contracheque). Normalmente, quando essas parcelas atingem 30% do salário ou benefício, o usuário não tem mais direito a novos empréstimos.

2. Para obterem o empréstimo, acabam vítimas dos advogados que garantem cancelar a dívida. Para isso, o advogado entra com uma medida liminar na Justiça questionando o contrato assinado com o banco. Se a liminar é aceita, o desconto no contracheque é interrompido e a margem de 30% é recuperada.

3. A pessoa pode, então, fazer novos empréstimos. É aí que o advogado recebe pelo serviço e desaparece; abandona o processo. Assim, com o processo abandonado, cai a medida liminar e o antigo empréstimo volta a ser cobrado. Mas o pensionista já comprometeu o desconto em folha com o segundo empréstimo. Então, o pagamento da primeira dívida acaba sendo cobrado na Justiça.

Fonte http://www.diariodecanoas.com.br/ – Fernanda Bassôa

Read More
Sincor-RS tem novo presidente

Após alguns dias de disputa, na última quarta-feira (30/10) o novo presidente do Sindicato dos Corretores do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), foi escolhido. Com 70% dos votos, Ricardo Pansera seguirá a frente da instituição pelo próximo triênio (2014-2017).

“Nós da “Chapa 1 Sincor Melhor” formamos uma equipe de muita qualidade, unindo a experiência e os novos talentos, para seguirmos a jornada de crescimento que o Sindicato precisa e merece”, destaca Pansera.

Sobre suas expectativas frente à nova gestão ele destacou que a comissão que é composta por quatorze representantes do mercado, já vem criando alguns planos de ação a fim de promover o crescimento da classe.

“Estaremos comprometidos em fazer o que é necessário para que a nossa classe cresça cada vez mais, investindo em qualificação”.

Para encerrar ele Ricardo deixou uma mensagem. “Quero, junto com essa equipe maravilhosa, agradecer a você corretor pelo teu carinho e pelo teu fundamental apoio. Juntos, vamos caminhar rumo a um Sincor melhor para todos nós”, conclui.

Fonte CQCS – Irani Nogueira

Read More
RS – Bando de estelionatários – Vigaristas são flagrados enquanto aplicavam golpe do empréstimo, em Viamão

Os principais alvos da quadrilha são aposentados, o prejuízo pode chegar a 35 mil reais

Um grupo de estelionatários que aplicava o “golpe do empréstimo” foi preso em flagrante na tarde desta quinta-feira, em Viamão.

Uma mulher, integrante do bando foi autuada quando sacaria R$ 4 mil em uma agência do Banco do Brasil. Outra mulher e um homem, que lhe davam cobertura no lado de fora da agência, também foram detidos. De acordo com a polícia, os três envolvidos já tinham antecedentes por estelionato.

Estima-se que o bando tenha retirado nos últimos dias pelo menos cinco empréstimos, um prejuízo de R$ 35 mil às vítimas. Os alvos principais são aposentados.

A polícia ainda apura como os vigaristas tinham acesso aos documentos originais das vítimas e quem fazia as falsificações para eles.

Como funciona

  • Golpistas têm acesso a RG, CPF, comprovante de residência e contracheques das vítimas.
  • Os dados são falsificados e uma foto do golpista é colocada nos documentos.
  • Buscam crédito em empresas financeiras, pedindo que o dinheiro seja disponibilizado por ordem de pagamento bancário.
  • Os descontos, em geral, são previstos com desconto em folha.

Como evitar:

  • Tenha cuidado redobrado ao fornecer seus dados e documentos.
  • Fique atento a cobranças indevidas e denuncie quando notar dados que não conferem com as suas contas normais.

Fonte http://zerohora.clicrbs.com.br – Eduardo Torres

Read More