Verificar configuraes
Homem preso já teria emprestado R$ 38 mil com documentos falsos, no AP

Homem preso já teria emprestado R$ 38 mil com documentos falsos, no AP


Um homem de 54 anos foi detido pela Polícia Militar (PM) na sexta-feira (4), no Centro de Macapá, suspeito de estelionato e falsificação de documentos. Ele estaria usando a identidade falsa de outra pessoa e estava tentando realizar transições bancárias no nome da vítima, quando foi flagrado pela polícia. Junto com outro suspeito, o homem já teria feito um empréstimo de quase R$ 38 mil. A polícia foi acionada pela própria vítima e o flagrante aconteceu em uma agência bancária localizada na esquina da Rua Cândido Mendes com a Av. Pe. Júlio Maria Lombaerd, no Centro. Abordado, o suspeito, que estava tentando realizar um saque de R$ 10 mil, apresentou documentos de identificação falsos. Com ele foi encontrado cerca de R$ 1,8 mil em espécie e um cheque no valor de mais de R$ 2,3 mil. O suspeito, segundo a PM, confirmou a fraude. Ele alegou ainda que o mentor do crime seria o suposto proprietário de uma agência de serviços bancários de Macapá. A dupla teria falsificado a identidade da vítima e realizado um empréstimo no valor de R$ 37.940. A polícia informou que chegou a fazer buscas pelo segundo suspeito, mas ele não foi localizado no endereço dado pelo suspeito, que foi apresentado no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval para prestar esclarecimentos. Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o ou por Whatsapp, nos números (96) 99178-9663 e 99115-6081.

Fonte http://www.jornalfloripa.com.br/noticia.php?id=843227
Fonte http://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2016/11/homem-preso-ja-teria-emprestado-r-38-mil-com-documentos-falsos-no-ap.html

Read More
Pará & Amapá – Bradesco terá que pagar R$ 1 milhão por dano moral coletivo

O Ministério Público do Trabalho informou que o Bradesco terá de pagar indenização de R$ 1 milhão, por dano moral coletivo, por uso de funcionários administrativos no transporte de valores, em vez de profissionais habilitados. A sentença, em primeira instância (para a qual cabe recurso), é da 10ª Vara do Trabalho de Belém, em ação civil do MPT. O banco também fica proibido de contratar policiais militares para a atividade, sob pena de multa de R$ 50 mil por trabalhador contratado nessa situação.

Segundo o MPT, o Bradesco foi processado em maio do ano passado, após comprovação de denúncia do Sindicato dos Bancários do Pará e do Amapá. A entidade chamava a atenção para a morte de um policial e o ferimento de um funcionário do banco, baleado de raspão, durante tentativa de assalto no transporte de valores, em junho de 2011, entre os municípios de Abaetetuba e Muaná, no Pará.

Além disso, informa o MP, em fevereiro do ano passado um gerente foi interceptado em barreira da Polícia Federal quando transportava R$ 60 mil em uma pasta de plástico – episódio que resultou em um auto de infração por parte do Ministério do Trabalho e Emprego. “Com a sentença, o Bradesco também deverá divulgar a decisão, conforme pedido do MPT, em todos os seus quadros de aviso, inclusive nas agências, pelo prazo mínimo de um ano, sob pena de multa”, diz o Ministério Público.

Fonte Rede Brasil Atual
Fonte http://www.vermelho.org.br/

Read More